quinta-feira, 29 de dezembro de 2005

Hum...finalzinho de ano...não poderia deixar de escrever alguma coisa aqui...muito embora devesse estar trabalhando que nem camelo condenado a morrer de sede levando água para os outros no deserto...credo né?

Praticamente uma tragédia grega em terras árabes...muita confusão regional essas frases...multiracismo em tiradas...uó...só podia ser fruto de uma mente cansada...cara...tô com olheiras ridiculas.

Detalhe que minha genética nunca me permitiu olheiras...e hoje eu me olho no espelho e vejo uma branca quase sem manchas (ótemo meu tratamento! amo meu dermato!) de cabelos esbranquicados (novos nascendo! amo meu dermato novamente) e boca vermelhona (contrastes com o branco papel da cara pálida) com duas bolas pretas em volta dos olhos...preciso de cremes...mas acho que prefiro cama.

Para completar a insone vida de Iris, não bastando os multiplos trampos que eu tenho agendado e outros com previsão de agendamento, resolvi dar um presente de natal para a Boolie Boolie: uma irmãzinha.

Sempre na monocromia a pequena (que dá duas em tamanho e pelos...arght...da Boolie) Penélope (super charmosa) é cinza de olho verde e com a mesma cara de sapeca que a Boolie tem.

Muito romântico e bonito meu gesto, não fosse o pequeno detalhe de "adaptação". Pois é...hoje elas se deram a primeira encarada pacífica e a Pepa (Pepa Pop é o nome da Penélope...gracinha né? Boolie Boolie e Pepa Pop) agora tá até miando dengosamente...mas ainda não comeu...a Boolie é muito chata.

Traduzindo isso para o "humanês" imagina uma criança falante, estriquinada rondando o dia todo uma mulher adulta e em fase de adaptação, ambas desconhecidas...essa é a realidade das duas lá em casa. A Boolie fica enlouquecendo a Pepa com seus brinquedinhos pulantes, corridinhas malucas e saltinhos sapecas...confesso que tenho dó da Pepa...a Boolie é absurdamente loka.

Bom...ainda não vi muito resultado positivo para minhas mãos arranhadas...a Boolie ainda não trocou o alvo das mordidas...mas pelo menos tem o que fazer quando estou atarefada na frente do meu micro trampando...fica aloprando a Pepa...mas to separando elas ao menos para EU dormir bem. Dividi a casa em territórios e a Boolie continua dona da minha cama...e a Pepa tomou conta da cozinha...ai...

No mais tudo tranquilo, sem grana, sem bogu...percebi que sou péssima administradora dos meus bens e 2006 vai ser tudo tabelado, não farei nada fora da planilha...nem adquirirei bens que estejam foram das aspirações pré agendadas por esses dias. Esse ano a quantidade de "imprestabilidades" adquiridas foi gigante:olhar focado

"No" loves, "no" saco para loves na real... na real não vejo a hora do fight de 2006 pois com as dúzias de projetos que tenho em mente já sei que vou chorar muito, trampar muito e aprender muito acima de tudo...hum...vou apanhar muito também, afinal quero ser samurai de verdade...hihi...sempais que me aguardem:gambatê

Esse ano...hum...foi bom...muito agressivo na real...tudo foi muito hard core em todos os aspectos e nada que eu vivi foi soft...tudo extremo e tumultuado. Na moral, esse ano me cansou...não fosse minhas pseudo "férias" acho que hoje estaria louca. Mas ano que vem não quero nada me pegando de surpresa tão agressivamente como esse ano: viver light (hihi...to de dieta).

Minha família estranha está próxima e estamos, dentro das possibilidades, nos relacionando muito bem. Meu sobrinho é um fofo e moral da historia: nada como um dia após o outro.

Saúde Ok, amigos...hum...ando stressada com eles...de um modo geral...mas acho q é coisa do meu dda nivel "palmares longuinguos de elevação" que me impede de ter paciência com todos eles. Entrei numas de premeditar as frases do próximo e sequer ter paciência para ouvir o outro...bem coisa de hiper atividade mesmo...já futurizando tudo. Sempre me lembro das aulas de sociologia na facu...e das de matemática no médio...

Por isso dei um sumidão e me encarnei nos trampos e prazos. O único amigo que eu tinha paciência por incrível que pareça é o Du...hum...Me desculpem...mas acreditem...Iris "surtada" ninguém merece.

Essa parte "psicologicamente" eu não gostei em mim esse ano. Esse viver acelerado e atropelando...por isso quero sossego ano que vem...principalmente mental. Senti que sai fora da linha de controle nesses últimos meses.

Rejeitei meu primeiro freela por total inadaptação com o cliente (Íris se achando...tsc...tsc...), recebi convites de 3 agências pancadaria (vulgo "muito boa") para trampar, uma consultoria com o Japão...num lembro se foi esse ano...parece que o primeiro semestre passou a tanto tempo que já não estou atinando direito...hihi...hum...profissionalmente foi bacana...óbvio que no limite também.

Bom...moral da história é que é findo esse ano hard core em que aprendi horrores de coisas e respeite outros horrores mais.

Dedico a duas criaturas absolutamente presentes full na minha vida, todo sucesso desse ano: Hu e Ligia

E as melecas que fiz...bom...e não foram poucas...deixo o tempo , vulgo senhor dos enganos, deixar apagar como imagens vivas e perpetuar os aprendizados com cada uma delas (as melecas)

Intenso 2006. En garde!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2005

É uma índia com um colar / A tarde linda que não quer se pôr
Dançam as ilhas sobre o mar / Sua cartilha tem o a de que cor
O que está acontecendo / O mundo está ao contrário e ninguém reparou
O que está acontecendo / Eu estava em paz quando você chegou

E são dois cílios em pleno ar / Atrás do filho vem o pai e o avô
Como um gatilho sem disparar / Você invade mais um lugar
Onde eu não vou / O que você está fazendo
Milhões de vasos sem nenhuma flor / O que você está fazendo
Um relicário imenso desse amor

Corre a lua, porque longe vai / Sobe o dia tão vertical
O horizonte anuncia com o seu vitral / Que eu trocaria a eternidade por esta noite
Porque está amanhecendo / Peço ao contrário, ver o sol se pôr
Porque está amanhecendo / Se eu não vou beijar seus lábios quando você se for

Quem nesse mundo faz o que há durar / Dura a semente dura o futuro amor
Eu sou a chuva pra você secar / Pelo zunido das suas asas você me falou
O que você está dizendo / Milhões de frases sem nenhuma cor
O que você está dizendo / Um relicário imenso desse amor

O que você está dizendo
O que você está fazendo
Porque que está fazendo assim

Nando Reis - Relicário

quinta-feira, 22 de dezembro de 2005

Uma história para o livro da vida não se faz em curtas dissertações.
Ela é intensamente forjada à pena, no calor de cada situação, quer sejam lutas, vitórias, aprendizados ou esquecimentos.

Se faz no curto espaço do perdoar, do amar, do permanecer junto à fé, ainda que tudo pareça distante do final perfeito.

A intensidade dos momentos marca as folhas do existir com recordações insubstituíveis.
E o futuro se organiza feliz, a cada concretização de sonhos bons.

Uma história para o livro da vida não se faz de heróis e glórias apenas.
Há momentos de aprender duramente com decisões impensadas e ganhar louvores a cada arrependimento sincero.

Se faz também a cada palavra amiga trocada, gesto de auxílio descomprometido e beijos trocados a doces estalos de carinho.

A veracidade de cada situação imprime, em cada texto do viver, a espessura exata para ser sempre rememorado, em dias de chuvas ou sóis interiores.

A cada ano que passa, os capítulos se renovam, e temos a chance inédita de escrever novos contos a respeito de tudo aquilo que mais importa: vida, familia, projetos, amores.

Só cabe a nós definir a rima rara para os dias escuros e frios; a introdução perfeita para cada sonho a se realizar; o argumento eficaz para todos os temores que vierem nos visitar e, por fim, a conclusão mais doce e humana, capaz de refletir a delicada essência de estar vivo: o findar de batalhas, o recolher e reconhecer que tudo que se passou foi exato, e perfeito dentro do nosso melhor.

Para estas novas folhas que virão em 2006, desejo sinceramente que sejam um singular capítulo de vida, o melhor, o mais ousado e construtivo: o seu.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2005

Estou impossibitada no exato momento, de trabalhar pois uma faixa de transferência de arquivo muito alta ocupa minha banda e faz meu potente micro não servir para muita coisa...então, dado esse fato, estou escrevendo aqui pois, há quase um mês, não abro meu fofo blog.

Bom...limpando as traças...nesse interim já tive crises samuraicas, perdi onibus de viagem, achei amigos distantes, emagreci, gastei dinheiro à toa, paguei contas, dei presentes, editei vídeos, cantei, virei noites trabalhando, me arrependi, assisti filmes, joguei conversa fora, criei minha ação de marketing, inventei receita culinária com peixes, li revistas, alguns livros, não chorei, tive uma tpm tranquila, tomei decisões para a vida toda que nem gente grande, me apaixonei, tive ciumes, tomei sorvete de Ades (maçã), me irritei com a agencia de publicidade da empresa, desisti do carro, esqueci de fazer exames, reatei com o carro, brinquei mais com a Boolie, matei baratas, fervi a louça, matei mais baratas, comprei veneno, encontrei minha saia, perdi algumas horas, passei filtro solar inúmeras vezes, reclamei do tempo, reclamei da vida, perdoei amigos, fui perdoada, tive raiva, senti dor, xinguei a mãe de populares locais, fiz amizade com os caes labradores da empresa, fui à Bienal, fiz planejamento mensal, coloquei banda larga, quis fulminar a BRTelecom, discuti com a NET e ganhei a razão, desisti de discutir com a Claro e trocar de plano, parei de receber mensagens do meu egofilho nascendo, tive sonhos bons, fechei bons negócios, cansei de Porto Alegre, dei mais uma chance a Porto Alegre mas com data de partida, mudei meu cabelo, usei mais saias, troquei a ração da Boolie, dormi pouco, tomei muito café, troquei de tipo de pão, experimentei danones light's, explodi meu chuveiro, chamei o Du para arrumaro chuveiro, fui andar no centro, dei aulas, escrevi poesias com versos brancos, não fui ao cinema, não fui ao show do pearl jam e estou aqui.

e era isso...;)

segunda-feira, 7 de novembro de 2005

Perdi meu anel hoje, ao vir para o trabalho...chato isso. É o 3 anel que perco em menos de 3 meses...nem consigo me apegar a eles e já tô perdendo.

Kenjutsu Hard Core e eu sinceramente acho que os 3 anos de canto que fiz estão condenados pelos kiais enlouquecidos...Preciso não esquecer de gritar com o diafragma e não com a garganta...

Ontem foi um dia fofo, contrariando os chatos domingos, pois meus amigos foram em casa e vimos filmes e jogamos meu vício: Sim's.

Decidi fazer panetones de Natal e acho que vou fazer lá na casa da minha irmã...alias, estranho não passar o fim de semana lá. Ainda bem que fez friozinho e recebi visitas...senão seria estranhíssimo.

Acho que tô largando duas turminhas de aula por falta de alguma coisa dentro de mim que não sei definir. Vou ficar com meus fofoletes da UFRGS mesmo, que já to a 2 anos...as outras não darei conta. Anta eu de ter assumido. Agora deveria ir até o fim pois falta um mês...mas num vou conseguir. É fato.

Tô ouvindo Billie Holliday (dream a little dream). Tem uma esquisita sensação dentro de mim que me diz que perdi algo importante...e não é o anel. Tava olhando meu guarda roupa e percebi que esse ano não usei uma série de coisas. Minha jaqueta jeans super hard total desfiada por exemplo...Isso significa que eu não sai para baladas e também significa que ando sossegada.

Primeiro porque nessa terra não tem nada muito interessante para curtir de baladinhas (só toca "POPeiras") e segundo porque acho que tô ficando véia. Ano que vem vai ser significativamente construtivo pois vou diminuir o ritmo profissional e cuidar do pessoal. Quero namorar alguém pelo menos por mais de 5 meses e nesse interim me apaixonar por esta pessoa. Sem contar outros cuidados pessoais que preciso me dar.

Agora tô ouvindo "The mamas and the papas"...dream a little dream...se Biilie não fosse perfeita eu diria que as duas versões são fantásticas pois cada uma remete determinada sensação.

Vou trampar

sábado, 5 de novembro de 2005


De volta. As voltas tudo parece tranquilo. Um silêncio incessante dita o fim.

E tudo se faz renovado.

quinta-feira, 3 de novembro de 2005

Peruei...tava precisando mesmo de um dia pra mim. Comprei uma blusinha e uns perfumes...comprei inconscientemente as marcas que eu usava quando era paulistana ainda.

Tô com um. Vou dormir com esse cheiro de primeiro apartamento, primeiro carro, primeiras baladas privadas, primeiras contas, primeiros cortes de energia...saudades boas...

É reconfortante sentir esse cheirinho quando me deparo em meio a uma nova neura...Acho um saco esse "pensar demais"...no fundo tenho inveja das loiras peruas...elas não pensam, são fúteis e não enxergam nada coerente diante do nariz que não seja pesos e medidas.

Tô no limbo novamente. Ano passado estava no limbo sócio econômico e comportamental. Ai, me encontrei, e agora sou uma pobre, mas bonitinha. Tava tendo comportamentos que não eram meus como por exemplo, me embebedar com cerveja (sendo que não curto cerveja e amo profundamente vinhos), tava comendo carne vermelha e de porco (que não gosto) e outras coisas que parecem idiotas mas são realmente sintomas "limbicos" (hahaha).

Agora tô conhecendo meu mais novo limbo: O cultural. Não tô falando de cultura regional porque essa nem me stressa porque adoro conviver com culturas estranhas as minhas. A gente muda de tamanho!

Tô falando da cultura educacional, hum...aquelas bobeirinhas fundamentais que a gente aprende com a familia, na escola, nos livros que lemos, peças que assistimos, musicas que ouvimos. Pois é...aqui eu tenho perfil de "alternativa"...mas tô fora de alguns quisitos básicos do enquadramento de tal tribo. Lá em Sampa eu era normal...aiquesaco...mais um limbo.

Tô com preguiça de amanhã, de ir no kenjutsu...aiai...ainda bem que meu natal ja começou...ano passado tava mais legal...hihi
Absurdamente cheia de coisas para fazer no trabalho...acho q a filosofia japonesa na minha vida está sendo executada pela mão do destino...quando para a correria extra trampo, começa a intro trampo...peculiar...

Tô num processo de esperas. Aliás, esperar nunca foi meu forte pois, pessoas nitroglicerinadas não lidam bem com a "paciência" mas, desde que fiquei uns tempos de molho aprendi a lidar melhor com ela...com restrições, obvio.

Mas tem certas coisas que são dificílimas de administrar a paciência. Coisas estas que lidam com históricos e com esperanças. A própria etmologia da palavra deriva a tal da esperança, logo, é complexo e algo divino para mim.

Tento...organizo os fracasos para tentar algumas associações falidas, no intuito de me auto-desanimar das coisas que espero. Uma tentativa meio mazoquista confesso, mas não tem funcionado e nem machucado.

Começo a perceber a cíclica relação das situações que fazem minha vida fluir...é assustador. A única coisa que quero disso tudo é saber o que vou ganhar se eu esperar, se eu esperar e der tudo errado em todos os sentidos do "caso" em aguardo e, pior para que fins vou ficar colecionando essas vivências...

Isso me stressa...Minha psicologa loira e perua (para vocês verem como a vida é cruel as vezes e de um humor extremamente indelicado comigo), me disse uma vez que eu fico "futurizando" tudo e as coisas e as pessoas principalmente. E estas podem não ter essa visão de vanguarda e eu decepciono e me decepciono com essa interação em vias distintas...é assim com minha irmã, mas não é esse o caso.

A coisa começa a tomar sentido quando tenho que esperar e não fazer...aiqueneuras!

- A moça da gráfica acaba de me responder o e-mail em menos de 5 minutos à minha solicitação...se o mundo fosse todinho assim....aiai...acho q enfartaria de emoção -

Buenas, a psicologa foi categoricamente trocada pela vida samurai e essa idéia brilhante dela ficou...e tem sua máxima dose de realidade e, cada vez que me deparo com ela, a "espera", fico tentando me comportar de forma adulta e temperada...fooooogo...isso é fogo!

Quero que o mês que vem chegue logo só para eu ver o que aconteceu nesse...sempre assim...sempre quero que tudo passe rápido para eu saber o que aconteceu. Até meu presente adooooro que corra para chegar nos finais e eu conhece-los...Muito cheia de pressa essa Íris. Acho que esse é meu maior estilo Amelie...by eu mesma sure.

Vou ler um pouco de Dante, Tsun, preciso ler o livro do meu sensei...depois...sensei depois...
Vou ler Filippi também...vou ler e fazer equações impossíveis para me distrair...mas agora vou trampar. Bjocas


Even if I am in love with you / All this to say, what's it to you?
Observe the blood, the rose tattoo / Of the fingerprints on me from you

Other evidence has shown / That you and I are still alone
We skirt around the danger zone / And don't talk about it later

Marlene watches from the wall / Her mocking smile says it all
As the records the rise and fall / Of every soldier passing

But the only soldier now is me / I'm fighting things I cannot see
I think it's called my destiny / That I am changing
Marlene on the wall

Suzanne Vega

terça-feira, 1 de novembro de 2005

Ontem tive uma conversa séria com minha consciência e nós resolvemos ser felizes de verdade.

Isso foi extremamente produtivo porque eu até fui almoçar lá no fim do mundo para ver amigos que não vejo a tempos...tá...comi comida japa, o polvo me fez muito mal e ganhou vida dentro de mim com dimensões incrivelmente maiores a que ele estava no meu prato.

Depois disso me perdi na Carlos Gomes, cheguei absurdamente atrasada no trampo e acabei pegando um taxi ede quebra fazendo um tour por Poa...descobri que as coisas são mais perto do que eu imaginava...como dou voltas sem necessidade...tsc..tsc...

Buenas, fui ao centro com a japa e o amigo dela e fiquei esperando horas no meio daquela multidão e me comportei bem...até tomei um sorvete pois o polvo estava adormecido...agora comi medalhão de merlusa...espero que eles não se esbofeteiem dentro de mim...

Buenas...esperei...esperei...esperei...e como é impressionante a quantidade de pessoas de todos os tipos que tem nessa terra...fazia tempo que não ficava em meio a multidões.

Fui na feira do livro, ganhei um altografo personalisadissimo (a Boolie ta enlouquecida...), do Eduardo super fofoe fui jantar na japa...quer dizer...ia, pois lembrei dos pontos da Boolie e voltei...

vou dar atenção a ela pois esta "cabriteando" pela casa.

terça-feira, 25 de outubro de 2005

Hoje foi um dia stressante...Feliz, meio fora do padrão de normalidade diria mais. Daqueles dias que começam dando absolutamente errado e no final dele, vem o acerto.

A noite foi bem ruim sem a Boolie...acho que me acostumei demais com minha pretinha básica. Meu pequeno sobrinho nasceu e isso deu uma movimentação no clã.

Embora distante e absolutamente convicta desta escolha, não posso deixar de admirar essas pessoas das quais meu sangue herda algumas nuances delicadas.

Delicadas não por sua fragilidade mas pela complexidade do além, do improvável, do forte cheiro de sabedoria, que marcam algumas existências precedentes as minhas.

É admirável certos poderes. Os mais fascinantes são aqueles cuja força vem do zero, do vazio, de onde não se imagina ter vida. Admiro a ascendencia e toda essa geração absolutamente inexplicável a que pertenço...embora furtivamente escondida dos mesmos.

Hoje me remeti, sem muitos esforços, a alguns anos onde essa "fortaleza" se fazia nítida e me senti feliz. Acho que o nascimento do meu sobrinho me fez repensar a importância do núcleo de familia. A sensação que adentra meus poros é semelhante a ventura de ganhar uma batalha. Onde se finda a seca e a destruição de uma guerra e começa a brotar os primeiros frutos do progresso.

Acho que isso se chama de um nome que ainda não conheço. Que livro algum ou conhecimento maior fez proferir tal palavra. Indescritível como o próximo segundo a passar. Fascinante e belo trajeto de voltas a vida. A mesma vida outrora fraca.

Dizem que as melhores construções são as de melhores alicerces e, por sua vez, mais elaboradamente lentas em estruturação. Acredito nisso. Sei que tudo que está do lado de lá da folha do calendário foi necessário. Hoje tudo se torna tão mais tranquilo. E me traz algumas esperanças esquecidas dentro dessa loucura vivida diariamente. Que bom. Que bom.

Meus computadores tem a mesma tela. De bolso, de trampo, de casa. Todos tem a mesma carinha. Isso é monótono mas me faz sentir referencias digitais.

Preciso dormir ainda...e acho que vou passar a virada do ano num retiro zen budista...meditando e tentando achar a meleca da paz cintilante...sem contar que terá certamente refeições frugais...tudo que preciso.

Meu segundo dia de dieta...a capsula do remedinho ta presa na minha garganta...a sensação é indescritível...pro lado mal obvio.

Preciso rezar para alguém. cultivar uma flor e voltar para dentro...sem contar que preciso fazer as unhas também. Mas amanhã quando Boolie voltar farei tudo...Bem mais feliz.

Não entenda. A vida muitas vezes não tem sentido nenhum, mas continua pulsando.

domingo, 23 de outubro de 2005

As coisas andam serenado dentro de mim. Meu ritmo enlouquecido tá mais calmo...E parece que consigo enxergar, numa fração de segundos, algumas soluções que preciso encontrar...Fui na casa da minha irmã esse fim de semana e foi bem bom...Não vejo a hora que meu sobrinho saia da barriga dela...hum...preciso organizar meu ano de 2006...essa semana começo...num tô animada...mas descansada...bjo

segunda-feira, 17 de outubro de 2005

Não tá fácil essa campanha do Bogu...tô na reta final e essa semana parece ser a última...as vezes acho que vou ter um colapso...

Iris indo para o trabalho.

_horroroso, horroroso, horroroso...
(olhando o portão de casa)

_horroroso, horroroso, horroroso...
(olhando o restaurante que almoça)

_horroroso, horroroso, horroroso...
(olhando o computador)

_horroroso, horroroso, horroroso...
(olhando, pasmem, o copo de água)

Na ida para o trampo tive a impressão de estar no Bronks pois vi um menino vestido assim...é bem normal eu sonhar acordada quando estou dormindo apenas rídiculas horas por dia.

Planos para o pós campanha:

*Ir pra Gramado dormir;
*Ir para Gramado comer muito;
*Voltar de Gramado e ir ao médicos cuidar de mim e ficar magra;
* Ir a Gramado mais uma vez;
* Dedetizar a casa;
* Boolie ser operadinha;
* Mander fazer as roupas que desenhei p mim;
* Fazer as unhas com frequencia;
* Procurar saber onde e como vou passar meu fim de ano;
* Dormir muito;
* Ver a Bienal;
* Ler minhas revistas mensais no mês correto;
* Ver meus amigos que abandonei e aqueles que ainda nem vi.

Aiai...se eu sobreviver...vi ser ma-ra-vi-lho-so

sábado, 15 de outubro de 2005

domingo, 9 de outubro de 2005

Desde cedo já dei 3 consultorias sobre loves, troquei idéias sobre design impresso, trabalhei muito o dia todo, morri de dor e não tomei remédio por não poder ir buscar, senti frio que não passava (e acho q era febre) e a única coisa que eu queria é um copo de leite quente na minha cama que eu não tivesse que preparar.

Enxaqueca pancadélic...e as unicas pessoas que se demonstraram solidárias são paulistas...Ninguém merece essa dor...caraca. Nunca mais vai passar.

terça-feira, 4 de outubro de 2005

O tempo...eu não canso de me admirar de suas incríveis e nada práticas, funcionalidades.
Me desculpe caso você se encontrar aqui, neste contexto...

Hoje me contaram de um amor novo, pela descoberta, mas antigo em existência. Até brinquei pois, como feitos do mesmo açucar...eu, pela lógica tinha direito de provocar suspiros também.

Buenas, mais uma vez, num nível mais "emsimesmado" de consciência, voltei uns longos anos atrás. Praticamente uns oito, reformulei as mesmas cenas antigas e repassei os contextos.

Dentro do cenário. Olhei o todo e achei graça.
A dúvida: Pode um amor quase adolescente ser real e durar a tempo? Me invadiu esse clima antigo e comecei a olhar o contexto atual, a revelação do momento como que um delicado tufão preso a tempos dentro das atmosferas estranhas do viver.

Achei graça novamente.Olhei para mim e lembrei do meu primeiro namorado. Dessa época onde se faziam suspiros de açucares familiares. Será que o amei. As vezes acho que, dentro dessa confusão toda que sou por default, não posso reclamar de nunca ter amado alguém, e muito e tanto...a ponto de fazer a vida atual seguir seu curso com graça matriz, mas sem as cores dessa época.

No momento em que vi a frase "pessoa certa", pensei no meu certo. Na minha pessoa certa. Ri de mim que não acreedito nisso e me perguntei porque fico só.

Espero meu primeiro namorado personificado num cara qualquer perdido nas ruas chatas de primavera...ou realmente não quero isso.

Me lembrei dos dias doces. De uma coisa que, ainda que primaria dentro de mim. Talvez nunca mais terá a mesma intensidade.

Senti saudades de mim, dos planos. Mais ainda da macia e confortante impressão que jamais tive, depois deste, de companhia certa.

Lembro-me que cheguei perto do casamento. Com o mesmo medo de hoje mas confortadamente certa da impossibilidade...seria tudo tão diferente..absolutamente tudo. Acho que não me sentiria confortável nesse futuro modificado que viveria hoje se, a tempos atrás, tivesse aceitado os fatos.

Ai comecei, como desarticuladora de romances que sou, a discecar a situação: Na medida das circunstancias da época, tudo era morno e acolhedor porque houveram sonhos, construções de esboços futuros e absoluto empenho para fazer as coisas acontecerem. Um ano intensamente vivido de buscas e de achados. Bem como de perdas e danos.

Olhando isso, percebo tão claramente a resposta da alma em relação a essa coisa toda. Coisa minha, deles, delas...o que faz diferença, acima de tudo é a qualidade das vivências, as trocas, as histórias bonitas e coloridas que marcam um capítulo a parte do enfadonho e indiscreto livro do viver.

Coisas que o tempo não traz de volta e que, por sua cruel sutileza nos damos conta. As vezes tarde demais, como aconteceu com os personagens do primeiro parágrafo.

Comigo? Não sei.
Penso que, a diferença entre nós é mínima mas definitiva: Amamos as histórias e seus
personagens. Nos seus cotidianos inesquecíveis se fez estilos, sonhos e vários desejos de felicidade.

Hoje resta a cinza fofa da lembrança e a vontade de ter alguma coisa com essa textura para tocar. Ainda que tudo esteja diferente, amadurecido, envelhecido pela correria diária que nos impede de sonhar. E a certeza marota vem brincar com as idéias: Não faltam gentes para amar, viver histórias e criar raizes. Falta a intensidade exata de bons relacionamentos.

Com doses de vontade de fazer acontecer, coragem para absorver tudo que dele verter e, acima de tudo, capacidade para recomeçar, se for preciso.

Afinal de contas, ainda que tentemos subverter a lei etérea que nos circunda, ela é exata em sua excelência: Ninguém é feliz sozinho. Dinheiro é pancada, sucesso é maravilhoso, familia é confirmação de existência mas, ainda assim, amar é fundamental.

Sem afetações teledramáticas ou passionalidades adoecidas mas pela simples e pura etmologia do sentimento descrito com realidade.

Ele se libertou hoje...e eu vi voar alguma coisa...e ela não voltará mais.

segunda-feira, 3 de outubro de 2005

Tava almoçando...e tava lotado o restaurante meio natureba que achei. Lembrando da minha "sina" da "síndrome de loiras burras". Tive que dividir uma mesa com uma criatura dessas. Perua para completar.

Bom...tirando o fato de eu ter engolido a comida rápido para não jogar no novo cabelo loiro acinzentado, que ela mesmo disse que havia passado a tarde toda no cabeleireiro para fazer, pude refletir...

Tô ficando sábia...refleti num papo animadíssimo com outra loira menos rich media...falavam muito empolgadas sobre seus namorados (da loira 'p' de pobre) e marido (da loira 'r' de ridícula).

Tavam falando sobre jogo de futebol na vida delas. Óbvio que o futebol, na visão dessas moças, é quase tão trágico quanto a perda que Dário teve, do território da Babilônia para o império Macedônico...buenas...

Achei hilário como as pessoas tem opiniões distintas sobre relacionamentos. A mais velha dizia para a mais nova começar a colocar rédeas e não deixar o cara ir ao futebol porque senão depois que eles se casasem seria sempre assim...e aproveitava e dizia que quando ele (o marido da esposa r) sai para o futebol ela (a esposa r) ia ao shopping gastar dinheiro e ficar bela (eu acho q é perua...mas...)

Moral dessa...não sei se é porque tive meninos em casa e cresci com eles e porque trampo com eles até hoje mas...acho que isso é uma grande tempestade em copo de água. A parte de "colocar rédeas" achei tão primitiva...como se rédeas significasse amor, fidelidade...sei lá...acho que cada um tem q ter suas escolhas...rédeas...homens com rédeas....tsc...tsc...não que eu seja machista, ao contrário.

Eles são particulares demais para se querer dominar...assim como nós meninas...sei lá...fiquei imaginando a neuras da tia tipo "r" com esse marido. E a futura esposa que dará a tia tipo "p"...na verdade não tenho cacife para opinar nisso afinal, meus longos namoros juntos não dão dois anos...mas sei lá...rédeas...coisa de cavalo...melhor é braços, beijos e noites...sei lá...loiras complicam a vida de todos ao redor...tsc...tsc...

sexta-feira, 30 de setembro de 2005

Fui no medico...pilhas de exames para verificar o corpitcho...aiquesaco...ja comi agora pouco e amanhã não vou poder fazer exame de sangue...marquei nutricionista p ver se como direito...e vo no dermato também...e dentista... Isso faz parte da campanha cuide de Iris...

Esse ano eu praticamente não fiz nada que não fosse empreender...to dando um tempo,motivada pelo stress atipico e a vontade absurda de ir pra sao paulo...resolvi tomar medidas emergenciais, visto que a minha previsão de saída desta terra está, se acontecer, daqui 2 anos. Vou diminuir minha agenda, cuidar da minha saude, além do kenjutsu vou fazer outra atividade fisica e de repente, tentar viver mais calmamente...planos para o ano que vem.

Ano que vem vai ter que ser mais lento, quero me dedicar direito ao kenjutsu e dar aulas uma vez por semana apenas...buenas... to comendo maça desidratada, mas antes tomei sorvete ades...medidas de segurança de medidas...hihi.

Falando em segurança...a galera da burguesia paulista me achou...é estranho ter contato com mues amigos antigos...mas é tão confortante...eu devia ir a sao paulo e passar um mes lá...entre interior e capital...seria bom...

Buenas...bom mesmo vai ver fechar o ano de bogu.
Fui

quinta-feira, 29 de setembro de 2005

Há algo que me empolga absurdamente...dois algos na real...que me tiram o foco "voodoo" que se instalou em minha cabeça analitica e investigativa: Meu Bogu, que me breve terei e a palestra para meus aluninhos.

A palestra vai ser bem legal pois vai entrar diretamente no foco da nossa vida como cidadãos...aiaiaiai...me senti util p meus queridos alunos depois de tanto tempo no limiar da "meiaboquice" por causa desse excesso de trampo que tem acometido meus ultimos meses...ô semestre pancadão!
Isso tudo graças ao fofíssimo fofo-fofo do Edu! Brigada Edu!!!

E o lance do Bogu é fruto direto do excesso de trampo...vai ser legal...vou até no medico amanhã pra dar uma olhada no esqueleto ver se tá tudo OK para dar prosseguimento a meus treinos...

Buenas...minha enchaqueca voltou muito hard core...vo lá nana.
Meia noite agora. Se faz silêncio neste início de madrugada, desta ultima quinta feira do mes, nas ruas boemias da cidade baixa.

Cheguei a pouco do teatro nô. Aproveitei a súbita e inesperada falta de sono e limpei toda a casa com direito a lavar banheiro...agora tô aqui...escutando o noticiário chato com as novas velhas e óbvias notícias, com a Boolie dormindo toda bonitinha.

Tudo está calmo. Mas eu sinto um vazio...é estranha a sensação de arrependimento absurda que me envolve. Uma tristeza sem pouso e a intensa vontade de estar em São Paulo...com os meus, que me conhecem, exatamente. Onde não preciso viver a mentira que me inventaram...

Tenho encontrado tanta gente naquela meleca do orkut...tanta gente especial que fez minha adolescência tão fantástica..boboca sempre...mas linda...pq foi a única que tive.

Era tão legal ter amigos para dormir em casa, levar bronca e conselhos das mães e pais deles...o que mais sinto falta é de história...

E hoje, justamente hoje, quando tudo já estava difícil e eu tentando rir e fazer tudo de modo a esconder a vontade imensa de silenciar que há...hoje tudo se fez sem importância. Por frações mínimas de tempo eu quis voltar, esquecer essa coisa de vida ganha para trás e voltar...

Estar naquele meio onde um discreto olhar já falaria muito a tanta gente... Não gosoto do anonimato dessa sociedade que estou inserida. Não os entendo e eles também não sabem quem sou. E os poucos que vieram a saber não acreditaram.

As lagrimas caem e eu me recuso a acentuar e colocar maiusculas...por causa desse descompasso nada disso tem sentido: gramática. Hoje, só hoje eu iria até salvador, rio preto, portugal, washington, sao paulo...me encontrar, ter referencia.

Não quero mais isso aqui...não sou forte não. Nada forte...fracamente humana. preciso de referencias...porque esta chegando perto o momento em que eu não saberei mais quem sou. Hoje to perdida...absolutamente perdida e morta de saudades dos meus...impress~~ao de guerra...tragédia decora meu humor agora.

Não queria ser ingrata...mas não quero mais aqui...não quero. Quero ir para casa.

terça-feira, 27 de setembro de 2005

Eu gosto muito das pessoas...ainda mais quando a gente muda de tamanho ao conversar sobre coisas simples, sem maiores intenções por trás das palavras.

Hoje na hora do almoço, sem intenção nenhuma, cresci, levei bronca, aprendi lições e mudei rotas de ação. Tudo por ouvir...tô mais leve...e as vezes as pessoas não se dão conta quão importante é comunicar.

Tô impar.

segunda-feira, 26 de setembro de 2005

Era uma vez um Japa man de rolha de vinho que vivia em cima do computador...ai ele resolveu sair e usar seu jo até encontrar Boolie Boolie: A tigrinha empoeirada...

Hoje em dia ele esta careca e sem jo e sem uniforme...

Ele preferiu não possar desta vez e pediu para que publicasse uma foto dele, ao lado das bolachas de gergelim, em seus aureos tempos.

domingo, 25 de setembro de 2005

Tô cheia de hematomas...quer dizer...nem tanto assim...Mas pra uma coisa branca elas estão muito em evidência...coloquei armadura ontem no treino e lutei...bem legal...mas é estranho e dá uma certa sensação de astronauta aquela roupa...Voce não ouve direito, não tem visao lateral...apanhei ...horrorres...hihi...

Leituras da Iris:

- Carta Capital (O Mino agora é meu herói);
- Primeira Leitura;
- Isto é e Veja (tinha que ser um pouco pop).

(se meu primeiro e unico "ex" gaúcho ver isso...certamente se apaixonaria)

Tô tentando preparar uma palestra expositiva da situação do Brasil...aiai...quero só ver se vou conseguir ficar sem opinar...

Voltando ao kenjutsu minha perna tá com super batatas...e meu pop's mudou...tô achando estranho...só cinco meses de treino e já to diferente...isso deve ser uma motivação p perder a barriga...hum...mas ta tao bom meu frango com batatinhas queimadas...

quinta-feira, 22 de setembro de 2005

Correria.
É isso que tenho dito a todos meus amigos...
Cortei meu cabelo para um corte mais pop e assumi meus "curls"...Hum...Minha gata enlouqueceu e agora ataca meu maneko, meu japaman, minha hellokitty e e meu alien de cima do monitor...estressada pela minha ausência...

eu:praticamente uma mãe sem coração...vou dormir...to com soninho...bjo
...

...acabei e achar meu maneko...nas patinhas insensiveis de boolie boolie...tsc...tsc...chutando o proprio semelhante...acabou o amor no mundo...fui.

domingo, 11 de setembro de 2005

Ainda na fase cor de rosa...tenho me lembrado da minha vida em sampa. Exatamente no periodo que eu transitava entre Porto Alegre e Capital paulista. Um carinho tão grande por essas vivencias me invade.

Também me lembro da conversa básica e rápida que tive com o Sempai. Cara muito sábio...pois é...

Tô muito reflexiva...e tento entender porque a Boolie Boolie põe todos os brinquedos dela na agua e depois fica tirando...ela quer limpá-los? brincar com agua?...Teoricamente ela é um gato.

E, ainda teorizando, gatos não gostam de agua. A Boolie é estranha...bom, pelo menos ela não arranha as persianas e deixou de lado meu hakama...

quinta-feira, 8 de setembro de 2005

hoje eu tô muito feliz...uma dessas felicidades raras que, sem motivo aparente, chega, se instala e fica folgadona reinando absoluta.

Embora tenha me dado conta da realidade filme cult que eu adquiri, onde nada é muito glamouroso e nem sempre com finais surpreendentes e felizes. De repente, por este motivo me tornei leve e receptiva a meu estado atual de ser.

Portanto, nessa celebração a "não sei o que" interior estou calma, de certa forma plácida e tranquilizada.

Isso é ouro e diamantes nesses dias turbulentos e sem fim que insistem em acontecer.

Amo tudo como se nada realmente tivesse menos importância do que o ar. Uma gratidão transborda daqui de dentro para vazar por todos os cantos.

É bacana, extrasensorial e nítido. Se instala e ferve. Ainda bem que vivo para sentir isso.

É isso aí. iris cor de rosa na área...;)

terça-feira, 6 de setembro de 2005

pior que procurar banheira com trocador de bebê é achar, comprar e carregar...

quarta-feira, 24 de agosto de 2005


Eu tenho um sonho: Colocar todas as minhas contas em débito automático e nunca precisar cancelar.

quinta-feira, 18 de agosto de 2005

Hoje na aula rolou um stress do professor que dá aula depois de "eu"...perdi a hora e fiquei alguns minutos a mais...ele entrou brabo, vermelho (acredito que de raiva) e não respondeu minha indagação a respeito do exceder do horário...Ai lá fora a monitora disse que ele ficou cabrero mesmo...se fosse eu a coisa nem teria chegado a stress...eu entraria no meu horario como sempre faço...mas há pessoas e pessoas...

Eu por exemplo sou uma pessoa estranha...ou quem sabe esteja começando a ter sintomas de gente normal. Fiquei chateada com o "chatear" do professor...semana que vem vou colocar meu cel para despertar na aula...Mas não é essa questão...O engraçado foi a imensa vontade de contar isso a alguém...

Pensei em ligar paara o Du, depois para a Cris...e depois para a Claudia (irmã)...achei ridiculo e voltei pra casa para ver a Boolie Boolie brincar com seu mais novo brinquedo: Um macarrão caracolino.

Nessas eu me descobri tão carente de atenção. Nãoc arente de homem. Veja bem, nada a ver pois eu queria mesmo era uma avó para contar essas coisinhas corriqueiras...coisas que não se fala para psicologos pois acontecem todos os dias e assim quebraria bolso de qualquer ser humano...

É estranho...foge do meu padrão "acima do bem e do mal"...sei lá...deve ser tpm...vove tv.

domingo, 14 de agosto de 2005

Saca o momento...hihi


alta psicodelia...

sexta-feira, 12 de agosto de 2005

Preciso de uma conexão banda larga urgente!!!! por tv, radio, telefone, jornal, revistinha em quadrinhos...sei lá
O que não tá dando é trabalhar com marketing digital (ela se sentiu agora...0 e não conseguir mandar um email na hora que precisa!

Bom...acho q é isso...conexão discada é uó...e olha que nem moro em lugar escondido para não poderem instalar...Nem a meleca da Telecom pode trazer uma bandinha larga para mim!! è o fim dos tempos...

e eu já sei como será o ponto culminante do fim de tudo: A imensa construção na frente da minha casa vai ser uma casa noturna gigantona...Meu...moro no térreo...deu-se a tragédia...putz...tô até vendo...palhinha no teto...construção disforme...e vai abrir logo...

É...acho bom eu arrumar um emprego lá para as noites de sábado pois, já que não vou dormir mesmo...ao menos faço algo...essa cidade baixa é surpreendente...vamos orar para que não seja pagode...porque ai eu me mato.

Fui...

domingo, 7 de agosto de 2005

Hum...dias chatos...na real a chata sou eu. perdi meu treino por causa da pedicure....isso só afirma que sou mais mulher do que samurai...imagina se meus coleguinhas iriam se preocupar em deixar os pés bonitinhos porque ficam descalços no treino...Mas...olhando pelo lado positivo...eu pelo menos tenho a noção de não deixar as unhas coloridíssimas no treino...só base...não sei...mas acho q se for muito "menina" não absorvo muito a parada...Mas fiquei chateada comigo...poxa...por causa da pedicure...ainda que ela não passou esmalte...sai correndo e não deu tempo...

Essa cena, revista, me lembrou um seriado que passava na TV quando eu era pequena. Duma policial que tva na pedicure e viu um assalto (acho) e calçou a bota na correria...a cor do esmalte era vermelho e até hj fico imaginando o estrago...hihi...

Eu fiz algo semelhante mas com tenis e base apenas...Sei lá... No mais giboiei o dia todo e nada de util fiz...amanhã é dia de guerra...hihi

Vi a Boolie enlouquecer e fazer sons para chamar atenção...fiz creme de ervilha (meu predileto) e macarrao tropical ( em pleno 8° de temperatura) e só...

Tédio...ó a foto da loka da Boolie...tsc..t.sc...loka loka...

sexta-feira, 5 de agosto de 2005



No attorneys / To plead my case
No orbits / To send me into outta space
And my fingers / Are bejeweled
With diamonds and gold / But that ain't gonna help me now

You think your right / But you were wrong
You tried to take me / But I knew all along
You can take me / For a ride
I'm not a fool out / So you better run and hide

I'm trouble / Yeah trouble now
I'm trouble ya'll / I disturb my town
I'm trouble / Yeah trouble now
I'm trouble ya'll / I got trouble in my town

terça-feira, 2 de agosto de 2005

hoje eu me peguei pensando em alguém que não deveria pensar mais.
Me flagrei revivendo os planos que eu, sem perceber, fui criando
sozinha...na verdade nunca sairam do mundo das idéias.

Sonhei, logo pela manhã, que me pedia desculpas por tudo que havia
acontecido...isso me valeu uma boa parte das horas pensando,
refletindo, tendo saudades de um passado que não me fez nada bem e
que hoje está enterrado porém cheio de vontade de reviver.

Me senti tão fraca, insegura. Tudo aquilo que pensava a meu
respeito se foi e complexa vontade de chorar culminou em lágrimas
de saudades.

Saudades de não ser feliz? Saudades das idéias? Não sei ao certo. A
única coisa que sei exatamente é que se não houvesse um pouco de
amor por mim aqui dentro, já teria mudado essa história...mas o
final ainda seria infeliz.

Há uma discreta e continuada dor dentro de mim. Mas há, em
contrapartida, a certeza da minha melhor atitude.
Não acredito em amor ha muito tempo. E me vejo tão envolvida por
essa lembrança nem tão velha, mas intensa e cheia de promessas de
mudar conceitos, promessas de acreditar em amor e ainda mais, que
existem pessoas que encaixam na nossa vida perfeitamente.

Então...a realidade é uma única e preciosa pérola negra e o Guaíba
na zona sul é perfeito! Preciso ir mais vezes para aquele
lado...mas hoje estou tão fraquinha...poderia ser os exaustivos
exercícios e a dieta maluca mas é fraqueza de mente...quando me
deparo com saudades de um tempo ruim de falsas promessas não
consigo me entender.

E lamento pelas pessoas que entram atualmente na minha vida. Tenho
tentado tratá-las com muito carinho mas sei lá...me desanima o amor
entre homem e mulher...porque eu tenho certeza, dadas as minhas
vivências, que ele não existe.

Queria menos racionalização dentro de mim e menos medos. Hoje
queria muitas vontades de muitos recomeços...só isso.

sábado, 30 de julho de 2005

eca!!! teve mini torneio...tô péssimamente condicionada.



Dona iris feia-feia...empenho! Nada de "peruísses"
Caracas! Porto Alegre só existe pq o interior existe! Todo mundo daqui não é daqui! Bom...antes do interior do RS do que do nordeste que nem na minha terra...uó

sexta-feira, 29 de julho de 2005

Definitivamente eu sou uma pessoa dada a reflexão, quase, ousaria dizer, que entro em estado meditativo muito facilmente.

Não sei se, dada a discreta solidão disfarçada de independência total a que me (dadas as necessidades de "parents less")foi confiada, passo horas meditando a respieto das filosofias da vida, a entender o mundo, óbvio que não chego nunca a nenhuma conclusão brilhante.

Fico a rever minhas atitudes e, ao mesmo tempo tentando crescer como ser interior. Por esse motivo também quis aprender a técnica dos samurais e achar o meu "bushido".

Ando lendo muito. Sempre leio muito e adoro particularmente um tipo de leitura: Aquelas que trazem arquétipos para o dia a dia.
Acho muito interessante, quando a construção do personagem é mítica (ou não, muitas vezes) e a narrativa é envolvida por vaárias questões diárias, disfarçadas de ilustrações simples. Sim, esse tipo de leitura tem um efeito interessantíssimo de simplificar algo complexo que é a vida.

Quando eu era adolescente adorava Shakspeare. Li todas as obras dele (acho até porque era o meu romantismo dando seu último suspiro), numa idade em que a gente me mesmo certos sonhos e hormônios que cooperam para que a vida tente ser vista com flores.

Depois tive a fase política e filosófica onde Neruda me acompanhava a academia e ao dormir lia Josh Garden.

Depois de um tempo, comecei a me interessar por mitologia. Li muitas histórias gregas, romanas e desta época em diante comecei a fazer o paralelo que deu origem a todos os arquétipos que elas guardam dentro de si. Lia a biblia e sua vasta extensão de alegorias...bacana isso.

Acho que por ter essa vontade de interpretar e trazer para o real as coisas lidas é que nunca consegui seguir a religião da família.

Viajei muito lendo Tolkien que me impressionou ao construir um mundo totalmente diferente e muito próximo da vida de alguém que tem objetivos...alias...achei um excelente livro de auto ajuda (e olha que odeio auto-ajuda).

Li Su tzu, e agora leio Yoshikawa e algumas outras coisas paralelamente que me fazem refletir muito sobre nossa capacidade de transformar, de ser vanguarda da nossa própria vida.

Me sinto só. Por ter essa filosofia e viver numa sociedade onde o comodismo se faz mais fácil e operante. É fácil não amar, é fácil não ser feliz, é fácil não vencer. Porque isso demanda ter coisas "novas" adentrando nossos reconcavos escuros e conhecidos. E ao mesmo tempo, vivo esse comodismo.

Sei lá...Me deu vontade de virar monja e viver de reflexões...mas ao mesmo tempo pensei que teria que vender o pouco "tudo" que tenho para buscar um mosteiro zen...ai seria coisa de burguesa, coisa de menina querendo aparecer.

Ai olhei para o meu tudo. Minha vida até aqui, as conquistas e os muitos minutos de copiosas lágrimas quando a guerra se fazia de dentro para fora, até conquistar meus objetivos.

Lembro da faculdade quando a Agatha me chjamou de "guerreira" e eu retruquei que não tinha nada de guerreira e sim de teimosa.
Nessa época meu estilo vida foi ao chão, minhas bases se fortaleceram e comecei a entender a importância das metas na vida da gente. Comecei a ver os arquétipos transitando na minha memória cada vez que uma situação complexa, a primeira vista, se fazia real.

Hoje sou um bushi mesmo, tentando entender a arte da espada, buscando meu caminho, minha paz interior. Engraçado...isso me faz pensar que todos somos um conglomerado de bushis. Hora muito sagazes, outra já nascendo com o titulo honrado (por honras ancestrais), outras extremamente hipócritas viendo uma paz forjada e outras tentando dia a dia chegar ao seu do.

Estranho tudo isso. Estranho me ver assim, nesse exato momento onde eu acabo de voltar de uma "polentada" de amigos realmente queridos...estranho me imaginar tão só.
No sentido de tantas questões interiores a resolver. Nada externo pois tenho amigos e sou amiga...mas é aquela calada que a mente dá, quando há coisas para se organizar e se refletir.

Temo olhar mais a fundo dentro de mim, e enchergar uma pessoa deformada pelas fatalidades e pela própria característica instintiva de refletir. Temo encontrar um ser frio e distante, contrapondo com a docura refletida em atos e declarada pelos que convivem junto.

Tenho medo de encontrar valores distorcidos e medos infantis. Um duo antitético brigando dentro de mim.
Não sei...temo ter que reaprender uma série de valores que se perderam.E temo não acreditar nunca mais em certos sentimentos.
Essa é a luta. Hoje me sinto bushi dos valores e sentimentos deturpados que se formaram dentro de mim. Conheço a raiz, respeito a forma de sua ação em minha vida e temo ficar acomodada de forma a não querer crer novamente e me perder na densa nuvem vazia da frieza.

Temo não ter forças para lutar...aiquesaco...odeio essa reflexiva que mora em mim...preciso de futilidades...urgente.

quarta-feira, 27 de julho de 2005

Hihi...hoje foi um dia para desbravar...

...fui para cachoeirinha, depois gastei minhas fichas de onibus que
estão perdendo a validade (e tenho um monte delas) indo visitar
umas gráficas para um cliente.

Incrível como sou absolutamente descoordenada...me perdi horrores e
peguei vários onibus em que entrei e sai no ponto seguinte.

Totalmente sem noção espacial. BOm...não gostei das gráficas...o
mais engraçado é que, eu almocei no shopping depois de pagar minhas
contas e tomei pepsi (isso é extremamente diurético para uma iris)
e sai...

...lá pelas tantas entrei sabe lá como na azenha e tive fazer uma
solicitação (dizendo que estava gravida) para uma tia de uma
farmácia...o mais irritante é que ela acreditou e me emprestou o
banheiro...será que tô tão gorda assim? Que coisa...

deveria ter perguntado a moça de quantos meses ela achava que eu
tava...mas isso poderia ter me traumatizado...sabiamente não
perguntei...mas não gostei dessa parte

...aprendi com minha irmã gravida...ela para de lugar em lugar e
pede banheiro emprestado...o saco é achar alguma coisa legal
naquela avenida...putz...

Mas hoje por ter madrugado fiz muita coisa e até limpei a casa bem
limpinha...coisa que andava meio preguiçosa...preciso continuar
acordando cedo...

Tô começando a sacar a cultura samurai no seu aspecto
histórico...tipo criação de estilos de luta e talz...mesmo a
respeito da era Menji, sa queda do japao feudal e até a parada das
mortes de muitos pelos samurais da "resistencia" ao novo regime...

...começo a entender muita coisa do kenjutsu que pratico (aliás,
relaxadíssima sem saber dar passos largos e com o cote muito dos
meia boca)...

...só que confesso: Quanto mais aprendo, mais tenho q me
esforçar para traduzi-lo a minha realidade ocidental e também
controlar minha absoluta vontade de perguntar milhões de coisas aos
sempais...

Uma vez o Sempai Joel disse que o oriental aprende olhando e não
pergunta muito...no meu caso, acho que vou aprender lendo...amanhã
vou ver um curso de japa lá na ufrgs, no campus do vale...ai
aproveito e visito meus amigos mestrando e descubro onde posso
achar o manual de redação para vestibular...

...tá mais fácil achar petróleo dentro do meu banheiro do que esse
livrinho.

Logo vou ter base para escrever um artigo para o jornal do
instituto. Já tenho a tônica na mente...falta o conhecimento que
estou buscando...hum...

...um amigo meu me deu um dvd cheio de samurai x...hihi...tô
assistindo tuuuudo e vou aprender a cantar uma musiquinha em
japa...Bom...olha que maravilha: Dona de casa (que faz até bolo
fofo), designer, mãe de uma sombrinha pula-pula que toma chá de
camomila (Boolie Boolie)e samurai.

Tuuuudo de bom! Falta uma coisa...só uma...

quinta-feira, 21 de julho de 2005

Hoje foi muito legal a aula que dei...as vezes não entendo como posso falar com propriedade de certas coisas...

Amo essa coisa de dar aula...Não tiro o design da minha vida por nada...mas tb não vivo sem lecionar...sem remuneração...nem tem problema...mas isso é muito importante para mim...

Nunca imaginei que seria uma professora...caramba...nada como um dia após o outro para mudar rumos e conceitos...por isso que é mó barato viver...no dia seguinte sempre tem uma surpresa...basta a gente fazer dela boa ou ruim...

A Boolie toma chá agora...medidas para enfrentar o frio que resolveu aparecer...sopa e chá na mente...Beijocas

sexta-feira, 15 de julho de 2005

Olha...não sei avaliar a extensão dessa coisa toda...TÔ MUITO NERD!!! Daquelas de perder a noção da temperatura do dia!!!

Fazem 3 dias que fico programando, programando...programando...html lógico...(semana q vem é php...vou morrer)...Hoje fiquei até tonta quando fui na ufrgs de tanto ver gente...coisa de caipira mesmo...vejam só: Nerd caipira. Uó.

Aliás...parece que realmente os abalos da saúde resolveram vir dar um alô...para não dizer que é coisa de idade...meu...faltam pouco mais de 10 anos p eu ter 40 anos!!! Já pensou? E passa tão rápido...Ainda lembro da minha familia (viva) em Sampa como se fosse hoje (e isso faz 16 anos)!!!

Que loucura...mas o fato se dá a meus ossinhos q resolveram não cooperar...só quero ver na hora do kenjutsu...aiai...se eles não se comportarem e eu não puder treinar acho q vou, pela primeira vez (em público, óbvio), chorar desconsoladamente...

Resolvi e vou começar a fazer dieta para cuidar dos ossos. Mal não vai fazer...soja e levedo na veia...hihi...

No mais a Nerd véia e cheia de dor tá na boa...mas se eu não tivesse tanto freela para fazer (nem é tanto assim...é exagero pró mentalização positiva) estaria enlouquecida...a TV é muito chata e como a 2 anos eu não tinha contato permaente com as programações, estou ficando muito...digamos que...entediada.

Minha realidade de noticiários locais era muito diferente dos daqui. Acho que é coisa de cidade pequena, sei lá...mas acho engraçado como eles não tem muito assunto para um telejornal de meia hora local...são hilárias as informações que, algumas vezes, a gente ve..

Ainda bem que tem Lilo e Stitch...se bem q to começando a ver a novela das 6...aiaiaiaiai...o que meus alunos vão pensar se souberem que eu ando assistindo novela...tsc...tsc...

Mudemos de assunto...vou ver a Boolie q esta a meia hora dentro do banheiro...temo que ela tenha aprendido a tomar banho sozinha...bjo

terça-feira, 12 de julho de 2005

Voltei de viagem...minha dura realidade que essa semana se impõe altamente complexa e trabalhosa...tô de trampo até a tampa...Isso é bom...não reclamo aliás, adoro essa parte. Não vejo a hora que a Boolie Boolie volte do hotel...saudades do meu bebê.

Mas sabe...acho que esses dias me deixaram saudosa da minha realidade básica e sem firulas. É muito legal estar com os seus...é fato. Adoro essa parte muito embora a "garotinha esperta (fria)" saiba de alguma forma que isso tudo é uma carência passageira das partes envolvidas...mas é legal.

Mas de tudo, quando tava lá...longe da minha realidade e comendo mais do que devia (minha irmã faz um pão pancadélic) percebi que algo isoso e sem vida estava acontecendo: Tô sem objetivos...me percebi tão monótona...exatamente do jeito que eu nunca fui...é engraçado pois meus primeiros objetivos vieram a tona como uma egotrip...sempre que saio de casa a realidade se faz presente...eca...eca!!! Mas tenho que encarar o fato.

Bom...acho q vou prestar mesmo novo vestibular e to criando novos desafios para minha vida...visto que estou em falta deles...mas confesso que deu vontade de largar tudo e sair procurando como eu fazia antes...nunca achava...mas ganhava uma bagagem cultural-geográfica bem bacana.

Pois...hoje estou muito "sacalizada" e nesse dado momento, para aumentar a dose de "sacalismo" tô falando com uma mala sem alça que me remete a pensar que tenho uma personalidade de bocó...ô vida...espero que seja tpm...vou lá...tô irritada...

quarta-feira, 6 de julho de 2005

A não...essa minha nova vida tá me deixando preocupada...agora resolvi fazer dieta...na real...odeio dieta...mas vou reorganizar minha alimentação...tô ficando gorda demais...não que eu algum dia tenha sido magra...mas há limites e o meu ó...já foi...

Vou para Gramado me sentindo gorda...que raiva...quando eu tava na loucura diária nem parava pra pensar nisso...grrr...ócio...I hate u...meu medo é ficar idiota...mas bela...uma beleza de idiota...hahahaha...tenho q malhar e treinar os katas do kenjutsu e tb o vocabulário japa...

Estou quase me irritando com esse ócio e com os meus horários feitos por mim...Espero não chegar a conclusão de que preciso arrumar um trampo alternativo...hum...se eu pudesse escolher um trampo alternativo queria ser cozinheira...ou professora (mas isso eu ja sou então nao vale)...hum...bar tender tb é uma...hum...ou trabalhar na atento...sei lá...vou fazer a logo da Veterinária...bjo

hum...umas fotos que tirei agorinha...


Meu guarda roupa:


Boolienha...minha bebê:

segunda-feira, 4 de julho de 2005

Hehe...essa noite foi engraçada...culpa da Boolie que fica pulando em cima de mim...ô gata tantã...

sonhei com todos os meus pesadelos personificados...foi muito engraçado...e sonhei que tava grávida também acho q de tanto ficar falando com a minha irmã no telefone...fui dormir impressionada e me prometendo que nunca teria nenê...ai já era...sonhei que tava gravida e vivia desmaiando...a sensação de peso na barriga é muito "alien"...

No mais meu fim de semana foi simpático. Chegou meu uniforme do kenjutsu e agora eu sou a samurai de arroz (devido a forma"saquinho de arroz" que o uniforme me dá)...o Xandi disse que ficou legal mas

acho que ele queria ser simpático apenas...mas ele conseguiu...hihi...Fui ver Madagascar e ri muito obviamente pois sou uma boba alegre...as vezes eu acho q devo ter um dispositivo interno que libera drogas de tempos em tempos no meu organismo...só isso justifica tamanha vontade de rir de coisas que ninguém ri...tsc...tsc...nem as crianças...

Fiz a logo da clínica e amanhã vou mostrar p a doutora...espero q ela goste...a Boolie tá bem maluca e come pão de queijo...

aqui chove...preciso achar alguem p me substituir quinta na ufrgs pois vou viajar...hahaha...não esqueço do meu sonho...grávida...pior que o pai era a pessoa mais nada a ver que eu ja vi e nunca na minha vida eu sequer olhei p esta criatura....

todos os pesadelos juntos...hahahahaha...que viagem...

quinta-feira, 30 de junho de 2005

Pois é...essa uma semana de vida em casa me fez uma outra pessoa...seria uma pessoa melhor se não tivesse acontecido alguns inconvenientes como a quase perda de dois dedos por conta da instalação do cano de gás do fogão, acrescida de uma perda razoável de sangue...

infelizmente não poderei doar o dito até que esse desfalque seja resolvido...Mas de tudo isso estou excelente...temo apenas ficar sem assunto e começar a falar sobre os preços no supermercado e sobre minha filha...aliás...Boolie Boolie tem hábitos estranhos por suposto...toma banho dentro do box do banheiro (suposto box), morde meu nariz as seis da manhã pontualmente e diariamente (coisa que notei essa semana apenas...isso é grave), roubou minha capa de tigrinho do celular e meu travesseiro em forma de cavalinho para brincar e o mais incrível de tudo: Ela mia.

Essas descobertas me fazem perceber o quanto precisava estar em casa para acompanhar o crescimento da bebê que está com otite e tem uma doutora só para ela que eu ligo quando não entendo seu pequeno comportamento felino...aliás...vou fazer a publicidade da dela (doutora nao da gata)...quero ver se faço até, audaciosamente, um design de interior para a clínica nova.

Se não fossem as pequenas reuniões e os almocinhos de negócios eu iria me sentir a própria dona de casa.
Bom...nesses dias não dormi até tarde como previa...mas limpei a casa (isso me deslocou a coluna e preciso urgente de massagem), fiz comida caseira (feijao marrom!!!! dois anos que não comia esse primor da cozinha paulista), organizei meu armário, a mesa do computador, coloquei agua potável para eu beber (sem amebas no intestino), arrumei o banheiro (faltam os ultimos retoques)...

Hummm...coloquei o cano do gás no fogão (mas essa parte foi ruim...cortei profundamente dois dedos importantes), e olha que máximo: Coloquei o varalzinho suspenso no lugar certo (obvio que com algumas inovações dada a minha estrutura feminina com dois dedos importantes a menos no momento),,,tudo bem que ele não suspende...mas tá numa altura boa...

Lindo tudo isso...tô ensinando a Boolie a usar coleira...mas primeiro tive que aprender a colocar a coleira nela...tadinha...sofreu com essa experiência (a coleira é de peito por isso a dificuldade...o pescoço eu sei onde fica...).

hum...to cuidando da minha pele e sendo futil comigo mesma...me olhei no espelho e vi aquele horroroso arquipélado de sardas e aquela mancha babaca e resolvi tira-las dali...e aproveitei e resolvi rejuvenescer...tô com cara de acabada...eca! A moça na rua me deu 28 anos...devo tá com a pele podre...mas agora não estará mais...to fazendo um tratamento intensivo...meu auge da futilidade...mas preciso me sentir bonita...hum...os cravos ja sumiram...maravilhoso!

Bom...lendo muito, assistindo um pouco de tv e brincando com a Boolie...meus dias...Amanhã a noite vou na lima com minha amiga paulitcha fofocar um pouco...

Hum...o ruivinho virou a cara p mim hj quando eu voltava da UFRGS... certamente não me reconheceu por causa do meu rostor enovado e de aparencia jovem...hihihi...

Vô lá...tenho que ver uns email e talz...Semana que vem acho que vou p Gramado ver a irmã...êta vidinha boa...na real...há muito tempo eu não sabia o que era isso...Eba!!!

sábado, 25 de junho de 2005

Ganhei o Mini torneio hoje no treino!!!
Praticamente uma samura "cut-cut".
Hoje a Boolie está surtadíssima e eu comi demais.

Fiz Minha primeira compra do mês depois de ter me mudado...Agora comerei comida de verdade...mas tenho sérias impressões de que exagerei demais nas compras...nunca achei que eu fosse descoordenada até para a vida doméstica...

Mas...falando em doméstica, amanhã vou dar uma geral no meu lar que está quase caótico...e todos sabem que do caos surge a vida (em tese) e eu realmente não quero comprovar isso, mesmo porque, do jeito que sou azarada a unica vida que surgiria é a da "Periplaneta americana"...

eca...eca...eca...

Vou assistir filmes românticos e nojentos (todo amor é nojento...minha nova "single filosofia") e ficar comemorando silenciosamente minha pequena vitória nos "men, cote e do" do mini torneio...

...e eu nem queria ir hoje por conta da meleca da enxaqueca e da caca feia-feia do "depois da tpm"...ainda bem q fui...ups...esqueci...tenho q mandar as fotos do torneio p o sempai...fui.

quinta-feira, 23 de junho de 2005

Cada vez que eu volto da aula nas quintas parece que eu cresço mais um pouco.

Hoje tava falando com uma aluna minha que escreve letras de música e veio de uma dessas cidades do interior do Rio Grande do Sul que eu nunca lembro o nome.

Tão cheia de sonhos e expectativas...Acho bacana essa coisa que a alma mais pura, com menos kilometragens e, consequentemente, menos amarga e ainda ousando sonhar alto, essa coisa que mesclam ingenuidade com vontade de fazer acontecer.

Olhei pra ela e me vi a um tempo atrás. Confesso que tive medo do resultado da vida dela quando passarem os invernos da sua vida.
Mas é de sonhos que a alma se faz...bacana isso.

Hoje ando meio cansada na real. Acho que por isso exitei em ver que ela pode ser muito mais que qualquer um q já tenha tentado.

Aiai...preciso de férias...e essas serão as melhores. Quero ler muita literatura japonesa, correr atras da banheirinha fofa para meu futuro sobrinho, ir para gramado ver o festival de cinema e o festival de inverno e ficar para dentro.

Tô a fim de cuidar da minha casa, da maluca gata cor de café que tenho e sonhar um pouco. Há muito tempo ando muito enlouquecida e alerta...

Quero relaxar e até ter um menininho ruivo para olhar na Lima e Silva toda quinta feira...sempre esbarro com esse ruivinho...que fofinho...
Depois de dias tendo a impressão de que havia algo errado com o blog eu, finalmente descobri qual foi: As figuras sumiram...tsc..tsc...vai ser descoordenada assim noutro planeta.
Tava em Gramado...todo mundo deveria morar lá...que lugar lindo...vou acertar as imagens agora...bjocas da sua anta desligada...(que carencia horrorosa...parece q tá escrevendo carta)

domingo, 12 de junho de 2005

Assisti novamente O ultimo samurai...
Pior que uma mulher em tpm é uma mulher em tpm pleiteando vaga de samurai.
Mas a noite foi boa e cheia de meditação....a muito tempo não conseguia esvaziar a minha mente. E isso não tem preço...vou cozinhar...hj to mó Amélia...bjoca

sábado, 11 de junho de 2005

O bacana de ter internet em casa é que dá exatamente pra fazer isso: Escrever quando se tem vontade.
To com meu olhar extremamente interiorizado, e acabei de voltar do treino, com esse olhar alterado.

É engraçado com as coisas se processam na cabeça da gente. Hoje faz um ano que moro em Porto Alegre e, sinceramente ainda não sei se gosto ou não. Mas vou seguindo como uma samurai e vivendo meus dias como se fossem últimos sem pensar para saber se gosto ou não.

Acho que o gostar, em todos os sentidos pode ser uma coisa progressiva e imediata ao mesmo tempo. Progressiva porque tem todo o processo de aceitação, costume e entendimento da "coisa" gostada. E imediato porque, no momento em que o seu eu aceita o afeto é rapidamente exteriorizado. Mas não é isso o que me grita aqui dentro.

Hoje no treino foi de um aprendizado mais interior do que fisico, como eu já esperava, afinal, não treino para sair cortando pessoas na rua, nem poderia pois nem empunhar a espada direito eu sei. Mas, como toda arte marcial fala de interiores, de força e talz...olhei pra dentro hj de uma forma que nunca havia olhado antes enquanto aprendia um kata novo. Um samaurai tem que ter em seu olhar a força necessária para dominar o oponente. Não é agressivo e sim firme, ter um unico kamae e talz.

Ai, conforme o Sempai falava fui trazendo suas sapientíssimas palavras para meu dia a dia e me enxerguei de uma forma que ainda não havia reparado: frágil e doce
(para não dizer, boboca). Acho que quase fraca.

justo eu que vivo fazendo correrias hard core para resolver minha vida.
Ai eu me liguei que tenho energia...mas me liguei que, com a concentração certa eu poderia ser melhor e menos afetada pelos golpes do dia a dia.

Ai me dei conta, novamente, da minha pequenês enquanto ser humano. E isso é lógico...mas dá revolta porque sou perfeccionista demais. Mas até ai tudo bem...o caminho da espada é complicado mesmo. Assim como o caminho da vida.

Na real, como dizem os sempais, a espada é vida...acho que aprendo a ser menininha samurai.
E ja reparei que pode existir um cara que me entenda!
Adorei essa constatação...hihi...Vou parar por aqui e encher meu amigo Dudu...Bjocas. Sayonara

terça-feira, 7 de junho de 2005

Essa é minha bebê...Boolie Boolie


segunda-feira, 6 de junho de 2005

Ai que lindo!
Depois de muito tempo um final de semana realmente incrível e bacanérrimo!
Não se iludam...nada de absurdamente diferente mas foi pancadão.
Sábado eu fui fazer minha primeira aula de kenjutsu.

Obviamente amei e estou toda podre e cheia de dores apenas no lado direito, por conta dos golpes e talz. Amei, ja tô com minha shinai em casa e agora vou virar samurai...hihi...Xandi fofo e querido vai fazer também.

A tarde a Josy foi em casa p gente preparar as coisas para o Sarau e a Boolie estranhou...hihi...alias, Boolie Boolie viu gente demais esse fim de semana.

Mais tarde a Cris foi lá e o Dudu e a gente foi pagar mico num bar totalmente nada a ver com nós. Mas valeu a companhia deles sempre legal. Mas somos mais hard core...deveriamos ter ido na festa do Gramos mesmo....acabamos por fechar a noite comendo esfihas do Habbib's com os adolescentes que estavam lá devido ao horário muito apropriado a classe.

Domingo acordei de ressaca e dor de cabeça por causa dos 2 copos de cerveja que tomei e a Cris e a Ale foram lá em casa pra gente almoçar juntas.
Troquei altas idéias com a Ale...saudades eu tava...acho ela tão cabeça...me deu altos toques...Jantamos, vimos filmes e foi legal.

Adoro meus amigos nerds e os não tão nerds...adoro.
Tô bem empolgada. O kenjutsu vai ser tudo de bom nessa minha vida básica.
Bjocas

sexta-feira, 3 de junho de 2005

Hoje eu acordei com um pensamento fixo. De tão fixo já conseguiu tirar um pouco do brilho do início do fim de semana.
Isto porque, num primeiro minuto me fez curiosa a respeito do efeito do mesmo dentro dos meus dias. Mas logo em seguida, flashes rescentes e nítidos me invadiram a mente e mostraram quão equivocada eu estive e estou a respeito de tudo oque fixa na minha mente.
Falo exatamente de conflitos e confusões. Quando a gente mete os pés pelas mãos achando que vai ficar tudo muito bem e isso acaba se revirando de tão forma que um pequeno inferno se instala sob nossos dias.
Estou fora desse contexto a uma semana. Sinto certa vergonha de um dia ter me envolvido nessas histórias que hoje percebo não terem nada a ver comigo. Vergonha porque, na burra ingenuidade que eu tenho, acabei tentando dar o melhor e mais uma vez, engraçado isso...a interpretação egoísta foi a resposta.
Tá...hoje é um post daqueles que escrevo quando estou falando comigo mesma. Não se preocupem em entender.
O fato é que isso passa. Mas hoje irá ficar rondando minhas idéias essa discreta vergonha e o único desejo de nunca mais ver e nem tocar.
Quero seguir meus dias na boa. Tem tanta coisa ainda pra empreender nessa vida de Iris básica...acho que não posso me dar ao luxo de parar e lamentar erros e infelizes coincidências para mim.
O desejo de felicidades e futuros bons continua sempre...Até o fim dos dias. À sua maneira.

quarta-feira, 1 de junho de 2005

"Dizem que conselho só se dá a quem pede. E, se vocês me convidaram para paraninfo, estou tentado a acreditar que tenho licença para dar alguns.
Portanto, apesar da minha pouca autoridade para dar conselhos a quem quer que seja, aqui vão alguns, que julgo valiosos.
Não paute sua vida, nem sua carreira, pelo dinheiro. Ame seu
ofício com todo o coração. Persiga fazer o melhor. Seja fascinado pelo realizar, que o dinheiro virá como conseqüência. Quem pensa só em dinheiro não consegue sequer ser nem um grande bandido, nem um grande canalha. Napoleão não invadiu a Europa por dinheiro. Hitler não matou 6 milhões de judeus por dinheiro. Michelangelo não passou 16 anos pintando a Capela Sistina por dinheiro. E, geralmente, os que só pensam nele não o ganham, porque são incapazes de sonhar. E tudo que fica pronto na vida foi construído antes, na alma. A propósito disso, lembro-me de uma passagem extraordinária, que descreve o diálogo entre uma freira americana cuidando de leprosos no Pacífico e um milionário texano. O milionário, vendo-a tratar daqueles leprosos, disse:
- "Freira, eu não faria isso por dinheiro nenhum no mundo."
E ela respondeu:
- "Eu também não, meu filho."
Não estou fazendo com isso nenhuma apologia à pobreza, muito pelo contrário. Digo apenas que pensar e realizar tem trazido mais fortuna do que pensar em fortuna.
Meu segundo conselho: pense no seu País.
Porque, principalmente hoje, pensar em todos é a melhor maneira de pensar em si. Afinal, é difícil viver numa nação onde a maioria morre de fome e a minoria morre de medo. O caos político gera uma queda de padrão de vida generalizada. Os pobres vivem como bichos, e uma elite brega, sem cultura e sem refinamento, não chega a viver como homens. Roubam, mas vivem uma
vida digna de Odorico Paraguassu.
Meu terceiro conselho vem diretamente da Bíblia: "Seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito". É exatamente isso que está escrito na carta de Laudiceia: Seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito, ou seja, é preferível o erro à omissão, o fracasso ao tédio, o escândalo ao vazio. Porque já vi grandes livros e filmes sobre a tristeza, a tragédia, o fracasso. Mas ninguém narra o ócio, a acomodação, o não fazer, o remanso. Colabore com seu biógrafo.Faça, erre, tente, falhe, lute. Mas, por favor, não jogue fora, se acomodando, a extraordinária oportunidade de ter vivido, tendo consciência de que cada homem foi feito para fazer história. Que todo homem é um milagre e traz em si uma revolução. Que é mais do que sexo ou dinheiro. Você foi criado para construir pirâmides e versos, descobrir continentes e mundos, e caminhar, sempre, com um saco de interrogações na mão e uma caixa de possibilidades na outra.
Não use Rider, não dê férias a seus pés. Não se sente e passe a ser analista da vida alheia, espectador do mundo, comentarista do cotidiano, dessas pessoas que vivem a dizer: "eu não disse!", "eu sabia!".
Toda família tem um tio batalhador e bem de vida.
E, durante o almoço de domingo, tem que agüentar aquele outro tio muito inteligente e fracassado contar tudo que ele faria, se fizesse alguma coisa.
Chega dos poetas não publicados. Empresários de mesa de bar.
Pessoas que fazem coisas fantásticas toda sexta de noite, todo sábado e domingo, mas que na segunda não sabem concretizar o que falam.
Porque não sabem ansiar, não sabem perder a pose, porque não sabem recomeçar.
Porque não sabem trabalhar.
Eu digo: trabalhem, trabalhem, trabalhem. De 8 às 12, de 12 às 8 e mais se for preciso. Trabalho não mata. Ocupa o tempo. Evita o ócio, que é a morada do demônio, e constrói prodígios. O Brasil, este país de malandros e espertos, da vantagem em tudo, tem muito o que aprender com aqueles trouxas dos japoneses.
Porque aqueles trouxas japoneses, que trabalham de sol a sol, construíram, em menos de 50 anos, a 2ª maior megapotência do planeta. Enquanto nós, os espertos, construímos uma das maiores impotências do trabalho.
Trabalhe! Muitos de seus colegas dirão que você está perdendo sua vida, porque você vai trabalhar enquanto eles veraneiam. Porque você vai trabalhar, enquanto eles vão ao mesmo bar da semana anterior, conversar as bendizer o fruto do seu esforço, e só o trabalho lhe leva a conhecer pessoas e mundos que os acomodados não conhecerão.
E isso se chama SUCESSO."

Nizan Guanaes

* Esse cara é pancadão

segunda-feira, 30 de maio de 2005

Bom...sem metas e objetivo o ser humano não caminha...então...já tenho novas metas para esse semestre e o próximo:
* Kenjutsu
* Faculdade de Sistemas de Informação (essa vai ser hard core...pq não tem muito a ver com minhas habilidades comuns...vou gastar os neurônios que eu não gastei na outra)

E venham as horas...;)

domingo, 29 de maio de 2005



Hoje eu acordei incrivelmente cheia de vontade de trocar.
Trocar carinho, afeto, novidades enfim, tudo aquilo que participa numa boa intenção de relacionar-se, seja em que nível for.
Por que percebi, na real, que boa parte do nosso dia dia a gente passa num receber incessante e nada dá.
Quando dá, é visando lucros posteriores...
Como somos egoístas. Mas também,até esse egoísmo é facil de entender pois estamos tão cheios de problemas o tempo inteiro que quando aparece um ser que nos mostra discretas impressoes de serenidade...lá vamos nós descarregando nele nossos medos, angustias, aflições e sonhos.
Só temo o tipo de relacionamento doente que isso pode trazer. Pois na verdade a troca é fundamental para "basear" a intimidade.
Sei lá...acho que não tenho propriedade suficiente para abordar a esse respeito...também sou assim. Mas acho que, to conseguindo enxergar o mal disso tudo...quem sabe haja jeito ainda.
Mas, confesso que para "ver" essa realidade precisei senti-la, toca-la e , nesse toque, me ferir. Para que a cicatriz me mostrasse o real sentido da necessidade de troca.
Sei lá...a partir de agora vou dar mais importancia a essa necessidade para melhorar o nível dos meus relacionamentos.

Sabado que vem vou com o Xandi fazer uma aula de kenjutsu...to empolgadissima! Vou virar samurai...lalalalala...

sexta-feira, 27 de maio de 2005

Então...depois de um feriado com dor de cabeça e cheio de sopas estou melhor.
Acho que a partir de agora vou buscar novas prioridades na minha vida, agradecer a Alah, Clemente e misericordioso, pela minha vida básica e funcional.
No mais, hoje de manhã fui acordada à real pelas minhas bochechas cor de rosa, perguntando a respeito do kenjutsu, arte marcial que amo e quero urgentemente começar a praticar. Acho que no próximo sábado vamos lá ver qualé. Fico empolgadíssima de imaginar eu aprendendo a arte da espada!
Vou pô aqui a história do Kenjutsu p vcs conhecerem...hum... desabafei a respeito do que me aflige para um amigo. Contei a versão mais real e, de certa forma, cruel. Me sinto melhor. Ainda com uma boa sensação de "idiotia". Mas falei oq não calava. Que bom.

Lá vai o Kenjutsu:

Japão, era Feudal, os Samurais dominavam uma pequena região insular ao extremo oriente. Na luta por terras e poder, dentro dos limites de seus castelos, os guerreiros treinavam as artes da guerra, buscando a conquista da honra de seus nomes e dos diversos clãs aos quais pertenciam.

Cada feudo possuía seu próprio estilo de manejar armas: como a lança, a alabarda, o bastão e principalmente a espada, arma tida como a “Alma do Samurai”.

Dados históricos chegam a mencionar 200 estilos diferentes de se manejar a espada, a essa arte se dava o nome de "Kenjutsu"; a “Arte da Espada”.
O termo "Kenjutsu" aparece pela primeira vez em 1.281 d.C., após as tentativas dos Mongóis em invadir o Japão. Nessa época, os Samurais começaram a aprimorar as técnicas da espada, levando seu desenvolvimento, a um nível nunca alcançada por nenhuma outra cultura na história da humanidade.

O Kenjutsu atingiu seu apogeu durante o período Edo, ironicamente foi nesse período de 200 anos de paz, que as artes da guerra floresceram. Mas do que simples técnicas de combate, o Kenjutsu se tornou um caminho de elevação espiritual, que permanece até os dias atuais, fruto das influências Zen e Confucionistas.

Foi no final do século XIX que o Imperador Meiji restabeleceu seu poder imperial, abolindo assim a nobre classe dos Samurais. Mas para preservar as tradições, o Kenjutsu é simplificado, sendo assim, nasce o Kendo.

O chamado "Kendo Moderno" surgiu após a 2ª Guerra Mundial. Com a derrota do Japão, uma das imposições dos E.U.A foi proibir à prática dos estilos tradicionais de Kobudo. Esta medida visava enfraquecer o espírito nacionalista dos japoneses. Após 7 anos de proibição, um comitê para a re-elaboração do Kendo fora formado.

A arte do Kendo deveria seguir os moldes dos esportes modernos, como: o basquete, o basebol ou o futebol. Após 3 anos fora elaborado o Kendo Moderno. Uma espécie de esgrima, em que se usavam as duas mãos, fora apresentada ao governo da ocupação.

Mesmo com tamanhas proibições, os mais importantes estilos tradicionais de Kenjutsu sobreviveram, graças aos esforços dos Mestres, que fizeram de sua vida uma luta para preservar o verdadeiro espírito do Budo japonês.

O Sensei Jorge Kishikawa, após décadas de pesquisa e treinos, é autorizado diretamente pelos Mestres, dos mais importantes estilos de esgrima japonesa (ryuha), a ensinar a arte do Kenjutsu. Entre outros, o Niten Ichi Ryu, de Miyamoto Musashi, Suio Ryu, imortalizado pelo “Mangá Lobo Solitário” e o “Shinto Ryu”.

O conhecimento do Sensei está compilado em um Sen Ki Sho (Sen = guerra, Ki = energia, Sho = escrito). São conhecimentos adquiridos em mais de 3 décadas de treino, que resultaram em uma brilhante carreira esportiva, conquistando o recorde de mais de 80 vitórias consecutivas em torneios brasileiros de Kendo.

A espada usada em combate é feita de bambu, sendo a mesma usada no Kendo (shinai), porém, os movimentos e a versatilidade do combate, conferem ao Kenjutsu todos os golpes possíveis e imagináveis, fazendo com que o praticante sinta o estilo único e emocionante dessa arte impar.

Viu porque acho isso tudo o máximo e quero virar samurai?
Por isso.
Bom dia!

segunda-feira, 23 de maio de 2005

Tô ouvindo um daqueles sons que escuto quando fico pra dentro.
Esse fim de semana foi extremamente profundo psicologicamente falando.
Me senti diversar vezes ridícula. E, de certa forma aconchegada.
Legal minha tia ter vindo para cá. Foi bacana nossos passeios. Essa coisa de familia é, de certa forma, muito legal. COnversamos muito e temos muito em comum. Ela falou da minha mãe. Engraçado se dar conta de que ela é irmã da minha mãe...e que minha mãe morreu pra ela também...coisas malucas...minha cabeça tá lelé.
Sábado foi chato. Tive uma conversa necessária com um cidadão aí e tudo aquilo que eu achava que era não é. É complicado...essa coisa de relacionamentos é fogo. Gostar de alguém é muito complicado, principalmente quando esse alguém é gaucho e extremamente complexo.
Sei lá...não quero me preocupar com isso não. Quero ficar quietinha no meu cantinho.
Tem muita coisa precisando se organizar dentro da minha cabeça. Não quero chorar por ninguém sem motivo. Porque na real, quando se trata de amor sou muito assustada. E nessa instintiva mania de me preservar acabo detonando boas possibilidades...mas não quero pressionar nada não. Tô na minha...mas ando cansada...acho realmente q preciso de férias, ver tv, comer comida natural, dormir bastante e ficar quietinha em casa. Quem sabe volta a vontade de sair e me sociabilizar...sei lá...sei lá mesmo.
Dia dia dia dia...vou ficar confusa e entrar em sincope...tive dois finais de semana familia depois de 4 anos sem saber oq era isso....bom...bem bom...vou pra salvador...eba!

terça-feira, 17 de maio de 2005

Não tô mais com vontade de escrever aqui. Ando sem paciência, desgostando de furtivas visitas de pessoas que não percebem que não fazem parte da minha vida e por isso, não precisam saber se estou bem ou mal...e levemente com TPM

...acho que esse deve ser o maior motivo da falta de vontade de escrever aqui...

Fui, esse final de semana ver minha irmã e tia. Ambas morenas e altas e isso deixa nítida a minha diferença física também com elas.
É legal, de certa forma, mórbido, saber que a minha irmã sabe tanto da minha mãe quanto eu. E que minha tia também nada sabe, em termos significativos, a respeito dela também.

Só está afirmado novamente, que não pareço, em gênio com ela, minha mãe, e nem com meu pai. E minha irmã parece com minha tia e minha mãe (fisicamente).

Me afastei demais deles durante esse tempo e me sinto estranha ali. Uma típica visita mesmo...Não me sinto "excluída", poia acho q não quero ser como eles mesmo...mas não deixa de ser estranho não saber de nada do que falam, não ter papos em comum e recordar apenas lembranças amareladas pelo tempo.

Isso é bacana de certa forma porque não odeio ninguém, não tenho ciúmes de ninguém e não invejo ninguém.
Só me choca a condição solitária que me permiti atingir. E que já sabia que teria essas consequências.

Ver minha irmã ser mimada e paparicada pela minha tia me deixa, de certa forma feliz por ela não estar sozinha, e espantada com a minha fria reação a respeito disso tudo.

Acho que meus dias de análise a respeito do mesmo me fizeram realmente deletá-los como família, no sentido de unidade. Amo saber que não os odeio e até é bom estar com eles porque me lembra épocas da minha vida que me remetem a mim mesma, como as exatas tiradas da familia, cuja herança tb tenho, a inteligência sensibilizada daquelas mulheres que eu espero sinceramente ter também e o engraçado e atrapalhado jeito de se dirigir a vida meu e da minha irmã: Idênticos. Dentro de suas devidas particularidades.

Ainda hoje, depois de quase 5 anos de distância, percebe-se nitidamente que somos irmãs quando falamos e gesticulamos. Legal isso. É muito importante sentir que temos origens.

Ainda que meu coração não queira laços pois demorou bastante para ele se curar e, definitivamente, não quero mágoas...ainda que infundadas.
Sabe...disso tudo ficaram claras algumas coisas. Quando vi aquelas duas criaturas significativas na minha vida me deu um alívio danado.

Alívio de ver que a vida segue seu rumo inóspito e brando, e que, de certa forma, tudo fica bem. Elas estão bem, vivendo suas realidades cruzadas e fiquei feliz. Estranho dizer isso...mas fiquei feliz por não fazer parte daquilo. Por ser a parte.

O que, quando eu era adolescente me irritaria com certeza, hoje me aliviou.
Acho que é porque realmente aceitei papeis meus e de outros e assim a coisa fica bem.

Bacana a alegria, a risada sincera que saiu de dentro de mim mas sem pretenção de querer fazer parte deles, de suas realidades...com exceção do Ju meu primo lindo que, incondicionalmente amo muito (meu irmão).

Sei lá...me assusta isso tudo porque, quando falava com minha psicóloga e ia concluindo tudo isso que vivi não acreditei realmente que poderia ser assim mesmo.
Mas foi. E isso é bom. Por que na real não adianta querer aquilo que não encaixa na nossa gaveta de viver diário. Minha família não me encaixa e eu não a encaixo em mim. E isso me deixa, de certa forma em paz.

Não vou ter mimos, na real, acho que se tivesse desconfiaria da sinceridade dos mesmos pois nunca os tive; Não ajudas em partos e talz e nem pequenas discussões domésticas.

Deles não terei nada. Mas ainda sim não me sinto nem só, nem má e muito menos ovelha estranha do rebanho.

...muito embora minha aparência tenha sido a única coisa incomoda nesse fim de semana, não por beleza mas por ascendências mesmo...

Sei lá...Minha tia vem a minha casa esse fim de semana e vai ser agradável com certeza. Fico feliz comigo porque superei, de certa forma, a falta familiar que eu senti durante meus dias de guerra. E hoje, quando a calmaria já é uma realidade e eu sigo meus dias, não sinto falta.

Isso me deixa bem tranquila comigo mesmo.
Sei que as consequencias desse isolamento virão de forma psicológica e de repente não muito bacanas num futuro.

Mas vou pedir para o Papai do Céu me ajudar a não ficar menina feia. Alias...esse Carinha ai que fica no "monitoramente" da gente ajuda a beça.
Vô lá...ja escrevi demais.
Bjoca

sábado, 7 de maio de 2005

Dizem que se mudar na chuva dá sorte...eua cho mesmo é que dá mofo...mas, seja lá o que for, será muito bom!
Bom dia de mudança de micromundo em chuva!

segunda-feira, 2 de maio de 2005

Esse final de semana foi excelente...embora toda a "excelência" da data, tenha se dado por um acontecimento muito por mim evitado, porque sabia, de alguma forma, que isso poderia ser docemente perigoso...pra variar é a mesma pessoa de sempre, com seu já conhecido súbito aparecimento.
Magico, pleno...inesperadamente bacana.
Agora já não sei o que pensar.
Mas vou ficar quieta pois tenho a impressão de que o "tudo de bom" do encontro foi só pra mim. Ele não deve ter essa mesma opinião...embora eu quisesse estar equivocada...tomara q esteja e ele se ligue do que sente por mim...sei lá...confusões...

sábado, 30 de abril de 2005

Diário de bordo:

Dias longos e cansativos, alguns beirando a exaustão. Esse é o ritmo atual.
Tudo muito sereno pois a impressão que a paisagem causa é de languida desesperança com gotas de fé.
Segue a fria noite e o morno dia. Muitas pessoas já passaram por esse caminho e nenhuma delas ainda me pareceu conhecido a ponto de entender sua linguagem.
E os que são familiares parecem não lembrar as palavras certas para a boa comunicação.
Mas não importa mais, pois o corpo não sente dor e nem cansaço. É um destrutivo monte de impressões tortas apenas.
Olhando o horizonte, parece que nunca chegara ao porto. Mas continuo esperando os dias de chuva e de sol...nesse horizonte sem distâncias.


quarta-feira, 20 de abril de 2005

Coisas que quis comprar:

Relogio - 1170,00
Outro relógio - 170,00
Coisinha da hello kitty pra pendurar no celular - 18,00
Capinha fofa para meu celular - 25,00
Casaquinho com um tecido parecido com camurça - 199,00
Zero Hora (jornal) - Não tinha pra vender
Sofá - Nem ousei perguntar o preço
Sabonete Biocrema - 0,99
Bolsa preta - 79,00
Cartas de Tarot - Nem vi o preço

Fui ao shopping pagar conta...isso me faz mal

O que comprei:

1 pate - 0,69
Paezinhos integrais - 1,70
Pizza de frango - 5,00 (ja comi tudo)
Suco de manga Frisco (meu predileto) - 0,49
Pipoca de microondas - 1,23

MORAL DA HISTÓRIA: A realidade é cruel e engorda

sábado, 16 de abril de 2005

Muito bom hein!



Ainda sem vontade de sair pra balada, com um leve desdém quase público pelo sul e a certeza de que tudo caminha para um único fim.
Mas a balada é boa.

Essa semana...bom, deixa passar um pouco a história e eu digeri-la melhor ai conto o que rolou que me deixou de cara com a sociedade local.

Minha mãe me educou mal.
Criou um monstrinho idealista que fica enloquecido com certos posicionamentos com total falta de base de pessoas que, por lerem um livrinho ou outro, para suprir sua ignorância em vivências (o que, diga-se de passagem, faz o ser angariar muito mais experiências), acham que detém as opiniões mais corretas da face da terra.
...bom...ainda acho que para pseudo-cult só tem um remédio: viajar para abrir a mente.

...bom...to agressiva esses dias...mas vou preparar alguma coisa mais light para escrever a "tal coisa" a que me referi nas linhas acima.

quinta-feira, 14 de abril de 2005

Hoje sei mais que antes a respeito de tabless...confesso que essa semana foi desgastantemente cheia de codigos de formatação...mas valeu....aprendi a beça.
Gramitos trabalha com eu agora, hoje dei minha primeira aula de 2005 e a turma me pareceu bastante interessada...mas não riram das minhas palhaçadas tanto quanto a do ano passado...tudo bem...devo estar sem graça.

Acho que amanhã vou ver minha irmã...isso vai ser legal...familia é definitivamente alguma coisa que eu estava precisando...ainda que não façam nada, tão ali sabendo ler seus olhares e entender seus anseios...mas nunca concordando...hihi

Bão...ando numa apatia engraçada...acho que é pós-stress. Sei lá...acho que não vou sair pra balada tão cedo e to sem a menor vontade de pagarpau...acho que minhas alegrias atuais são as telas do Rê, comida oriental e sim's.

To boba hoje...vou deixar uma imagem e vô nessa. Bjocas


Esse coelho achei fofo



te agrediu? a mim também.

terça-feira, 12 de abril de 2005

Minha paixão atual:

sexta-feira, 8 de abril de 2005

Ganhei um monitorzão lindão para minha maquina aqui do trampo!!!
Ultimo modelo...um mouse fofo (muito bom por sinal) e meu computador agora tem super memória!
Meus pequenos seres estão ficando cada dia mais independentes...

quinta-feira, 7 de abril de 2005

Hum...almocinho bem bacana hj. Fomos num restaurante oriental que abriu aqui perto...comi comida chineza que eu amo de "palitinho"...hihihi...
Ontem minha noite foi tranquila...depois de tanta enxaqueca uma noite em paz e sossego...acho que preciso ser menos tensa e pensar menos a longo prazo...isso ainda vai me deixar lelé...No mais beleza...vou trabalhar porque meu chefito acaba de sair daqui do meu lado me apertando...bjos

quarta-feira, 6 de abril de 2005

Notas do Spanha (Claudio Garcia, meu amigo espanhol que mora...na espanha...e executivo), dando a realidade a sua frase que, um bom executivo tem que trabalhar com 3 elementos: teoria, experiencia e intuição.
O resultado:

"Os Chatos do Sul

Sinceramente eu seria mais triste se fosse do Sul.Ali é um saco. Todo mundo no Sul é wannabe alguma coisa. A maioria acha tudo divertido e bom mesmo é ser sabidinho.Porque as lorinhas-patricinhas do sul nao fodem pra caralho encima deum barco no meio de uma praia paradisiaca como eu e minha namorada esse fim de semana ?Sabe o que era melhor ? nao tinha voyeur! foi de fuder. Eu ali mandando rola em pé, ela no frango assado e o sol dando na cabeça com forca.Eu poderia falar um dia inteiro da gente do Sul. Conhecimento de causa avançado."

posted by spanha at 8:31 PM

Esse menino vai longe...que olhar de lince!

terça-feira, 5 de abril de 2005

A porta se fechou e não abriu
Embora não haja travas
Há um muro
Denso e sinistro a tranca-la

Rumores externos
Pensam em arombar a porta e derrubar o muro
Mas não há forças
Pois o sopro lhes falta ao ar

quarta-feira, 30 de março de 2005

To fora hj...não concateno as idéias direito, esqueço de tudo a cada 2 minutos, pensamentos multiplicados e suas várias etnias correm enlouquecidos dentro da minha cabeça.
Na real há um certo torpor, uma fadiga mental aliada a física (devido a minha alta dose de exercicíos na academia e a quantidade absurda de info na mente)...

A sensação é como se meus pensamentos todos, todos, exatamente todos, tivessem tomado conta da minha vontade e, nessa loucura, tomasse conta de tudo em mim.

Não domino os safadinhos...cada vez que vou fazer alguma coisa meio "automática" eles aparecem e empurram de cena a tal "coisa" e tomam lugar...por isso esqueci coisas importantes hj, e não consigo a concentração necessária para trabalhar.

Ouço mantras mas eles, embora no último volume parecem uma distante brisa no dia.
É estranho...desde ontem...preciso ouvir meus pensamentos...mas se eu largar, tentar deixar eles dançarem perdidos dentro de mim acho q vou ficar apática, parecendo uma louca...e lutar com a avalanche de informações da minha mente não é fácil...

ela é muito mais sagaz e mais forte que eu...mas ela sou eu...aiaiaiai...o fato é que hj queria ser mais normal, não achar soluções, ter uma inteligência apenas para sobrevivência básica...

vou resolver equações...ou aprender a programar alguma coisa...isso distrai...
Ontem conheci mais um amigo DDA...fiquei feliz...desde que mudei p essa cidade não me sinto mais única...se bem q não sou exatamente uma DDA...sou hiperativa só...segundo a psi.
Vou tentar entrar na "casa" novamente...bjocas

Descobri que o Rafinha me deletou do MSN dele...decepcionante...

segunda-feira, 28 de março de 2005

Pois é...agora que declarei meu amor as artes mariciais e encontrei uma que combina comigo em movimentos e ideologias, tenho q serenar a mente para poder começar a treinar.

Primeiro passo é condicionar esse corpitcho para que os movimentos não tragam de volta as dores na lombar e no ciático (nem pensar).

Depois é estar bem organizada financeiramente porque a parada é cara mas vale a pena porque é algo que a muito tempo eu quero e agora, com um pouco de paciencia e organização, poderei fazer.

Agora tenho novos motivos pra madrugar naquela academia chata e feia: Me condicionar para o kenjutsu. A mocinha da Niten disse que não precisa de condicionamento, mas, devido ao meu "acidente" acho melhor ao menos parar de ter cãibras...acho que tudo ao seu tempo.

Me condiciono uns 4 meses, me mudo e depois me adapto ao meu novo modo de vida Samurai...tô empolgada.

Há muito tempo alguma coisa não me empolga tanto quanto cuidar do corpo e da mente e ainda aprender uma arte marcial com espadas...tomara mesmo que dê certo.