sexta-feira, 30 de julho de 2004

Conheci uma pessoa linda, nesses dias em que aflora em mim o mais louco sentido de poesia, alguma coisa meio abstrata da minha realidade trouxe uma calma calculada. Uma vontade muito grande de voltar e ser exatamente do jeito que sempre fui, e hoje, pela loucura diaria que apaga os rastros e nos afasta constantemente da nossa real personalidade, nos transformando em esteriotipos de uma grande produção em série, hoje, justo hoje me vi amando possibilidades de ser eu mesma e estar junto de alguem que não se assuste comigo. É engraçado...a paz interior, coadjuvada com doses de psicotropicos fitoterapicos é algo como uma casinha na montanha e um monte de crianças correndo em volta e muita comidinha gostosa exposta numa mesa farta.Sonhei esse sonho hoje, parei de programar e sonhei com vinhos, familias e alegria. Coisas simples. Bem diferente das listras coloridas e dos layouts perfeitos que andava sonhando.E assim mesmo, como agora, nesse dia bucolico e porque nao romantico de fim de inverno gaucho, me sinto introspecta, forjadamente tranquila e de uma forma estranha mais adulta e feliz...meus sonhos voltaram no tempo. Tempo esse que nunca deixei de estar, apenas a vida, e sua grande roda de valores me fez, digamos que, perder o foco. Foco de mim, que hoje timidamente vem ao meu encontro. Limpido e sereno. Como um bom final feliz.

quarta-feira, 28 de julho de 2004

segunda-feira, 26 de julho de 2004

Definitivamente esse foi o melhor fim de semana que tive depois que me mudei pra cá.

quarta-feira, 21 de julho de 2004

Eu não vou gostar de você porque sua cara é bonita. O amor é mais que isso.
O amor talvez seja uma música que eu gostei e botei numa fita e te mandei.
Eu não vou gostar de você porque você acredita. O amor é mais que isso.
O amor talvez seja uma coisa que até nem sei se precisa serdita.
Deixa de tolice, veja que eu estou aqui agora;inteiro,intenso, eterno, pronto pro momento e você cobra! Deixa de bobagem, é claro, certo e belo como eu quero o corpo, a alma, a calma, o sonho, o gozo, a dor e agora pára!
Será que é tão difícil aceitar o amor como é, e deixar que ele vá e nos leve pra todo lugar...Como aqui.
 Será melhor deixar essa nuvem passar, e você vai saber de onde vim, aonde vou...E que eu estou aqui

segunda-feira, 19 de julho de 2004

muito oque fazer, textos a concluir, historias para inventar e até quinta feira sem aproveitamento tecnico...a maravilha de tudo é que o fim de semana foi mto bom. Dormi muito e realmente me ajudou a estabilizar em alguns aspectos.mas hj a correria desponta classica e desencorajadora...vo fazer terapias de concentração de energias antes de encarar uma psicologa...temo estar adiando o inadiavel...mas vou tentar. O que nao quero é voltar a ter que tomar "remedinhos"...aiquesaco!!!

sexta-feira, 16 de julho de 2004

hoje senti um conforto suave na minha alma. Tolerancia quase imperceptivel, agressividade de pensamentos e constantes rompantes de mal humor e desanimo tem envolvido meus ultimos dias. Não fosse hoje uma conversa com uma, olha que coisa engraçada, amiga!Digo isso porque, amigos mesmo faz muito tempo que nao tenho. Não sei se fiquei tão arisca que nao me doo mais como antes e quando o faço, como aconteceu com o Dudu naquela sexta muito tudodebom que bebemos e trocamos ideias a respeito de nos lá em casa, me sinto culpada e achando que nao deveria faze-lo.O Dani ja disse uma vez que eu nao conseguia ser amiga e me abrir...acho que é por isso que fiquei uns bons anos em analise psicologica. Mudei e voltei para a casca em pouco tempo. Agora entendi o que diziam. A gente fica com medo de se abrir. Entendo a resistencia de algumas pessoas que conheço e passo a entender a minha também.Ainda que essas palavras gentis que ando trocando com pessoas tão diferentes me façam muito bem, temo que tudo isso passe logo como um sonho bom.VOu fazer, antes de ir a psicologa, umas trocas de energias. Vai ser legal. Mesmo porque a grana tá curtissima e nao tenho como pagar esse mes uma psicologa "fura olho do caramba"...humpf...onde chega a modernidade do ser humano, pagar para ser ouvido...arre...espero sempre que meus amigos possam contar comigo...mas depois dessa fase pois, nao é má vontade de ouvir e sim total falta de aproveitamento técnico da minha pessoa...vo trabalhar...fazer a unica coisa que me da um animo.

quinta-feira, 15 de julho de 2004

Tudo nessa vida é uma constante de esperas...tenho que procurar ajuda clinica mesmo...ok. vamos lá...achei alguma coisa semelhante ao que eu quero sim, alguma coisa behaviorista...achei uma clinica de malucos que tem psicologos assim...la vai uma grana que eu nao tenho em prol da minha sanidade mental. Pensei que fosse forte mas to dando sinais caracteristicos de baixa de guarda. Tava falando com o Ju, meu primo lindo...mandei uma foto pra ele e ele disse que to triste...pior é que eu tava num dos meus melhores humores...ele ainda nao me viu depois de adulta, afinla faz quase dois anos que nao nos vemos. Comentei isso com um dos poucos desbloqueados do meu msn, o fofo guz...e ele falou q to bonita, que sou bonita. sei lá...e daí? de que isso realmente importa? Mas na verdade é que ele concordou que tenho de uns anos pra cá tido paulada em cima de paulada e meu cerebro tá pedindo penico...hehehe...é estranho olhar holisticamente para mim e ver que sou velha e cheia de coisas para fazer, tenho que continuar minha vida, meu trabalho que adoro e ao mesmo tempo passar por cima dessa crise..to até com dó do psicologo que me atender...vai ficar maluco com a tempestade de informações que vou jogar nele. Mas isso tudo vai passar. Ainda bem que esse blog tá deserto de uns tempos pra cá...é melhor mesmo que nao me vejam reclamando tanto assim...vo lá...olhar o guaiba e terminar de colocar uma interface num html e seus includes php.
InConforme

Silencio. Guardo um segredo. As chaves escondidas num canto qualquer desse espaço
vazio que criamos quando não estamos só.
Descem as cortinas e a cena acaba. Ao toque de tuas mãos o nada principia
sua dança na noite escura que criamos para nos unir.
Com formas delicadas de sombras, observo voce chegar, abrir a porta e olhar o
infinito como alguem que recebe uma mensagem secreta.
Nada mudou desde o tempo em que éramos crianças.
E a medida que passa o tempo e a idade avança nos calendarios dos talões
de cheque, envelhecemos um misto de ternura e inocencia, com medo de viver e se
doar.
Voce me diz com seus olhos frios que o mundo de realidades é distante daquilo
que se propos a sonhar.
E eu só tenho o que eu vejo de toda essa paisagem e sei que não
te completa, não te satisfaz.
Voce sonha com historias felizes tão suas que os grandes contos jamais
ousaram criar. Eu construo fatos tristes e vividos para não parar no tempo.
Nessa dança de crianças tolas que sonham e realizam estamos juntos
e caminhamos só.
Até encontrarmos aquela velha cabana no deserto dos nossos passos, para
sentar e descansar.
Quem sabe assim, entendendo esse muro inconstante de velozes pensamentos que nos
afastam das realidades que nao tens e dos sonhos que eu deveria buscar.

quarta-feira, 14 de julho de 2004

ai...terminei o texto...em 20 minutos...mó brainstorm do dia...tá na incubadora para meus acertos...e troquei a falta da jewel pela marisa monte...na boa, nao é a mesma coisa...mas tá valendo. decidi. vove shrek...só rpeciso substituir o café por chá...vo faze isso agora.
Esqueci a Jewel em casa...e acabei esquecendo o que eu tinha que fazer no trabalho...esqueci de dormir também...pensei tanto...tanto...tanto...foi até divertido pois numa tentativa de meditação fiz uma viagem no tempo e espaço e me lembrei de coisas bem singulares da minha infancia...até da primeira e unica rabanada que comi em 1985 e da minha casinha dos anjinhos da sanrio em 1983...eu era bem jovem...mas lembrei até da textura da mesa.
Muito interessante esse resgate mnemonico.
Hoje preciso me organizar para ter sono...acho que vou ao cinema assistir qualquer coisa e preferencialmente sozinha...quase surtei porque esqueci de verificar se a instalação do xp na minha maquina deletaria meus arquivos...mas ainda bem que tudo ficou normal pois apertei o botao certo.
Vou ver se consigo ao menos uma ideia para um texto e tentarei ligar pra Josy pra ver qualé a parada do dia 20 na facu...bom...preciso organizar minha alimentação tb porque esta uó da porcaria...hum...preciso mandar um email avisando do texto...preciso viajar...urgente...vou fazer uma viagem pela serra de repente...ja que pra sampa tá me parecendo meio dificil...vou em setembro..normal...depois que estiver na minha casa definitiva...vou adquirir conhecimentos e buscar temas para a coluna do site...fui...nao liguem...to ligada no 220 por tempo indeterminado...e se nao cuidar além das naturebices vou ter que tomar remedinhos...aiai...que ó...mas logo passa...até uva e banana passa...pq isso n passaria?

terça-feira, 13 de julho de 2004

pitstop psicologico
Acho que tô meio stressada de tanta coisa que arrumei pra fazer.
Vou tirar umas férias das minhas invencionices senão sou capaz de pirar...mas por outro lado...justamente essas coisas que arrumo pra fazer a cada cinco minutos é que me ajudam a esquecer alguma coisa que nao sei oq é...sei lá...ta muito grande essa coisa de varias coisas pra fazer e ao mesmo tempo tem coisas pequenas que nao posso modificar e isso tem me irritado a beça.
Não quero ver a cara de ninguem, queria só ler...tenho que ler muito a respeito de biologia humana e microbiologia pra entender umas coisas que resolvi estudar mas ando sem paciencia...acho que precisava pintar ou desenhar...mas também to sem paciencia...acho que queria ouvir jewel...tentei meditar ontem e nada era...acho as vezes que sou uma ingrata mas a impaciencia tem me dominado nas ultimas semanas...to até sem fome...desde sabado...isso é bom...sei lá...to meio de saco cheio de tudo...ainda nao to depre, nem vou ficar. Jurei pra mim mesma que nunca mais fico depre mas to com horror de pessoas...quanto menos sabem de mim, menos horror eu tenho.
Só não to com horror da minha familia que eu tenho conversado a beça e to bem feliz com isso.
De certa forma isso me da base pra esse momento "total stress" que to vivendo.
A droga é que tenho bilhoes de coisas pra entregar, nao to com vontade de nada, nem acredito que consegui entregar a logo do Rê...meus textos eu nao tenho a menor ideia do que escrever...uma anta pois tenho ideias mas falta vontade total...to sem vontades...estafada...sei lá...vou dar um tempo da minha realidade e escrever um conto quem sabe...nao...nao é isso...sei lá. algo me incomoda.
Questões familiares talvez, algumas impossibilidades visto que tem gente que amo meio mal...sei lá...na verdade to bem incomodada com tudo...ai ja sabe né, ansia, estomago apodrecido, mal humor...vixi...preciso achar algum trabalho...ja que tudo que faço acho um hobby.
Diriam que preciso usar minhas mãos, pq essa coisa de pensar muito as vezes estafa mesmo...preciso desenhar...urgente.

segunda-feira, 12 de julho de 2004

bah...fiquei podre sabado todo. foi niver de um amigo e eu e as meninas fomos a festa...bebi muito e o mais engraçado é que fui tentar acompanhar meus mano na bebedeira e nao dei conta. mas nada catastrofico...mmas quase fiquei com o amigo aniversariante.
Não que ele nao seja fofo e ficavel mas é amigo né?!
Adoooooooro ele pra bjar e depois nao ter mais amizade só ficaria se fossemos continuar juntos...nao posso perder sua amizade...embora muitas vezes eu acredite piamente que ele é muito "feio feio" e não mereça meu amor...aiai...nao quero essa historia se repetindo...mesmo pq ele é muito preconceituoso para meu livre espirito.
Sei lá...falei com a minha irmã e foi bom, ela me atendeu bem normal. Devia estar carente de familia.
Mas,ainda assim foi legal. Beeeeeem legal...e era isso. Cambio desligo
Odeio homens bebados de 1,99.

sábado, 10 de julho de 2004

Pois é...hoje é niver dos meus mais queridos amigos...engraçado...ambos fazem as mesmas coisas, tipo...mesma profissao e tal...mas to meio arrazada na verdade. Ontem tive uma conversa ultra seria com meu primo fofo e ele me disse umas coisas que me deixaram muito triste. Amo o cara. É meu irmao por convenção. Me dou melhor com ele do que com minha propria irma e me senti super honrada dele me contar, apesar das nossas distancias, seus segredos que afligem a alma.
Fiquei com raiva de muita coisa. nao dele. Raiva da minha familia, da porra daqueles internatos que só servem para aparentar controle e na verdade napo ajudam a formar carater nenhum...quase pensei que, se nao tivesse saido de casa algumas coisas nao teriam ido tao longe...sei lá...me senti meio egoista e culpada pois eu e ele eramos extremamente unidos...cara! só chegar perto da maluquice da minha familia pra sentior o péso que tem lá...sei lá. to tentando fiocar feliz pois hoje tem festa e ninguem merece uma iris revoltada...ontem bebi uns vinhos pra dormir pois tava bem encanada...mas passa. Sacal é o sentimento de impotencia diante dos fatos, ainda mais com o meu primo fofo que amo tanto...bah! queria ter poderes...superpoderes...vo come lanche com a minha amiga japa paulista e vizinha...tchau.

quinta-feira, 8 de julho de 2004

cara...to com a garganta quase fechando...tomei chá com sacarina...putz...putz...que alergia do caramba!
To empolgada com minhas descobertas cientificas a respeito de inteligencia e energia vital. Ainda nao entendi o que farei com todo esse conhecimento mas parece que a partir daí pode começar a surgir um pequeno esboço do tão sonhado livro.
Ontem falava com no Hu dessas coisas todas e da real aplicação delas na minha vida. Aumenta meus conhecimentos, me afasta mais um pouco das pessoas comuns e eu mais uma vez entendo melhor todo mundo que não em entende e nem faz questão. Egoista esse pensamento. Por isso deixei de lado e passei a olhar da forma do hu: Sou um ser sedento de aprendizado e curiosissimo. Me alimento e fico extremamente feliz aprendendo. Dane-se o motivo. Certamente todo conhecimento nao é em vão...uma hora me servira para algo.

quarta-feira, 7 de julho de 2004

Bah. De tanto falar da minha familia fim de semana passado, desde segunda to trocando altas idéias com eles. É estranho ver que tá tudo tão igual e que não mais pertenço àquela lógica.
Tive até vontade de me envolver mais e...sei lá...tô tão alheia a tudo aquilo que fica estranho me imaginar inserida novamente naquele contexto.
Não que deixei de gostar deles e senti-los como parte da minha vida, ao contrário, eles ainda são muito ligados a mim mas funcionamos em lógicas distintas.
Quando voce está de fora, começa a perceber que não precisa de certos stress, certos pontos de vista meio desfocados, neuras infundadas enfim, tudo passa a pertencer a um outro plano.
São adoráveis com certeza, mas não me imagino mais discutindo certas coisas que, uma vez novamente em contexto, surgirão e muito menos me imagino ouvindo conselhos.
Queria saber histórias da galera de casa. Historias antigas.
Que nem minha vó contava da imigração da galerinha dela para o Brasil, ou que minha tia contava da familia do tio, ou do meu pai que enfrentou guerras na Italia qdo era pequeno...sei lá.
Isso pra mim traduziria docemente "familia".
Recordar historias e se rever dentro delas. Ainda que antigas.

Sabe, disso tudo tiro uma conclusao:

Viver é muito mais que sua própria tradução em sinonimos. Por isso, aventuro-me a dizer que sub-vivemos por não ter meios humanos para descrever tal atitude.
Quando entendermos a sua real definição, passaremos a estar melhores e bem colocados dentro desse vasto mundo de oportunidades furtivas.
como descobrir se uma iris está num periodo de tranquilidade?
Observar a quantidade de conhecimentos extra curriculares que ela se presta a obter. Quanto mais coisa estranha ela estiver angariada, mais neuras ela esta.
No momento estou empolgadissima com os estudos a respeito da psique humana aliado a 4 dimensão. Complicado estudar, uma vez que não consigo o silencio suficiente para rever toda a biologia perdida dentro de mim...o pior de tudo é que to atrasada 2 textos para entregar para as colunas de design que escrevo e nao to com a menor ideia do que dissertar. Na verdade preferia falar de ideias fixas, excepcionalidades da inteligencia mas definitivamente nao tem nada a ver com os sites...aiai...preciso achar um tema para design, sem perder a linha psiquiatrica que invadiu meu ser.
Vou ao cinema com as mina do predio...ve o homem aranha...mas ando tao desligada que spou capaz de traçar um perfil pisicologico de todos os personagens e nao me ater ao enredo da historia

terça-feira, 6 de julho de 2004

Meu! Esqueci completamente da UFRGS nesses dia de homeless! Esqueci completamente que tenho que arrumar uma peruca loira e cantar uma musica cafonérrima para um show que a gente tá fazendo para nossos alunos. VAi ser super legal! mas havia esquecido completamente.
Alias, falando em esquecer, falei com meu primo que disse estar morando com meu outro primo. Aimeudeus...que loucura esses meus primos!
Quer vir pra ca morar comigo. Seria super legal. Familia perto. Sinto falta! Mas é só historia pois desde que me mudei ele fala que quer vir pra cá.
Bom, vou fazer algo que nao sei mas vou aprender na marra: programar. Não posso ficar esperando e olhando aqueles codigos todos me atrapalhando! Preciso coloca-los em seus devidos lugares. Fui.

segunda-feira, 5 de julho de 2004

vou te falar. ser mulher atualmente nao é facil. quero nascer chaveiro da luluzinha na proxima encarnação.
Sinto uma densa e grossa nuvem de neuras se aproximando lentamente...pelo jeito a previsão será chuvas e tempestades de escolhas definitivas pelosa proximos 3 meses...aiai...aiai...nunca fui boa nisso.
Alguem pode escolher por mim?
Amanha, falando em escolher, começo a procura do presente ao amigo perfeito...aniversários de queridos sempre merecem os melhores presentes...duro é achar oque tenho em mente...mas adoro presentear. Quanto mais dificil, mais legal. presente e cartão...eba!!
To ouvindo um cd novo. Que ganhei a muito tempo mas fui recebe-lo sexta feira.
Sei lá. Fim de semana bem confuso onde fiquei perto de minhas origens falando demais delas, segredando algumas coisas depois de uma triste constatação.
Mas a noite terminou feliz. Sabe...tenho a impressão certa de que nunca mais quero ficar longe dele. Briguei meio stressadamente a tarde mas, depois de tanta coisa bacana conversada, ja que não rola outra coisa senão amizade porque não estou dentro dos padrões "boa moça casadoira" que ele almeja, ao menos seremos bons e conectados amigos.
Me deu, por instantes, naquele dia, saudades da época que eu era mais nova, morava sob tutela da galera maluca lá de casa e era totalmente regrada e condicionada por eles...mas o que eu tava pensando! Que maluquice!
Ter feito uma escolha me deu tanto viço e tanta alegria e hoje finalmente colho frutos da aposta que fiz comigo mesma de que eu sabia o que queria.
Mas essa coisa de preconceito sempre me seguiu. Engraçado isso. Por isso entendia tanto o Dani. As pessoas te julgam pela sua familia, pela sua origem.
Se voce é muito simples, te rotulam; se voce é mais nobre, te rotulam; Se tem familia, rotulos; Se não tem, rotulos novamente.
A gente parece uma ampola de remédio! uó!
Me lembrei a beça, da época que eu era adolescente e do quanto os pais das minhas amigas achavam eu e a minha irmã umas coisas abomináveis por nao termos pais e por nossos "malucos" tios fora do universo social deles e, diga-se de passagem, não precisavam ostentar e fazer de conta: Bancavam seus luxos na maior dignidade. O que diferia imensamente dos pais das minhas amigas.
Eu adorava aquilo. Minha realidade, com meus tios descoordenados e minha vida nada ortodoxa. Sei que só não era excluida da vida social daquela galera por causa do dinheiro que a gente ainda tinha.
Quantas vezes eu e a minha irmã conversamos a esse respeito. Não era facil. E isso acabou desde que rompi com tudo. Mas, de repente, do nada, me vejo novamente cuidada com esse tipo de observação.
Sei lá, o fato de que a 15 anos não tenho pais não significa que não tive educação, princípios, não significa que não fui orientada de alguma forma pelos meus tios e tutores e ainda mais, o fato de ter optado por não estar ao lado deles, estar num lugar distante e vivendo minha vida da minha maneira não significa que será delituosa, promiscua e muito menos imoral e indigna.
Na verdade, só sobrevivo aqui, ilesa a vicissitudes e pequenezas da vida por que, justamente tive esse background familiar. Tive conforto, apoio, estudo, carinho.
Mas optei por mim mesma. Não acho isso indigno. Claro que, no decorrer dessa escolha houveram espinhos, mas já passou.
Algumas coisas me arrependi, jamais faria novamente e isso é muito forte.
Mas não queria ser ou estar como minha prima, minha irmã. Quero ser e estar como estou agora. Viva, intensa e cheia de coisas boas para fazer.
Quem realmente me conhece sabe que sou bem diferente dessa visão "liberta" que querem me colocar.
Sou total na minha, nada deslumbrada e convicta de que posso ser feliz. E, se tiver uma pessoa ao meu lado vai ser ótimo. Mas ela vai ter que entender que não terá sogros, quando um bebê nascer terá uma única vó e se quiser, por exemplo, me pedir em casamento, terá de ser para mim e estar ciente de que, provavelmente não verá meus familiares na cerimonia.
Escolhas são pra sempre. Todas elas, de alguma forma.
Não me arrependo. O que me magoa, é ver toda essa construção a duras penas, interpretada de forma tão cruel ainda hoje, pelas pessoas que penso querer bem.
Sei que, muita coisa mudou sexta feira. Confesso que fiquei feliz com isso. Algumas más impressões foram por terra.
Aí fico pensando...a gente complica demais a vida, não quer enchergar as coisas boas ao redor e teme apostar em risco. Quando na verdade, o risco somos nós que fazemos. Na normalidade e na rotina, o risco duplica.
Sei lá...to numa guerrilha muito grande dentro de mim. Não quero gostar demais de quem me tem como uma pessoa "fora do padrão". Não quero sofrer. Acho que posso ignorar isso tudo. Mas confesso que fiquei pensando bastante, e nos meus devaneios tolos de quem queria ser feliz, visei uma possibilidade de amor.
Sei lá...acho que to viajando demais e fico vendo possibilidades na impossibilidade...Pior disso tudo, discriminação...aiai...alguem pode parar tudo. Quero descer! Acho qeu não mereço isso...vou comer pao de queijo!
bjos

sexta-feira, 2 de julho de 2004

Hoje vinha vindo para o trabalho meio atordoada com a quantidade de gente que apareceu premonitoriamente nos meus sonhos...que atividade noturna! meu ká trampou horrores.
Fui pegar um onibus e isso me deixou bem stressada pois o dito motorista nao me enchergou e acabei chegando atrasada (dentro da minha ampla margem de chegada claro).
Enquanto esperava observei as pessoas: Como tem gente diferente aqui.
E, nessa loucura para ir a Sampa que tô, lembrei de novo da quantidade de pessoas normais, sob minha ótica, que tenho por amigos lá naquelas bandas paulistas.
Me deu saudades disso. Musicas normais, gostos por lanchonetes (e nao lancherias) normais.
Claro que, chamo isso de normalidade porque são minhas realidades.
Mas não vejo a hora. Se não conseguir ver ninguem que conheço ainda assim vai ser maravilhoso pois só de pisar na paulista, ver uma fantástica exposição no itau cultural (tá...nem é tão fantastico assim...tudo bem)e depois almoçar lá mesmo, ir à liberdade comer bolinho primavera no espeto e sei lá...assistir o sptv...sei lá...não vejo a hora de ir.
Pareço uma alucinada insandecida. O mais de tudo é que essa vontade é tão grande que me faz esquecer a sacalidade do meu ap. Sem contar na possibilidade de encontrar velhos amores...sei lá...pra mim sou super básica mas parece que as pessoas aqui não acham, caras especialmente.
Aiai... passa logo julho! passa!

quinta-feira, 1 de julho de 2004

Chuva=Fome
Comi muito.
Também...com a dissolução de POA acontecendo bem na janela da minha sala, só me resta a preguiça.
Alias, falando em preguiça. Ando muito empolgada, feliz da vida por causa da minha viagem a sampa. Ja programei tudo e, tirando meu trabalho, é a unica coisa que me deixa totalmente alegre...to muuuito animada.
Falando em animação, minha vidinha basica etá na boa. Recebi um convite muito sério de trabalho, desses meus hobbies e estudos paralelos que faço...nada que interfira no meu lado webdesigner de ser.
Responsa grande. Mas acho que vou encarar. Mas preciso de umas boas reuniões antes.
Tô no meu eixo normal, surpreendida por uma situaçãozinha não resolvida de sampa e muito feliz por seu resultado...pois é.
Acho que entendo todas as porradas na cara que levei até agora. Odeio ter que admitir que precisei passar por isso pq precisava crescer...mas a partir de agora vou aprender a ser gente com teorias esperimentais e nao praticas vivenciadas e sequenciais...hehehe...vo pessoas, vo fala com o cara mais fofo e mais meu sonho de consumo matrimonial que existe.