sexta-feira, 30 de abril de 2004

É fim de abril.
Esse mes é sempre seja doloridinho e chato, pois lembra muita coisa e sempre tá carregado de pesos...Mas, contrariando a normalidade dos anos, o unico carregamento desse mes, por incrivel que pareça é financeiro. Quebrei bonito mas até consegui economizar um pouquinho.
Meu amorzinho tá viajando e vou ficar sem falar com ele...alias isso tá ficando muito engraçado pois tô muito romantiquinha...até é bom ele viajar senão vai pensar que tá podendo...ainda que esteja...é melhor nao saber.
Enfim, entre mortos e feridos todos sobreviveram ao abril que troquei a cor do cabelo, acabou a bola do estomago, aprendi a beber que nem gente grande e aumentei meu circulo de queridos amigos...pois é...embora a lembrança do unico homem realmente importante na minha vida se faça presente, hoje pesa menos afinal, são 15 anos de vida sem ele.
E fica a lembrança delicada e gentil das figurinhas para os meus albuns, das aulas de judo e das partidas de futebol na vila alpina...quanto tempo...e parece que foi ontem que eu nasci e fui ninada aos braços dele.
Onde quer que esteja, que seja na boa pois eu tô, certamente a serenidade de seu olhar foi o maior legado pra mim e esse tesouro, nenhuma tempestade me leva.
Bom dia trinta. Sem mortes, sem saudades e com carinho.

quinta-feira, 29 de abril de 2004

Caos total na empresa. Chefe viajando, trabalho de outro setor para minha area...enfim...sofrimento e dor.
Não fosse a alegia de comutar com a galera lá de casa me ajudando num pequeno inconveninetezinho que tive semana passada...
Isso me lembra quando eu era pequena, menos velha...tenho lembrado muito das inumeras vezes que fui assistir julgamentos com meu tio lá no interior de sampa...era mó legal porque eu lotava ele com perguntas e ele sempre respondia tudo com a calma caracteristica dele...que legal...lembrei e conversei muito a respeito das baladas que o fabinho ia levar a gente pra casa e ri a beça com os mafiosos planos de proteção da galera de casa com direito a grampo telefonico e seguranças a paisana...hehehe...nao pessoas, nunca fui celebridade e sim vivi numa familia italianamente exagerada...dá saudades daquela comoção total que a gente tinha cada vez que surgia um evento que desagradava a ordem do clã.
Hoje eu dô risada. Eu sempre era aquela que fazia o Watson Do Sherlocão da galera...acho que é pq sempre fui meio inteligentinha...
Meu...esse abril tinha tudo pra ser um choro só...mas tá engraçado...
Daqui a pouco chega mais gente pra completar o ciclo de pirações da galera...quero só ver.
Se não der em nada ao menos terá sido divertido...to pensando em até ir ao planalto central nessas ferias. E levar o Alfinho ou a Pameloca!
No mais...só love, uma festa no findi que vai quebrar minhas economias e era isso. Cambio desligo, muito trampo na area.

terça-feira, 27 de abril de 2004

Fragmentos
de um coraçãozinho confuso...



segunda-feira, 26 de abril de 2004

12:00
Objetivo: Aquiririr um produto de utilidade impar para pessoas que lidam com dinheiro, ou seja, todo mundo.
Alvo: As lojas especializadas da Protasio Alves
12:10
A primeira loja, a escolhida estava lotada, atendimento moroso e as pessoas estavam morrendo de calor. Como na rua estava mais atraente eu sai, um tanto stressada e fui para o proximo alvo, alguma coisa já meio precaria mas não querendo ir muito longe, reslvi arriscar
12:30
Atendimento meio desencanado demais, pouca fila (desconfiem da falta de pessoas no local) e um olhar desaprovador da gerencia...me irritei profundamente e resolvi ir bem longe e transferir um credito para essa cidade e esquecer esses produtinhos infelizes de uma vez.
12:35
Vejo uma loja capenga, torço o nariz mas...como gosto de sofrer e lembrando da minha irmã, fui acometida de um saudosismo impressionamente e entrei.
Atendimento bem bacana, sem cadeiras, terminal de computador nao funcionava, o armario que continha um dos acessorios para o fechamento nao abria e a xerocadora engoliu meus documentos.
13:45
Consegui concluir meu negocinho e ainda adquiri um produto a mais e aturei tudo sem reclamar e sai não mais feliz pq a partir de agora tenho um elefante branco que caminhará comigo por um tempo
Moral da historia: Se vc tem pressa, faz de qualquer jeito.

domingo, 25 de abril de 2004

Respondam-me por favor. Por que motivo as pessoas se usam e acham que podem puxar o tapetinho daquelas que consideram menos espertas em potencial? Porque insistem em sacanear umas as outras quando na verdade já não tem nada em comum, quando não houve recíproca em sacanagens e muito menos se importa de forma a buscar uma vingança? Por que as pessoas estão sempre acostumadas a esperar o pior porque em suas estúpidas cabeças vazias, de coisas que sirvam para construir alguma coisa realmente relevante, está cheia de pequenas mesquinharias e pensamentos baixos, às vezes dignos de sua cultura pobre e suas vivencias inóspitas e dispensáveis para quem busca ser alguém na vida.
Sinto por esses tipos, a vida corre como água em cachoeira e olha só...gente assim nasceu com o triste destino de ser perdedora.
Não pelas pessoas que cruzam suas vidas mas pela quantidade "lixifera" de maldades que ainda acham que as libertaria de alguma grades que, supostamente, se sentem presas. Grades estas que, na verdade são construídas por elas mesmas.
Pela sua estúpida mania ignorante e pouco funcional de viver sua vida, como insetos, vermes pegajosos a espreita de uma podrerinha para saciar sua fome de futilidades.
Pobres de alma e de futuro...só lamento e espero não cruzar tão cedo com esta casta não menos digna de votos de boa sorte, mas incondicionalmente fadadas à solidão, desprezo e perdas de oportunidades.
Lamento à ordem. Não crescerão e viverão as sombras de suas maldades...só lamento e espero realmente que nunca cruze com seres biltres assim...não mais. E não desejo que alguém de minha coleção valiosíssima de amigos escorregue nesses tipos ignóbeis...loosers...sempre...só tenho uma coisa a dizer para pessoas desse naipe: Tenho muito dó de vocês.
Desde que recebi o convite do amigo crente pelo icq minha vida se modificou...hehehe...to num momento "baladeira". Acho que esse é meu primeiro momento "balada" desde que cheguei nessa city. Desde quarta feira to saindo, bebendo e dormindo tardão...tão bacana...mas logo logo acaba...well...preciso dormir...acabo de chegar...putz...deu saudades de sampa...minha noite predileta...

sexta-feira, 23 de abril de 2004

esqueci de dizer...ontem foi intercambio casa da gema e inmyself...
...achei o icq...mas vi um banner e me deu vontade de comer muffes (acho q é assim que escreve)...meu icq tá rosa...
...to meio bebada ainda e não consigo lembrar a senha do icq...sei que faltam duas letras...ontem foi legal...chuva...mas bom...na verdade um horror monetariamente falando...comi chocolate...tenho sardas e não sabia...hum...meu estomago ta zuzu...dormi bem poquinho...eca...preciso lembrar meu icq...

quinta-feira, 22 de abril de 2004

Andre (10:27 AM) :
vc está a fim de faser uma Experiência de Oração?
Andre (10:28 AM) :
é dia 30 de abril a noite, 01 de maio o dia inteiro e 02 de maio pela segunda
Andre (10:28 AM) :
pela manha, digo
Andre (10:30 AM) :
se vc quiser fazer este retiro, me da um toque...
Andre (10:30 AM) :
é maravilhoso
iris (10:30 AM) :
valeu. te falo sim

...os crentes buscam a gente das mais diversas formas de agregar ovelhinhas para suas respectivas searas.
Admiro a capacidade de inovar o aumento da congregação...mas pelo icq?
Essa não esperava. Será que é fruto do meu blog?
Caracas. Bonito isso...cada um no seu ideal de credo...mas que é hilário é...
hum...ja entendi a mensagem...é um sinal do alto.
Um sinal que eu definitivamente devo me exorcizar do demonio da internet e viver mais no real...sabia...sempre soube...
CONSTATAÇÃO:

* Adoro Porto Alegre
* Quebrei o "tabu" Cidade Baixa com muito estilo

OPORTUNIDADES QUE AMIGOS PERDERAM DE FICAR CALADOS:

"...deixa de ser burra Íris! É claro que voce é inteligente."
Glaucinha

"...dia 27 vou fazer uma coisinha pra comemorar meu aniversario...lá no Trivial...tô pensando em te chamar...é...acho que vou te convidar sim."
Protásio

-- Os nomes não foram trocados para que eles leiam as barbáries que me falam --

INDIGNAÇÃO

Não acho correto fazerem comparações futebolisticas maldosas entre gremio/palmeiras pois a superioridade do time gaucho é obvia na atual conjuntura da situação. Hoje, qualquer time é melhor que o parmera...mas...magoei.

Bem...dentre mortos e feridos o feriadinho foi legal, fui lá no gasometro assistir 33. Vi na TV o estranhamente maluco Kiko Goiffman falando do documentario que fez e, apos exclamar minha nova alegoria fonética "bah", fiquei curiosa e fui conferir. Minha opinião: documentario estranho como seu criador mas chama a atenção porque foi feito em camera amadora, numas imagens bem escurecidas, de um tom artistico bem maluco e a historia prende a atenção. Bacana. Um meio "Celebridades Underground" pois o cara tá se expondo meio que malucamente mas valeu. Parabens pra ele.
Depois comi meu X predileto e fui mais uma vez no lugar de sempre ouvir uma musica não tao boa mas valeu pela situação toda que envolveu tal ato.
Entao foi assim...

terça-feira, 20 de abril de 2004

São. meio dia e trinta e quatro, acabo de sair do site que escrevo e colocar
no Terra pra ouvir mais uma vez minha nova companhia: Adriana Calcanhoto.
As de sempre: Medo De Amar Nº 3 e Maresia.
No site eu tava navegando em busca de um assunto para o texto que já está
atrasado e eu deveria enviar para eles...mas só tem uma coisa que dança
na minha mente e não sai e se transformou a poucos minutos atrás
em uma palavra: preconceito.
Se eu falar que to satisfeitíssima com esse vácuo que se criou na
minha mente estou mentindo.
Me incomoda a beça, querer explicitar umas coisas que não posso.
Esse blog ficou publico demais pra isso.
Implicitando a coisa, virou preconceito. Engraçado mas deveria existir
uma numeração para os preconceitos existentes pois é vastíssimo
seu universo.
á alguns que são muito claros como cor, raça, credo. E há
os ideológicos e socioculturais também.
Os mais conhecidinhos, deveriam ter uma numeração negativa pois
são bem trash...-1,-2,-3. Os outros poderiam ter uma numeração
positiva 1,2,3...mas não sairia do 3.
A gente se mata por dentro e fera a alma quando pré conceitua algo ou alguém
ou, na pior das hipóteses, nós mesmos.
Hoje tô meio que nem um amigo que falava ontem, meio triste. Não
chego a estar em "fuck mode".
Preciso crescer e acho que essa constatação me deu mais uns aninhos
de vivencia mundana.
Sabe porque fico muito e realmente triste com isso? Não sei se isso é
ser pratica, fria, sei lá...mas acho tão perda de tempo, acho a
vida tão maior que os lamentos da gente.
Não que não tenha meus momentos de "Hard har har"...e
como tenho...juju que o diga...hehehe...sei lá...a gente não tem
culpa de ter momentos down.
A vida é competitiva e chata o suficiente para duvidarmos da nossa capacidade
de ir além mesmo. Faz parte do pacote de viagens que compramos quando resolvemos
"passear" no planeta terra.
Só acho que damos importância demais.
Velhinhos...é meio assim que vejo tudo isso...velhinhos que viram mais
do que viveram.
Hoje to nem ai pra algumas coisas, desisti de umas criações mentais,
tenho horror da minha cultura e educação e do dia que resolvi bancar
a ovelhinha negra e 'bandonar' a vida fútil e imbecil. Leguei 'solitude'
para meus dias.
Só espero sinceramente ter trampo, lucidez e muito o que fazer nesse resto
interminável de dias que me esperam. Gotiquei...hehehe.
Depois do vomito, a criação...vamos trabalhar dona Íris que
a fila anda...sempre anda. Ainda que você não perceba.

Letrinha da tarde:
O meu amor me deixou / levou minha identidade
não sei mais bem onde estou / nem onde há realidade
Ahhhhhh se eu fosse marinheiro / era eu quem tinha partido
mais meu coração ligeiro / não se teria partido
ou se partisse colava / com cola de maresia
eu amava e desamava / surpreso e com poesia
Ahhhhhh se eu fosse marinheiro / seria doce meu lar
não só o Rio de Janeiro / a imensidão e o mar
leste oeste norte sul / onde um homem se
situa
quando o sol sobre o azul / ou quando no mar a lua
não buscaria conforto / nem juntaria dinheiro
um amor em cada porto / Ahhhhhh se eu fosse marinheiro...
não pesanria em dinheiro / um amor
em cada porto...
Ahhhhhh se eu fosse marinheiro...
Então, minha primeira aula de redação foi muito bem obrigada.
Mais ou menos sessenta pessoas que eu prendi a atenção e mandei meu recado. Graças as longos tempos de curso de teatro que fiz...Foi uma comedia que nem eu acreditei que fosse funcionar daquele jeito.
Se meus ex professores de cursinho me vissem estariam orgulhos!!!
Ti lindinha. Iris versão Cesinha (objetivo/biologia/sampa) e Magaly (objetivo/portugues/sampa) mas eu queria mesmo é ser que nem meu professor de geopolitica (Não lembro o nome dele pois era muito complicado) no cursinho ou que nem o Waldir (historia geral/anglo/sampa).
Mas meu mix tá funcionando e a galera riu e aprendeu...
Cara, ninguem tem ideia da coisa bacana que foi dar aula pra aquela galera ontem. Uma modesta mas muito gratificante experiencia.
Acho que ganhei mais que eles. Adorei!
E o legal é que meus amiguitos todos estavam animadissimso dando aula...que nem eu...mó legal. no words...mó legal...

segunda-feira, 19 de abril de 2004

Você diz que eu te assusto / Você diz que eu te desvio
Também diz que eu sou um bruto / E me chama de vadio
Você diz que eu te desprezo / Que eu me comporto muito mal
Também diz que eu nunca rezo / Ainda me chama de animal

Você não tem medo de mim /Você não tem medo de mim
Você tem medo, é do amor / Que você guarda para mim
Você não tem medo de mim / Você não tem medo de mim
Você tem medo, é de você / Você tem medo, é de querer

Você diz que eu sou demente / Que eu não tenho salvação
Você diz que eu, simplesmente, / Sou carente de razão
Você diz que eu te envergonho / Também diz que eu sou cruel
Que no teatro do teu sonho /Para mim não tem papel

Você não tem medo de mim /Você não tem medo de mim
Você tem medo, é do amor / Que você guarda para mim
Você não tem medo de mim / Você não tem medo de mim
Você tem medo, é de você / Você tem medo, é de querer

Me amar
Engraçado. Lembro me do primeiro motivo que me levou a querer ser útil. Desde 1989 tenho essa ideia e a medicina me parecia um bom casamento.
Mas não seria boa médica. Odeio remédios. Mas adoro a idéia de não ter rumo e fazer alguma coisa por alguém.
Hoje isso meio que morreu dentro de mim e, ao observar uns documentos, vi meu passaporte e uns endereços de grupos voluntários espalhados pelo mundo.
Acho que era um vazio que eu tentava preencher que hoje não tenho mais. Posso ser útil em qualquer lugar por doar é muito fácil e universal.
Que me curei da "grande" depressão" e do "puta" trauma é fato.
Ainda tem uns pequeninos desastres a esquecer mas são leves. Nesse cenário, chego a pensar se deixei meus ideiais desapegados e minhas vontades nobres esquecidas ou será que tudo aquilo era desculpa.
Não sei e não vou saber. Por mais que tenha estudado não enxergo o foco.
Não falo de passados atuais...me remeto aquela época em que já escrevia, mas longe dos micros.
Vi na TV, esse findi, duas coisas que me trouxeram saudades: Bienal do livro e Stock Car em Sampa. Confesso que corrida de carros me fazem muito mais leve e alegre.
Lembro me quando ia ao autódromo de Interlagos ver as corridas. Acordava cedérrimo mas adorava. Nunca fui muito boa no volante e confesso que tenho receio de pegar um carro em zona urbana. Desatenta demais.
Em Salvador arriscava um Kart e no interior preferia as vicinais desertas.
Acho que herdei do meu pai essa coisa por velocidade. O carro dele era muito bacana. Eu era mínima de tão nenê mas lembro direitinho do carrão dele.
Ele nunca correu comigo mas, quando voltavamos da escolinha (jardim II ou pré escola não lembro), ele me falava de carros e ensinava sinonimos para, divertidamente, aumentar meu vocabulário.
Muita coisa percebo que tenho dele, desapego, amor aos absurdos nada a ver... Mas sempre preferi os obstáculos rodoviarios nos videogames.
Até pouco tempo atras eu saberia dizer diferenças de motores de carros.
Hoje não sei mais...mas adoro abrir capôs e ver aquelas maravilhosas e intraduzíveis engenhocas.
...aiai...esses "abris" na minha vida...me fazem dizer nada com nada...mas que dizem tudo.

sábado, 17 de abril de 2004

Hum...fim de semana sempre fica mais facil escrever...muito embora, de uns tempos pra cá esse blog está miuito semelhante a casa de irene que pepino di capri cantava e embalava as festinhas da minha mae...
no mais terei que me despedir da minha unica calça grunge que eu tenho pois ela esta grande demais...isso é triste...
No mais também, nao vou poder ir ao show do pixies que tanto me programei pra ir porque sou uma pobre desgraçada e devedora...aimeudeus...fazer oque dessa vida? Esperar uma proxima!!!
Mas to na boa, sem aquele calor infernal que enche a beça...até to de bom humor. Bom findi pessoas.

sexta-feira, 16 de abril de 2004

Ele era um bichinho pequeno e indefeso, daqueles maltratados pela propria constituição física em acordo direto com o tempo e condições de sobrevivência minadas pela falta de cuidado.
Se olhassemos com carinho, percebiamos seus traços delicados e a forma harmonica no seu corpinho. O mais bonito era seu olhar e sua vontade de continuar, sem perceber o quanto não podia, o quanto não conseguiria. Parecia que era o mais forte da sua raça. Bailava com graça por aquele imenso lago.
Quando cansava, caia desbaratinado e boiava até recuperar suas forças e prosseguir seu caminho.
Era tão pequeno e tão frágil que um dia, atravessando o lago para buscas pequenos musgos da beiradinha cheia de lama, alguem veio e o confundiu com um desses seres ribeirinhos que atrapalham e nos dão certas alergias. Ele tentou se explicar e até gritou, mas tarde demais, sua voz emudeceu bem na hora que dizia: Ainda posso viver.
Tá muito divertido ir nas reuniões do CEUE. Acho que tava precisando desintoxicar de virtualidades e estar num lugar onde nada funciona com computador. As vezes me irrito um pouco com as burocracias geradas pela falta do mesmo, mas ainda assim é muito bom.
Até fico chateada comigo, ja que se trata de uma galera toda se voluntariando pra fazer as coisas funcionarem por lá, quando me vejo sem vontade de ajudar naquilo que mais sei: design e websites. Ontem eles estavam falando de logo para camiseta, de fazer site e o carinha que coordena lá sabe que eu trampo com essas coisas mas eu fiquei quietinha...deveria ter me pronunciado mas sei lá...queria ter um hobby, fazer um trabalho voluntario que envolvesse outros predicados meus para justamente ficar longe do meu profissional.
Sei que não vou conseguir por muito tempo, mas confesso que queria.
Sabe, acho muito bacana a iniciativa daquela galera em disponibilizar tempo e se doar pra uma causa. Meu, e eles são total normais, bebem, beijam na boca e outras cozitas mas...enfim, a diferença é que gastam o tempo deles se doando e não precisa de religião, dogmas existencias e nem nada pra isso.
Muita gente que tá lá não tem a minima intenção de ser professor. Tem engenheiros, jornalistas é uma mistua de tribos interessantissima que funciona. E sabe porquê? Porque eles, de certa forma, enxergaram uma milha a mais. Enchergaram que o trabalho em grupo é saudavel e ajudar alguém a chegar aonde eles chegaram é muito mais digno que ficar em casa pensando na mina que não beijou, na prova que foi um terror.
E isso me deixa muito feliz de estar ali naquele meio de pessoas que eu cruzo tranquilamente pela Lima e Silva amalucadas mas que, naqueles determinados dia e hora, aconteça oque acontecer estão cumprindo seu papel social. Isso é cidadania.
Que lindo. Isso me anima a caminhar sabe. Percebo que não sou um ET.

quinta-feira, 15 de abril de 2004

Informativo

Devido minha necessidade de comunicação com o mundo exterior, além do inmyself, estou procurando cursos de noção basica nas seguintes areas

* Espanhol com enfase em girias argentinas e uruguaias e detalhamento geografico de Visgo;
* Noções de CMMI, "cursos empiricos" e tudo que tiver relacionado a engenharia de software;
* Fotografia
* Culinária Arabe Avançada
* Grego antigo
* Drogas e assexualidade

Quem souber uma url com esses assuntos devidamente esclarecidos e de uma maneira fast, me informe por gentileza.
Grata

quarta-feira, 14 de abril de 2004

Os limites do corpo humano definitivamente me stressam. Meu corpo nao tem acompanhado minha mente. Resultado: Acordei muito mal humorada, o que é rarissimo de acontecer, pra ajudar ainda mais para completar esse macabro quadro, caimbras nas duas pernas (isso porque sedentarismo passa longe do meu estilo de vida) e pra ajudar perdi dentro desse micro um texto que vai ser publicado em uma hora e nao acho de modo algum...Meu...não fala comigo hoje...não to uma boa companhia, vou redigir outro texto in urgencia...fui...grrrrr

terça-feira, 13 de abril de 2004

Sinto que hoje estou impossivel.
Ontem, ao me reciclar com muita informação, hora relevante hora nem tanto, a respeito de design, sinto que ando pelo caminho certo.
Não no que diz respeito a design pancadão mas na conceituação do design de ponta, da forma que agrada e fideliza. Isso vai dar um certo ar de opulência aos meus próximos textos publicados. É bom observar isso.
Ando em contato com pessoas estratégicas que, se eu souber aproveitar seus conhecimentos, posso vislumbrar de forma mais facil, o universo digital que eu busco.
Hoje mesmo, arregaço as mangas, chega de amadorismo, allure e reunião de negócios na hora do almoço.
Ontem minha cabeça explodia de idéias que até pensei que teria insonia...mas meu corpo extremamente contraditório me deixou dormir e sonhar que fazia as pazes com minha irmã.
Não acho que esteja num bom momento profissional. Estou anos luz de onde quero estar e tive que fazer certos desvios de adaptação para sobreviver.
Acho que estou somente retomando a rota com a surpresa de não ter perdido o mapa mental em tempo algum, do que é realmente o bom caminho.
Tolkien e seus personagens são pra mim parte da minha historia de lutas. São arquétipos vivos que dançam dentro de mim full time.
Seus livros, gostem voces ou não, entraram num momento exato da minha vida e por isso não esqueço suas passagens. Nesse caso, eu definiria minha situação atual, usando um paralelo com as duas torres.
Quem leu ou quem viu o filme vai logo se lembrar. Estou me sentindo profissionalmente falando como Frodo quando vai a caminho das terras de Mordor e num dado momento avista as torres.
A gente sabe que até ele chegar as torres a coisa foi extremamente complicada e precisou dele esforço fisico, mental e etéreo (aqueles do Grande Nada).
É ai mesmo que eu estou. No inicio, hoje diviso meus horizontes e sei que estou no caminho mas vai custar sangue suor e lágrima para chegar até minha Mordor...mas pagarei o mico concientíssima da responsa e do prazer que será chegar até lá.
Bom dia pessoas!
Allure!

segunda-feira, 12 de abril de 2004

hum...terminei meu namorico...hum...acho que ando meio confusa ainda e me curando de velhas questoes...mesmo porque abril nao é um bom mes para empreender...primeira vez que digo um aham na minha vida...que bunitinho...mas...vamos dar tempo ao tempo, como ja diria um sapientissimo filosofo iluminista "...laisse faire, laisse passer".
No mais tô na boa...ando escrevendo folhas de anotações, como sempre faço quando as coisas precisam ser analisadas dentro de mim por isso o nivel de textos aqui deu uma caidinha.
Minha cabeça anda bem confusinha. Meus sentimentos andam tão bagunçados. Não é medo de sofrer nada disso, é confusão mesmo daquelas enormes que vc nao acha o começo da parada.
Sei lá...tremi dias atras ao atender seu telefonema...estranho. Adolesci...hehehe...fofo né? Já engoli a ideia da piada do macaco mas o que ainda nao sei o que quero para meu futuro proximo. Quero desencanar de umas coisinhas para nao ser chata antes de mais nada.
Tenho lembrado tanto da Dinha minha irma e hoje a entendo tão completamente em tantas coisas que ela vivia e eu nao entendia...dia a dia tenho vontade de gritar isso tudo pra ela mas certamente não compreenderia. Dia a dia admiro mais a minha petulante e nada humilde irma e passo a entender que ela tem suas razões para ser do jeito que é.
Adimiro quem sobrevive a pesadelos, quem luta embora nao tenha ninguem para a defender e acima de tudo quem nao perde a beleza e a postura. Esse mes é tão dificil pra ela, pra mim o é certamente mas pra ela é muito mais e outros tantos de coisas que devem passar dentro dela que nunca entendi e hoje me caem como uma luva.
Ai...em sua homenagem carissima irmã...vou ouvir Tom Jobim e ler uma poesia de Fernando Pessoa...como te admiro cara...queria somente poder te dizer isso.
Voce sim é alguem que vence sempre. Como te admiro...

quinta-feira, 8 de abril de 2004

Desisti do blog yellow...
Tardezinha...vontade de fazer nada depois de brigar muito com o mac do meu brô queridinho para que ele pudesse ver esse blog.
Ele até resolveu instalar um, eca, netscape. Já que nao há meios do meu layout ser visto de forma organizada pelo micro dele...alias, obrigada ai ao sun que tem visitado esse humilde blog!
Macs, sun's...que loucura...
Tô bem feliz...daquelas felicidades bobas e completas. Tô reaprendendo uma pá de coisas boas e vendo um futuro bem bacana pra mim.
Pra ficar tudo bem a minha barriguinha podia ficar bem...mas deixa pra lá...Quero falar de flores, nuvens...como ja diria meu bombástico e nada amigo Nail...viageira...a hellokitty (tatoo)tá coçando...ela deve tá cicatrizando...quero ver se faço outra por esses dias...hehehe.
Bom...queria encher linguiça hoje full time mas tenho que trabalhar...tchau...aiai...acho que to apaixonada...boba e ridiculamente apaixonada...como eu sempre quis..fofo né?
Hum...mais colunas!!! Iris tem mais colunas!!!
Semana que vem vou escrever no site do chefito
Hum...e pra não contrariar o brô, e liberando o momento doce e continuado que estou vivendo...blog in yellow...
adoro vcs e o Bin Laden tb!
Boa Pascoa Pessoas e lembre do Papi do Céu e nao somente dos ovinhos de choco!
Ai viu...desanimei...ontem fui toda serelepe, como ja diria o novo carinha que trampa lá na empresa, ao zaffari comprar coisas naturebas pra comer, quando deparo com ela: a balança.
Tranquilamente e de consciencia levissima fui até ela ver qual era a boa...que boa que nada! engordei cara!
Que saco! Não to comendo gordura, carne, nada com açucar, só malditinhas frutas e grãos e pequenas quantidades e me vejo gorda!! Orca! Uma quase baleia?!
Não contente não me desanimei. Corri até a farmacia e me pesei e...olha lá, ele de novo.
Logo achei que era um complo dos desafetos causados por causa do ex...que sina...mas ai vi que era sério...Tava eu lá, sem vontade de comprar nada, comprei minhas porcarias naturais muito de má vontade, com um bico gigante e com cara de choro provavelmente... comprei um ovinho de pascoa bem baratinho pra presentear (aqueles que terminam com ,99 mas infelizmente não começam com 1)
Que saco viu!
A bola voltou, to gordérrima (mas ja descobri que é a meleca da tpm...bem que percebi que parei de ir frequentemente ao banban fazer pipi), com a garganta e o ouvido inflamado...fala sério!? vai ser véia e gorda assim noutro pais!!!
Que raiva viu!
Sem contar que to com bloqueio literario...tenho aula pra preparar, texto pra escrever e só me vem uma coisa a mente: Sua gorda de bola no estomago...que raiva...
E eu que pensava que esse mes nao teria tpm...que ilusao...ta ai a prova...E ontem quase voei mesmo no pescoço do chefito...que saco!

quarta-feira, 7 de abril de 2004

Não tenho muita idéia do que escrever. São tantas coisas ecoando dentro de mim e tantos novos sentimentos dançando a milhão...mas resolvi abrir minha caixinha de idéias e falar sobre ódio e borras de café.
Os árabes têm vários costumes que são muito peculiares e interessantes, um deles é o café, tomado sem coar e há alguns que se utilizam a adivinhação nas suas borras. Isso era utilizado pelas odaliscas para verem dentro da xícara de quem apareceria o desenho do sultão. A felizarda seria dado o privilegio da noite com o tal. Isso foi um must nos países árabes, chagando também ao Irã, Turquia e sul da Rússia, onde tinha grande prestígio na corte do czar.

Bem...a água é fervida, coloca-se um pozinho bem fino de café, espera-se baixar o pó e toma lentamente. Um rito mesmo. Muito bonito diga-se de passagem. Depois de tomado, vira-se a xícara, aguarda e depois observa a figura e quem sabe traduzi-la o faz. Reza a lenda que é extremamente eficaz mas não se vê passado, somente futuro com no máximo de dois anos.

Árabes...cultura enigmática eles possuem.
É esse o ponto em que quero chegar para abrir um maluco paralelo a respeito de ódio.

Esse sentimento não deixa de ser um enigma, visto que surge de uma acumulação de sentimentos desconfortáveis e culmina em atitudes desenfreadas e de extrema passionalidade.
O ódio por si é um dos sentimentos mais pueris da humanidade.
Nele encontramos ingredientes infantis, egoístas e até ousaria dizer que, ingênuos.
Ele é desenfreado e progressivo e seu fim nunca justifica os meios.
Na verdade, o ser que odeia sempre perde. Energias, tempo inventando e repassando todos os processos de vingança e relembrando as historias que só deveria esquecer.
Perde tempo, compromete a alma num exercício desgastante que nunca tem fim e o pior disso tudo, limita-se a uma vida em função do objeto a que reflete o sentimento, quando muitas vezes, deste nunca virá reciprocidade.

O ponto em que quero chegar com essa ladainha toda é que os árabes são um povo muito sábio. Onde prima uma serenidade e hospitalidade impressionante. E nesse pequeno ritual do café, tive a impressão exata do rumo final desse texto.

Baixar o pó, degustar lentamente as vias da chegada do desconfortável sentimento, observar que a lei da ação e reação é uma realidade e o objeto odiado nunca tem culpa sozinho pois a gente acaba por, egoistamente achar que foi o único ser que saiu perdendo nas historias em que questão, olhar para dentro e para trás, depois pra frente.
Virar as costas e continuar vivendo bem...o resultado sempre é muito bom e o futuro pode ser visto nessa virada com muita facilidade: Paz de alma. É o que a gente precisa pra sobreviver às tempestades que chegam de tempo em tempo.

Li dias atrás num blog extremamente querido, a respeito de "tempo de muda". Sempre existe, e, nessas épocas, tendemos a deixar os sentimentos mais expressivos e por isso é necessário pensar.
A mudança é como ondas derrubando castelos de areias que são nossa própria vida.
A gente refaz, até um dia, afinados por sentimentos que nos mandem avante e não retroceda-nos e degenerem nossos caraterzinhos já tão precários.
Sei lá...água quente e pó fino de café tomando a goles lentos. Refresquemos os ânimos e CHUKRAN por me aturar...
alias...vai lá no zupi e leiam Casamentos Modernos! minha primeira matéria no site.

sexta-feira, 2 de abril de 2004

Desculpem...


MORRI
DE FELICIDADE



Vou ter uma coluna num site de design!!! A partir da semana que vem mais gente
vai ter que me aturar os textos!

visitem!
As vezes voce pensa ser cego, pois se acostuma a olhar e nada ver. E passa os
dias numa tentativa incansável de sentir o que não sente, matar
o que não morre e viver numa constante luta onde a vida é a unica
realidade independente de ser boa ou ruim.
E passar o tempo todo a imaginar que o vento poderia mudar rumos e novas regras
serem estabelecidas para sua direção. Regras de paz e certeza de
sonhos felizes.
Olhei o dia me inseri em seu contexto, novos horizontes de um sol escondido entre
as nuvens de outono.
Não senti alivio, nem alegria.
Me senti adulta.
Ao contrario dos meus pés no chão e a sandalia ao lado do hd da
maquina.
Penso que me cego e caminho os dias imperfeitos com a maestria de um profissional
na carreira de viver.
Nunca acerto, sempre tento. Até um dia, ou eu canso de tentar, ou o mundo
resolve me ignorar e me deixar seguir meus ritmos assim, desse jeito que sou.
Exata, imperfeita e cheia de grandes vontades.

som: Pearl Jam / Unplugged


quinta-feira, 1 de abril de 2004

Papos Femininos de 1º de Abril


- hum...entao não sou uma pegadora de carinhas...falaí. quando vc
fala comigo vc acha que pareço uma pegadora de carinhas?
- parece que vc é romantica. isso é o oposto de pegadora de carinhas
- hum...adorei a coisa do romantica...sempre quis parecer romantica


(...um bom tempo depois)


- tu tá gostando dele, saindo pra jantar juntos, riem, saem juntos e tal?
- nao exatamente mas nao é todo dia que um gato com G maiusculo fica
a fim de vc. Isso mexe confesso...mas ele tá namorando...obvio que nada
muito sério mas é namorada.
- eu e ele nos damos muito bem sim. fazemos tudo isso e rimos muito pois ele
é um maluco...mas nada a ver...acho que a gente nao combina.
- Pq?
- primeiro pq ele tem namoradinha. segundo pq ele é quase mais novo,
terceiro pq ele é mto igual, quarto pq ele é meio burrinho (pq
é lindo...nao poderia ser diferente) quinto porque a gente iria passar
o resto da vida rindo e beijando na boca!
- o quinto é o melhor
- mas nao se vive de beijos...hum...embora a ideia seja tentadora...precisariamos
de dinheiro e eu to fugindo de pessoas que nem eu viajonas...
- vc fala como se fosse uma coisa ruim!
- aham...sei lá... acho que a gente nunca iria ficar junto...hoje eu
vi ele me olhando e deu um estalo e lembrei de inumeras vezes que ele me encarou
e eu sabe o que fiz? virei pra ele, sorri e mostrei a lingua e voltei ao normal...ele
é bem romantico...mas escuta Five...
- ah não!!!!putz, isso não se faz...
- pois é...quer conhece-lo?
- nao. então não tem graça. se eu NÃO soubesse que
ele gostava de Five eu até conheceria ele...fim da picada...ó
do boró gó dó
- hehehe...ele ouve mas nao gosta saca?! é descoordenado!
- ah não...decerto fica decorando as letras pra falar no ouvido da namoradinha!
- mas ele é fofo..vive me cercando e querendo saber se preciso de alguma
coisa e talz...me cuida que me irrita
- e a namoradinha dele não tem ciúmes de vc?
- nem sei...nao sei se sou presente na vida dele assim...mas no dia da batida
de carro eu tava junto e ele acabou perdendo o encontro com ela porque a gente
demorou um tempao pra voltar...
- bizarre love triangle
- muito bizarro
- eca! nada a ver...eu deveria ter me tocado antes...desconfiava mas nao sabia
que era real...confesso cara, na boa..isso mexeu comigo... ja vou.
- vai pel luz
- hum...tá certo


Som:
Jewel / Todo CD Pieces of you