quarta-feira, 31 de dezembro de 2008


Hoje eu plantei camomila em dois vasos laranjinhas que eu tenho...eu os tenho pois na verdade não sou uma boa "jardineira"...mas tenho um cactus.

Também comprei rosas e uma outra flor de nome complicadérrimo mas com as cores e caules mais lindos que eu já vi...mas vamos falar da camomila...eu gosto especialmente da camomila desde pequena. Lembro de litros de chá de camomila que eu tomava na minha mamadeira, lembro do cheiro de infancia e da sensação de proteção que ela me traz.

Este ano a camomila foi bem importante para mim nas minhas questões de terminos profissionais...eu tinha um grande pote cheeeio de camomila na minha mesa de trabalho, junto com minhas turmalinas e o mais bacana é o cheirinho de proteção que eu sempre sentia.

Camomila me lembra casa, conforto e "equilibrio". Eu sei que qualquer manual de plantas mágicas e ervas não irão encontrar nada parecido com estas minhas "lembranças" mas para mim a camomila e a canela tem as propriedades normais e são acrescidas das minhas impressões.

Espero que minha plantação dê super certo e em um mês eu já possa ter pequenos pezinhos de camomilas nos meus vasos laranjas.

Hj é o último dia do ano do calendário cristão...fico impressionada com o clima todo...a TV fica diferente, minha terra querida (sampa) fica vazia e o litoral vira uma extensão da mesma...em Poa também fica assim.mas é diferente...sinto-me saudosa da minha terra especificamente hoje.

Então o Senhor 2008 já está levantando acampamento...gostei tanto deste ano q dá vontade de abraçar tããããão forte e beijocar as bochechas dele até ele sair correndo de tanto carinho...tipo aquelas crianças que são atacadas pelas tias gordas e chatas...

2009 vai ser diferente...ele me assusta mas eu acredito que será um ano tão grande e tão cheio de delicadas nuances como foi 2008...minhas resoluções...hum...xovê...

Vou dividi-las em tipos.

Resolução tipo prática:
  • Economizar
  • Aprender a trocar corretamente a marcha do carro
  • Caminhar religiosamente 3x por semana
  • Fazer almoço decente e no horário

Resoluções tipo teóricas:
  • Viajar pelo menos uma vez por mês nem que seja dentro do estado
  • Dormir fora do horário comercial
  • Meditar todos os dias
  • Não me irritar com perguntas idiotas

Resoluções tipo esotéricas:
  • Entender meus sonhos como sinais claros e evidentes
  • Ter mais compaixão pela discrepancia evolutiva de todos nós
  • Amar
  • Ser leve de energia sempre. Haja oque houver

Resoluções tipo lúdicas:
  • Aprender italiano
  • Aprender a jogar damas
  • Pular de paraquedas
  • Conversar com pessoas beeeem mais velhas

Resoluções tipo porra-loca:
  • 140km na freway
  • Pular de paraquedas (no sentido born to be wild)
  • Namorar sério
  • Sair do país sem dinheiro

Resoluções tipo universal:
  • Ser consciente
  • Ser energética
  • Ser fluida
  • Ser feliz
Gooood vibrations para todos nós...sempre e tanto...tanto quanto quisermos e intentarmos!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Morre lentamente


Morre lentamente quem não viaja,quem não lê ,quem não ouve musica,quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destroi o seu amor proprio ,quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito ,repetindo todos os dias o mesmo trajeto,quem não muda de marca , não se arrisca a vestir uma nova cor , ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televião o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão,quem prefere o negro sobre o branco,e os pontos sobre os iss em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho nos olhos, sorrisos dos bocejos,corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho , quem não se permite pelo menos uma vez na vida fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva que cai incedssante

Morre lentamente quem abandona um projeto antes de iniciá-lo , não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não respondem quando lhe indagam sobre algo
que sabe.

Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples fato de respirar.

SOMENTE A PERSEVERANÇA FARÁ COM QUE CONQUISTEMOS UM ESTÁGIO ESPLENDIDO DE FELICIDADE.

Pablo Neruda

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

fui caminhar minha noturna e taciturna caminhadinha básica por vias escolhidas a dedo para não ficar disputando calçada com ninguem...hj especialmente sai feia...cabelo lambidão para tras e a maldita tictac prendendo a franja que, convenhamos me dá ares evangélico-pentecostal...nada contra aos adeptos mas em mim não fica muito bem este look...

pois bem caminhando minha rua escondida me deparo, na esquina dois implacáveis reporteres esperando suas vitimas...fiz uma analise mental de mim para ver se seria escolhida: camiseta velha, tenis, cabelo horroroso, oculos torto, sem meus aneis e pulseiras, nem protetor nos labios...é...entendi que pelo meu look frankstein seria a escolhida...comecei a rir sozinha e lá fui eu dar a entrevista...

...era para falar do Lula e do posicionamento dele ante a crise economica mundial...tô suuuper por dentro do posicionamento dele...sou extremamente apolitizada...ok...disse umas frases de efeito e com efeito se fizeram...

...continuei caminhando e dando risada e esperando q meus fãs não me vejam...que viagem...

sábado, 6 de dezembro de 2008


Minha carta do dia no tarô é o Eremita...é uma carta de introspecção, auto descoberta....é tipo uma carta que te inspira a olhar para dentro...e eu confesso que preciso olhar para dentro com certa urgência...dormi com minha pedra nova e minha turmalina...alias as duas...turmalina negra chamada boolie-boolie e a pedrinha....tô super fooora da casa e preciso entrar nela com velocidade super sônica...ontem eu estava muito desorganizada nas energias e isto não é adequado...

aiai...tô como sono ainda e com dor de cabeça por causa das misturadas da night de ontem...hj não queria sair de casa mas tenho um niver de uma amiga q nem mora mais aqui e veio especialmente para comemorar o niver dela...preguiça e necessidade de entrar na concha...depois eu volto...

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Comprei um vestido. Desses vestidos que todas as mulheres ligadas na moda provavelmente compraram também...mas eu não sou ligada a moda porém comprei...na verdade oque me atraiu nele quando o vi foi a possibilidade da liberdade...ele é extremamente longo e fluido...e fica mais longo ainda porquê sou baixinha...pois bem...é um típico vestido de verão...embora a temperatura esteja baixa por aqui...tem uma chuvinha lá fora que me convida a tirar os cobertores do armario... e hoje a noite a previsão é de 15º...

...mas falando do vestido foi muito engraçado comprá-lo...tive que trabalhar umas 5 horas a mais para poder comprar sem peso na consciência...ou quase sem peso...enfim...no começo da semana estava em crises por causa do término das atividades em São Leopoldo e resolvi sair caminhando contra o vento...deveria ter ido à favor do vento pois acabei caindo dentro do shopping...

...fui lá e peguei dezenas de vestidos para experimentar na certeza de que nenhum serviria ou ficaria bom...todos serviram...e quase todos tinham 3 digitos...fiquei intrigada com o destino das coisas...da moda...da numeração dos vestidos...

...ai me apaixonei por um determinado...coloridiiiissimo e cheio de flores (o que definitivamente não é minha cara) mas com bastante verde, que é uma cor que eu gosto bastante....enorme em largura e comprimento...vou ter que usar com salto ou cinto...mas seilá...foi um rompane perua da minha parte mas no dia que experimentei não estava segura de que deveria comprá-lo mas ontem, fui atrás dele e deu tudo "consumistamente" certo...

Uma pena que a temperatura não esteja favorável mas mesmo assim estou vestida com ele e um casaquinho...num gosto de ficar estreando roupas em ocasiões especiais...eu preciso impregná-las com a minha energia imediatamente após a aquisição...então...descabelada, com havaianas, oculos, vestido de verão novissimo e casaqueto de inverno...essa é a Iris...

sábado, 29 de novembro de 2008



meus sabados a alguns anos tem uma sacralidade particular: Ele é um dia dedicado a meu egoísmo intenso.

...acordo sempre tarde e não penteio o cabelo, não tiro a camisola e não arrumo a cama...e as vezes nao escovo os dentes (não escovar os dentes é tão libertador...experimentem! Mas só aos sabados)...fico deitada a maior parte do tempo...confesso que não como direito pois fico com a preguiça sabatina de fazer comida...converso um pouco no msn, assisto meus desenhos prediletos (bob esponja e hello kitty) e assisto seriados antigos (chaves por exemplo de tanto ouvir um certo alguém falar dele)...

é sinceramente um dia magnifico...eu medito, estudo algumas coisas relativas a energias, durmo, sonho...hj especialmente como estava muito energizada acabei fazendo alguns trabalhos mágicos de envio de enrgia para minhas duas irmãs: a ruiva que hj presta EAD em sampa e a morena que hoje vive sua maior batalha pessoal...

...hum...essa coisa de não fazer nada o dia todo é muito confortante...depois das 20h geralmente vou tomar banhos e arrumar oque fazer...isso não é regra...posso acabar arrumando oque fazer antes das 20h ou emendar até o domingo que é quando eu vou cuidar do cabelo, das unhas, da pele, da casa e dos trabalhos...

hummmm...a preguiça é uma coisa muito boa quando vem dentro de um sabado...boa preguiça a tdos...

PS: como é sabado e estou no dia de preguiça não corrigi o texto ;)

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Lembrando da minha mãe


Santa Catarina está desolada...dentro da minha fria porém solidária ótica aquariana fico muito triste e já tratei de conversar com boa parte dos meus amigos que moram lá para poder ter certeza de que estão bem... Todos estão.

Estes dias, em que os noticiários extrapolam de informações sensacionalistas sobre o desastre natural daquela região me lembrei da minha mãe...

nos idos dos anos 80...não me lembro o ano pois eu era uma "mini mínima minina"...mas nesta época santa catarina teve um desastre destes e me lembro muito forte das palavras "flagelados de Santa Catarina" que os reporteres da Globo, aos quatro cantos anunciavam...acho que foi umas das primeiras palavras que aprendi...hehehe

buenas...minha mãe era uma figura muito ímpar. Um misto antipáticissimo de perua com maezona de todos. Ela era uma bruxa assim como eu e da forma dela, tinha muitas pessoas ao seu redor e tinha muito mais amor que eu pelos necessitados...eu me lembro que em épocas como dia das crianças, natal, ela movia toda São Paulo em busca de doações de roupas, brinquedos, comidas...me lembro muito fortemente de uma caixa repleta de sapatos de cores estranhíssimas que eu vestia todos e ficava desfilando sem roupas dentro do banheiro (eu devia ter uns 5 anos e provavelmente fugia de dentro da banheira e ia para a caixa dos sapatos...me lembro das milhares de bonecas cabeludas...queria todas para mim...

...pois bem...havia uma praça na frente de casa que minha mãe fazia festas enormes beneficientes...tudo com doações de políticos e talz...infelizmente minha mãe se relacionava com a esposa do Maluf...mas era por uma justa causa...

mas o fato de escrever tudo isso associado à lembrança dos flagelados dos anos 80 foi que um certo dia cheguei da escolinha, no final de tarde...acho que eu devia estar no jardim...enfim...tinha um caminhão gigante parado na porta de casa lotado de coisas...eu no meu mini tamanho achei o caminhão enorme e até me passou pela cabeça q ele poderia ser da terra dos gigantes...perguntei para minha avó oque era e ela me disse algo assim:" são donativos para os flagelados de Santa Catarina que sua mãe arrecadou" 

...num preciso dizer q fiz minha avó explicar oq era donativos, flagelados, santa catarina e responder os porquês deste caminhão e talz...

O bacana disto tudo é q minha mãe, dentro das histórias complicadas dela, era uma pessoa boa e eu me lembro dela todos os dias atualmente de uma forma muito altruísta...ela era o cara...

Eu tinha tantas coisas para perguntar a ela e... outras tantas que ela conseguiu precocemente me ensinar antes de partir...estas eu queria dizer que me calaram a alma e me projetaram para caminhos melhores...

mas agora sinto a presença dela em pequenas e significativas coisas: No meu contato com energias, nos pensamentos brandos q me lembram suas boas ações, na serenidade de como eu entendo e perdoo seus erros gerados por sua natureza extremamente passional e cada vez que não me vejo passional me lembro dela também...me lembro que não herdei esta característica...

minha mãe foi minha primeira mestra na grande arte...abriu varios canais energéticos dentro de mim e me mostrou com uma sabedoria antiga todas as possibilidades do outro lado da ponte...do invisível...e tenho certeza que ainda hoje inspira alguns atos meus...

...nestes pequenos momentos tenho muita vontade de ser como ela...olho uma pequena marca que tenho em um dos meus dedos das mão que herdei dela e me reconheço parte exata...mas ai lembro como é bom ser eu mesma, sem máscaras e com sombra e luz...e percebo que por ela criada, me tornei sua pequena extensão ...sem querer...mas com muito mais arte.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Hoje, mais um dia de noite um pouco tensa...ontem a vizinha bipolar resolveu chorar a falta de sua internet - em em decibéis acima da média - depois da uma da manhã...esta noite não me lembro conscientemente o que aconteceu mas sei que alguma coisa aconteceu pois acordei algumas vezes... e posso afirmar de uma forma energética, que estive em altas turbulências porém, não posso afirmar se foram ruins...acho que só turbulência mesmo...

Minha vinda ao trabalho foi excelente meu set list estava afinadíssimo com meu estado de espirito, logo...super cool...

No posto de gasolina conheci uma marca de cigarros que não me lembro o nome mas a embalagem é fantástica e muito slim...20 cigarros em uma mini caixinha linda...se eu fumasse certamente fumaria aqueles...obviamente fiz o moço do caixa deixar eu pegar os modelos de cigarro fino para minha necessária "olhada" com as mãos.

Cheguei no trampo numa versão "perua"...gente...adoro me vestir como dá na telha! Hj perua e amanhã só o amanhã decide! Hum...achei uma vaga na sombra...na verdade vaga "meliantíssima" no predio da empresa (que não funciona) ao lado...

No meu trabalho tem uma colega "modern hippye" que me mostrou um video sobre a mudança de 2012 para a 4 dimensao...de cara achei muito mato, pessoas dormindo no mato, comendo cru e nenhum sinal de tecnologia metálica ou wireless...muito lindo mas certamente não faço parte da lista VIP para a 4 dimensão...assim como nao faço parte dos 144.000 que irão ascender aos ceus quando o Cristo voltar...isto tudo me fez pensar seriamente nas religiões e na promessa de praticamente todas, de que haverá algo muito grande para acontecer, modificando  as rotas e os estilos de vida de todas as comunidades, visando a melhora de cada um e do meio em que vivem...

As vezes esta promessa me assusta. Não pelo fato claro de que eu não estaria na lista VIP destas religiões, seitas ou estilos de vida livre...enfim...me assusta pela necessidade coletiva desta mudança refletida nessas promessas e esperanças...que doido...quando Jung falava de arquétipos eu jamais imaginei que a coisa iria tão longe e de forma tão coletivamente inconsciente...

Mas é isso aí...e o baile segue!
vou workar...hj estou apaixonadíssima!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Comprei balas butter toffe...preciso de glicose por causa das modificações doidas que os hormônios causam dentro da gente qdo estamos de TPM...

O chato é que apertei meu aparelho e não consigo mastigá-las...e hoje não vim de carro...volto de metrô (trem)...sociabilização forçada...que doente...nada a ver uma coisa com a outra...tsc...tsc...

Hoje estou fechadíssima, hermética, e isto é muito engraçado...já decidi que hoje a noite vou comer comida chinesa...e acho que vou fazer banho de creme no cabelo...

Meu msn badaladíssimo esta ausente e meu skype (nem tão badalado assim) está ausente também...

O skype me incomoda porquê lá dentro tem um contato que foi para a Europa e se esqueceu de mim...mas eu já sabia que isto iria acontecer porém...quis me iludir de forma consciente...mas isto não é tão incomodativo pois sei do sentimento que existe e sei também das impossibilidades que a distância continental implica...mas não é um incomodo que dói e faz chorar...super risco calculado...naquelas...pois se tivesse realmente sido calculado o skype não me incomodaria...é verdade...

Bem...quanto ao msn...este sim incomoda bastante não por causa de loves ou affairs mas sim pela quantidade de informações que ele traz para mim sem eu pedir...acho que quero sossego, um fone de ouvido e frases simples...acho que as modificações do meu organismo por conta da TMP são tantas e tão conflituantes que pelo menos o meu externo ser sociavel quer coisas simples...

Na verdade comida chinesa e banho de creme tá de bom tamanho...talvez brincar com as gatas e dormir cedo sonhando com meu principe...esse principe...geeeente...metade das mulheres do mundo sonham com ele...disputadíssimo o cara! 

Por isso que ele nunca aparece...mas eu, como boa marketeira que sou, suuuper decidi criar o meu de forma a ser facilmente confundido com um sapo...achei um luxo minha idéia...hum...é verdade...metade da metade das mulheres já pensou nisto antes...pois bem...dormirei cedo pensando nas minhas vidas passadas e como eu seriae lidaria com essa tpm antigamente...

Nos meus estudos esotericos (Segundo Blavatsky, criadora da moderna Teosofia, o termo "esotérico" refere-se ao que está "dentro", em oposição ao que está "fora" e que é designado como "exotérico". Designa o significado verdadeiro da doutrina, sua essência, em oposição ao exotérico que é a "vestimenta" da doutrina, sua "decoração") tenho tentado entender o porque de certas buscas q nós fazemos e o porquê de determinadas coisas nunca serem encontradas...inclusive o amor...mas cheguei a perceber que a gente ainda não sabe exatamente oque ele é...

tenho um monte de coisas para escrever mas tenho certas preguiças e uma certa vontade de não expo-las ...minha mente de TPM, acrescida de uma lua minguante, está alucinadamente tecendo histórias, quebrando conceitos e acentando tudo...falando em acentar...minha carta do tarot do dia foi a temperança...grande carta! Absolutamente tudo a ver com este dia...

Tenho que comemorá-lo! Quero minhas gatas, a comida chinesa e o banho de creme!!! 

Boa Lunação!

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Conversas


Desde o surgimento dos comunicadores instantâneos na internet, as pessoas criaram um modo a parte de se sociabilizar. Estes pequenos softwares nos possibilitam um comunicação em tempo real, porém virtual (didaticamente falando...não temos contato fisico..embora haja opiniões de que sexo virtual é excelente e que existem namoros virtuais também...é a tal da lei da adaptabilidade - é possível que eu tenha acabado de inventá-la...), nos permitem experiências muito singulares, como a abaixo apresentada.

Cenário - Conversa sobre exemplos de diagonais em um website (assunto bem específico...de desenho)
Personagens - Eu, webdesigner | Diogo, o desenvolvedor de codiguinhos coloridos celibatário.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

sábado, 27 de setembro de 2008

Este dia


Este dia para mim começou a existir lá no final na década de 70. Exatamente este dia, nestas horas.
Eu não nasci neste dia e nem sequer perto destas horas. Mas este dia foi tão presente nos anos da minha vida como é hoje.

Este dia já foi década de 80, 90, 00, século XX, século XI;
Neste dia eu brinquei de bonecas, ganhei brinquedos, fiz amigos, os perdi;
Andei de burca, cantei canções com perfeição e outras de forma totalmente amadora;
Eu representei peças de teatro na escola, na igreja, fui índio, fui fada;
Falei inglês, frances, comi comidas estranhas, gostei e algumas vomitei;
Andei de carro, aprendi a dirigir, bati o carro que peguei escondido;
Fiz prova de vestibular, beijei na boca, fui beijada, comprei roupas e dei presentes;
Cantei em coral, andei por corredores de internato para entrar no quarto das amigas, assisti cultos, fiz bilhetes, andei por campos floridos, olhei pássaros voando;
Mudei de país, de estado, de cidade, de bairro e algumas vezes de planeta;
Brinquei com gatos, cachorros, peixes, pássaros, tartatugas, coelhos e com fogo;
Me queimei no fogão, me afoguei em caiaque, andei na garupa de moto, dirigi moto e cai;
Ouvi musica sertaneja, beatles na estrada, ouvi histórias e conheci pessoas;
Fiquei em bons hoteis, péssimos hotéis e em praça sem ter onde ir;
Contei histórias, mentiras, fiz rimas, enganei, salvei e acalentei;
Senti calor e cai na piscina, me joguei contra as ondas do mar e fiquei com alergia;
Olhei a chuva, senti o vento no meu rosto, liguei para amigos, briguei com inimigos e parentes, percebi que são bem parecidos;
Eu comprei e ganhei. Me matriculei e me cancelei, aprendi e ensinei.

Todos estes dias foram a forja para este de hoje. Exatamente igual: brilhantes, únicos e inesquecivelmente vicerais.
O dia de hoje tem uma iluminação a mais. A iluminação da percepção de que todos passaram e outros iguais...exatamente iguais... virão e serão particurmente distintos, embora os mesmos, e eu serei a mesma...apenas com mais um acréscimo nas longas linhas da minha coleção deles.

Heis ai a fascinante constatação de estar vivo e pertencer...É como um carimbo no espirito com tinta eterna...

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Lembranças



Eu me lembro que em 1998 mais ou menos eu fiquei em casa por vários meses trancada, pintando quadros, móveis, fazendo esculturas...A menor aproximação de "gentes" estranhas naquela época me embrulhava o estomago.

Para o bem do meu "organismo", fiquei em casa com os gatos, cachorros e todo aquele verde e tranquilidade local...minha familia toda estava viajando na época, com exceção da minha prima que mais "não estava" do que presente.

Foi muito redentor pintar, desenhar, criar. Me renovou como pessoinha bebê que tentava se encontrar...o engraçado é que as cores sempre foram vivas...com exceção de um painel que era uma grande área azul (o mar) com destroços de um barco de pescadores...

Era sindrome do pânico e eu não sabia naquela época...e olha que eu ia religiosamente na psicologa toda semana (exercício fundamental para orfãos precoces)...há coisas que não devemos saber mesmo...

Algumas não devemos falar. Outras devemos ouvir...e quando nada disto é suficiente...devemos criar.

Eu devo criar...sem sindromes de pânico mas com a delicada intimidade que há entre mim e as idéias...

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Medo de escuro

Medo de escuro


Medo de escuro...

Hoje eu não quero dormir no escuro. Tem um medo chegando de uma solidão que já existia a muito tempo quando tudo fica sem luz...mas parece que exatamente hoje ela vai ser mais notória, abusiva e inquisidora.

No escuro todo mundo está sozinho. O mundo da imaginação passa a ser o guia de todas as nossas movimentações. Todos os registros de memória se tornam nossa referência neste estado de escuridão.

Hoje eu tenho medo do escuro. Um medo crescente de todas estas imaginações que crescem a medida q a luz do sol vai embora. As sombras parecem desenhos antigos de ações que ainda não aconteceram.

E não adianta você me abraçar quando a luz faltar e nem falar comigo palavras doces e adequadas pois não vou te ver. Não terei teus olhos nos meus e tão pouco a certeza das tuas palavras. Posso imaginar que você me abraça e me diz coisas assim.

Eu tenho medo do escuro de hoje. Não quero dormir. Nem quero ficar só. Mas meu querer ainda não está certo de que consegue mudar esta noite.

domingo, 21 de setembro de 2008

então...estav aeu trabalhando neste mega domingo sonolento e meio friozinho dos pampas...rendeu bastante pela calma calculada dos mensageiros eletrônico e então resolvi cantar...que tragédia..e pensar que um dia eu fui soprano...a coca-cola, o leite e o total despreparo acabaram com a minha vóz...confesso que foi triste ouvir meus pequenos spots...cantar para mim sempre foi um conector com alguma coisa além da nossa própria visão...mas acho q se eu continuar com essa voz totalmente mal educada vão me jogar "ovos" advindos deste lugar além...

Os graves ainda estão funcionando bem...mas estou cheeeeia de vicios...preciso urgente começar a cantar dentro do carro...

desencanei e fui ouvir the clash...should i stay or should i go...adoro esta musica...me traz boas lembranças...e a letra é muito simpática tb...

Esse fim de semana foi corrido e improvisado...aos poucos e naturalmente as coisas estão voltando à sua normalidade social...nem me cansei desta vez...acho que estava com certa saudade da minha rotina nada rotineira...

Então, neste cenário não pude deixar de observar as coisas se organizando por si e as poeiras acentando...em termos mais místicos os ciclos fechando e as renovações sendo suavemente absorvidas para o diáfano porém latente estado de ser...complexo...

Eu tenho coisas para escrever aqui mas prefiro ficar em silêncio...já não tenho mais pressa em dizer as coisas que penso e nem de fazer algumas outras acontecerem. Aprendi a respeitar o tempo. As minhas vontades ainda são imperiosas mas lentamente consigo faze-las mais amenas...não imagino mais tanto quanto antes pois essas imagens são vivas demais para lidar com elas, ainda estou aprendendo a viver como um guerreiro e confesso que é mais fácil ser Iris.

Tenho sonhos, não tenho mais tantos medos, eu amo.

Vou assistir filmes e dar sequencia a esta noite tranquila de domingo...vou deixar aqui um presentinho:



boa semana!

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Ultimamente estou tentando viver como uma guerreira...seja samurai, o qual tem mais sentido devido a arte da espada que é vida dentro de mim, ou pelas lendárias formas de de guerreiros indios...que na verdade ambas as artes de guerra, indias ou japonesas, acabam se fundindo de certa forma, na "tribalidade".

Nesta tentativa hoje decidi viver o dia como se fosse um dia de guerreiro. O Sempai e o Sensei sempre disseram que o guerreiro vai para a guerra sem saber se vai voltar vivo. E estes dias atrás li em alguma literatura tolteca que guerreiros vivem cada dia como se fosse o último. A intensidade deste dia se modifica totalmente pois eles dão o seu melhor em cada momento.

Hoje foi meu último dia 09/09/08 e realmente foi. Daqui a poucoas horas ele não existirá mais literalmente e eu tentei vivê-lo como se não houvesse amanhã.

Estar em uma guerra requer um foco na atitude que eu não consegui transportar para minha realidade mas fiz alguns dos meus melhores atos dentro do que eu consegui.

Tomei um banho pela manhã pensando como a água é fantástica e a possibilidade de tê-la quente debaixo de um chuveiro é quase uma benção. Claro que me lembrei das coisas que teria de fazer durante o dia, mas fiquei menos presa nesta rotina mental que das outras vezes.

Relembrei do meu primeiro namorado e vivi novamente todas as nossas aventuras numa recaptulação fiel, dentro das possibilidades da minha memória, e foi bom lembrar.

Conversei com pessoas que queria conversar, trabalhei, procurei focar meus objetivos de vida neste dia e fazer as coisas acontecerem dentro deste cenário de hoje:09/09/08.

Bom...paguei contas, receitei remédios, cozinhei um novo prato, vi minhas gatas dormindo, escovei meus dentes e meu aparelhos impecavelmente, peguei trânsito e cuidei para arrancar o carro nos faróis sem dar trancos (consegui algumas vezes) e também não maltratei tanto a terceira marcha.

Terminei minha noite numa conversa muito feliz e regada a suco de maracuja sobre tecnologia, gauchos, paulistas e bahianos com uma companhia amável e voltei pela orla do Guaiba observando as movimentações do acampamento farroupilha.

Foi um dia diferente pois ele foi intenso em todas as minhas ações. Quando eu voltava para casa, passando pela orla do Guaiba pensei "Hoje eu morreria feliz e realizada" - coisa mais morbida conclui...mas era essa a idéia...e depois pensei: a morte do dia é como um ciclo de 24h que acabou. E não volta mais...morreu, findou. Ficou na minha memória e na dos tempos...e não tem nada de morbido e sim de vivo, lúcido e intenso.

Me faz pensar na morte, em um sentido geral, como um ciclo fechando para outro se abrir...Não fiquei com medo...fiquei feliz.

E amanhã morrerei novamente...e todos os meus próximos dias...

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Sintaxe
Um homem contemplando suas equações
disse que o universo teve um começo.
Existiu uma explosão, disse ele.
Um senhor estrondo, e nasceu o universo.
E o universo ainda está em expansão, disse ele.
Ele calculou até mesmo a duração de sua vida:
dez bilhões de revoluções da Terra ao redor do sol.
Todo o globo aplaudiu;
Acharam tais cálculos cientificamente certos.
Ninguém percebeu que, propondo um início para o universo,
o homem simplesmente refletiu a sintaxe de sua língua pátria;
uma sintaxe que exige começos, como um nascimento,
e desenvolvimento, como maturação,
e um final, como a morte, para a realização de qualquer evento.
O universo teve um início,
e está envelhecendo, garantiu-nos tal homem,
e ele irá morrer, já que tudo morre,
como ele mesmo morreu depois de confirmar matematicamente
a sintaxe de sua língua pátria.

Sintaxe II
O universo teve realmente um começo?
A teoria do “big-bang” é realmente correta?
Essas não são perguntas, embora pareçam ser.
A sintaxe que exige começo, desenvolvimento
e término para a descrição de fatos é realmente a única que existe?
Essa é a questão real.
Existem outras sintaxes.
Existe uma, por exemplo, que indica a variação
de intensidade como um fato.
Nessa sintaxe nada tem um começo ou um fim;
desse modo, o nascimento não é algo claro e definido,
mas um tipo específico de intensidade,
do mesmo modo que o amadurecimento e a morte.
Um homem que use tal sintaxe, contemplando suas equações, descobre que
calculou suficientes variações de intensidade
e pode então dizer com autoridade
que o universo não teve um início
e não terá um fim,
mas que ele sempre existiu, existe e existirá
através de intermináveis flutuações de intensidade.
Tal homem pode muito bem concluir que o próprio universo
é a carruagem da intensidade
e que é possível abordá-la
para viajar por caminhos que modificam-se incessantemente.
Ele irá descobrir tudo isso, e muito mais,
talvez sem nunca perceber
que está simplesmente confirmando
a sintaxe de sua língua pátria.

domingo, 24 de agosto de 2008








डोईस मुंडोस,
दुआस हिस्तोरिअस
मेस्मो पस्सदो
प्रेसेंते कांक्रेतो
सेम फुतुरो.

domingo, 22 de junho de 2008

quarta-feira, 11 de junho de 2008

o que eu estava de antiga ontem, hoje estou de mal humorada...mas veja se não é para ficar: perdi a conta de quantas noites passei praticamente trabalhando e ontem consegui dormir direito...obviamente acordei tarde e fui comprar meu café da manhã no mercado...chego lá o encontro fechado e o motorista do ponto de taxi me disse em uma seriedade tipica de telejornal das 8 que o MST tentou invadir o local...

...meu...fala sério...é a total perda de glamour dos movimentos politicos em prol das camadas menos abastadas...invadir um mercadinho de esquina?! Agora só falta os homens descobrirem mulheres mudas, lindas e sexualmente incriveis em marte, se mudarem para lá e deixarem homens de chocolate em seus lugares...fala sério...

...ai fui procurar a pé...sim pois estou andando muito sob 4 rodas e resolvi ir para a faculdade e para os mercadinhos perto de casa a pé..então...andei até a divisa de onde posso ir de pé...mais um pouco estaria em terreno restrito para 4 rodas (minha autoria essa divisão geografica 2 pés/4 rodas)...

no meio do caminho eu ia atravessar a rua na "borboletice" basica de uma Iris, que pensa inconformada no movimento MSN invadindo a sua casa e sequestrando suas gatas em troca de 2 latas de sardinhas coqueiro, quando ouço uma buzina...meu...tâ loco esses meninos...o cara me viu, parou eu parei pois já ia parar mesmo...e ele buzinou...hum...pensando bem podia estar me paquerando...é...é mais provavel...tadinho do mocinho...já ia xingar...mas isso não o libera do fato de fazer curva deitado...ridiculo...a 5km por hora deitar para fazer curvas em um veiculo de 4 rodas é totalmente sem noção...é...sem noção...total sem noção...

A volta para casa com os mantimentos foi tranquila...só la no supermercado o guardinha estava me "cuidando"...acho que é por cauda dos big bolsos do casaco...mas será que tenho cara de ladra? Que fim de carreira...mas partindo pelo principio do caos tem sentido: o MST invade mercados de esquina, eu tenho cara de ladra, há mulheres perfeitas em marte, gatos em troca de sardinha...achei harmonico o cenário...

Vou trabalhar...

terça-feira, 10 de junho de 2008

Hoje estou estranhamente..."antiga"...como se estivesse passando o dia com uma vovozinha nascida em 1917 que estranha e se admira com tudo...A internet e a facilidade de unir histórias dos mais variados segmentos e não estou falando de amor...por exemplo meu trabalho sem internet não existe e isto é uma grande história...

Na aula de matemática discreta estavamos vendo grafos e sua utilização...a grosso modo grafos são conjuntos não vazios de nós que se conectam a vertices para ligar e formar rotasse usa em redes neurais, as que se utiliza para criação de inteligência artificial e me admirei aprendendo sobre AI...pensei na lua...olhei para ela...aprendi a fazer trico...sozinha...fiz um gorro e dois cachecols...

Admiro o rumo das coisas...o meu rumo e as coisas fluindo para um mar de "seilaoque" fascinante...Me sinto antiga por causa da rapidez da vida...ainda que seja degustada a lentos goles...

Faz frio lá fora e minhas gatas destroem minhas botas querendo se esconder dentro delas...vou salva-las...as botas...não as gatas...

domingo, 18 de maio de 2008

tenho um amigo na Irlanda que anda sob a lua madrigal e comemora seu aniversário sozinho...ele mora em uma das várias cidades turisticas locais e não namora, não vai a pubs mas gosta de vinho e cerveja. Também apressia coisas relacionadas ao antigo povo celta, druidas e escreve canções e disponibiliza no myspace...

Hoje é aniversário dele e ele está lá...daqui a pouco vou gastar meu ingles falando por skype com ele. Geralmente falamos pelo modo "chat" do skype porque não entendo muito o sotaque dele...mandei um presente...um desenho de uma vampira dentro de um cemitério com detalhes góticos...he like this...

ele me lembra alguma coisa dentro de mim...e eu chego asentir as lagrimas caindo e o convulsivo pranto chegando neste lugar secreto aqui dentro...ainda que hoje o dia esteja perfeitamente feliz...HAPPY BIRTHDAY JAMIE

terça-feira, 6 de maio de 2008

Hoje foi um dia interessantíssimo. Acho que descobri uma coisa meio óbvia...hum...na verdade duas: a primeira é que se você quer fazer uma pessoa te dar atenção é só brigar com ela e a outra é que descobri isso tarde demais e sou uma retardada...tudo bem...mais um traço dessa minha "especialidade".

Hum...tudo bem...exorcizar é bacana, discutir relação eu odeio...aliás...odeio discusões de qualquer tipo...mas isso é uma forma de comunicação muito poderosa...que doido...isso é viver...uiui...

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Adotei a política do "ciclismo"...não o esporte mas a filosofia de vida que aponta todas as coisas convergendo em um determinado momento...o movimento "aspiralado" das bruxas e dos estudiosos de ocultimos...

Sempre que volto da casa da minha irmã aprendo coisas novas...foi a partir de uma observação dela a respeito de uma determinada parte do corpo que "cai" não importa o quanto se adie este momento...que percebi que tudo é muito "ciclico...aredondado"...

Estava indo ao supermercado para comprar almoço pois vão limpar a caixa d'agua e eu, não querendo sujar louça...resolvi me ajudar...bem..., neste ínterim fui pensando na minha carreira...nas minhas conquistas e no fato de eu não ser casada...lembrei da Paulitcha reclamando que na vida dela as coisas não aconteceram como devem: blábláblá...ir para a faculdade, arrumar um namorado e se formar praticamente ou finalmente casada...

Ai ela disse: Porquê?
Isso é óbvio...porque ela é diferente e as chances de acabar divorciada antes dos 30 são bem menores...é muita coisa para administrar quando se acaba de sair da adolescência...então me vi nessa lista dos "diferentes" e ai pensei tão feliz: "que legal...me caso depois dos 30"...

Minha mãe fez isso e um monte de gente também...é o "ciclismo" acontecendo também na classe dos diferentes...

Ciclismo é legal pessoas...é a volta do igual...mas diferente!

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Que coisa...hoje me dei conta de que o tempo realmente além de passar, provoca mudanças radicais nas nossas vidas...acho que a gente não percebe o quanto muda mas podemos ter uma ideia a partir desta mesma ação na vida do outro...ingenuamente assustador.

O tempo que passa é ao mesmo tempo redentor e algoz. Muito esquisito isso. Vejo em mim essa dualidade latente e exposta. Alguns aspectos da minha vida melhoraram e me tornaram uma pessoa bem melhor outros deterioraram alguns adjetivos que eu demorei para conquistar...outros aspectos parece que nunca mudarão...

tenho mantido contato ultimamente com pessoas antigas da minha vida que tiveram significados profundos em alguns períodos e me assusto. Me assusto e me fascino pelas nuances que a vida proporciona a cada um...não cabe agora descrever e exemplificar essas pessoas e suas modificações mas sim a importancia do tempo que passa aliado às experiencias que adquirimos com cada vivencia...hoje eu estou feliz por uns e meio apreensiva por outros e acima de tudo estou convencida de que não conhecemos nossos varios "eus"...nao vou acentuar e nem corrigir as palavras...vou trampar...

domingo, 30 de março de 2008

Eu tenho a nítida impresão de que está escrito na minha testa: "Dirijo mal".
O único momento que eu consigo dirigir um carro 2.0 é quando vou fazer test driver...possivelmente os vendedores não devem saber ler testa das pessoas...enfim...agora tenho mais um ato romantico que vai pesar na escolha do meu futuro amor da minha vida: receber flor Iris com a frase cafonérrima que anteriormente (alguns anos atrás) já postei aqui, dança lenta e chaves do seu carro 2.0 para eu dirigir...com um adendo: ele do lado sem reclamar e suar frio!

hihi...vou tentar escrever mais vezes!
Bjo

terça-feira, 11 de março de 2008

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

faz tempo que não passo por aqui...muito tempo...as vezes eu até passo, escrevo uma coisinha à toa para fazer uma "linha" e deixo quieto...silencioso...na verdade a muito tempo as coisas estão mudando e eu, sem querer, me envolvi tanto nesta mudança toda que nem consegui prestar atenção nela...e em nada mais ao redor...

uma vez eu disse para mim mesma que queria crescer e ser muito sabia...eu estava inconscentemente enveredando num caminho estranho...escuro...poético...sobrenatural...

na verdade não quero falar das novidades...até porque elas não são como todas as novidades comuns que são bacanas, geram mudanças felizes e simpáticas...mas também não são tristes e infelizes...daquelas que a gente nem quer lembrar...

na verdade eu não sei falar delas...são muitas...ímpares...e de uma carga palpável tão grande que fica complicadíssimo escrever a respeito...é de viver...sentir.

eu acho que cresci mais um pouco como tem acontecido desde que eu comecei a escrever nesse blog...aqui eu já registrei, de forma que muitas vezes só eu consigo entender a complexidade de cada fato, inúmeras situações, vivências e aprendizados...

na verdade tô registrando hoje mais uma dessas grandes vitórias silenciosas que a gente assiste dentro de nós que só podem ser aplicadas a nós mesmos...os ônus e bônus delas só eu mesma sei mensurar...

tô um pouco cansada como a 4...5 anos atras eu já estive mas com uma sabedoria maior...sei lá...hoje é carnaval, tem um tempinho absurdamente lindo aqui na terra da garoa e eu estou respirando...viva...assustada mas pulsante e ansiosa pelo dia de amanhã...

essa sou eu...daqui a seis dias completo mais um ano de vida...e de alguns momentos de sobrevida...mas essa aproximação de data me faz ter alivio...e uma certeza de que tudo é muito circular...eu hoje tenho dor no coração e por isso medo de infarto, tenho silêncio dentro de mim que repousa alegria...tenho uma alma perdida em histórias que ainda não aconteceram e uma lagrima sem emoção que rola sobre meu rosto...meu nome é Iris Ferrera...e sou o meu melhor produto...o melhor que eu poderia ser...a minha melhor criação.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

"Porque há para todos nós um problema sério... Este problema é o do medo."
(Antonio Candido, Plataforma de Uma Geração)

Em verdade temos medo.
Nascemos escuro.
As existências são poucas:Carteiro, ditador, soldado.
Nosso destino, incompleto.
E fomos educados para o medo.

Cheiramos flores de medo.
Vestimos panos de medo.
De medo, vermelhos riosvadeamos.
Somos apenas uns homense a natureza traiu-nos.
Há as árvores, as fábricas,

Doenças galopantes, fomes.
Refugiamo-nos no amor,este célebre sentimento,e o amor faltou: chovia,ventava, fazia frio em São Paulo.
Fazia frio em São Paulo...Nevava.
O medo, com sua capa,nos dissimula e nos berça.

Fiquei com medo de ti,meu companheiro moreno,
De nós, de vós: e de tudo.
Estou com medo da honra.
Assim nos criam burgueses,
Nosso caminho: traçado.

Por que morrer em conjunto?
E se todos nós vivêssemos?
Vem, harmonia do medo,vem, ó terror das estradas,susto na noite, receiode águas poluídas.
Muletas do homem só.

Ajudai-nos,lentos poderes do láudano.
Até a canção medrosase parte, se transe e cala-se.
Faremos casas de medo,duros tijolos de medo,medrosos caules, repuxos,ruas só de medo e calma.

E com asas de prudência,com resplendores covardes,atingiremos o cimode nossa cauta subida.

O medo, com sua física,tanto produz: carcereiros,edifícios, escritores,este poema; outras vidas.

Tenhamos o maior pavor,
Os mais velhos compreendem.
O medo cristalizou-os.
Estátuas sábias, adeus.
Adeus: vamos para a frente,recuando de olhos acesos.

Nossos filhos tão felizes...
Fiéis herdeiros do medo,eles povoam a cidade.
Depois da cidade, o mundo.
Depois do mundo, as estrelas,dançando o baile do medo.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Engraçado...eu achei que já estava crescidinha para certas coisas. Meu ano começou a mil por hora...embora minha "interface" esteja serena demais para o turbilhão que está minha mente.

Grandes conquistas, doses cavalares de adrenalina, sonhos, problemas graves e também em dose cavalares. Meus dias ultimamente são vividos um por vez. Sem passado, sem futuro...apenas o hoje. Confesso que é uma boa terapia para tempestade de emoções.

Hoje especialmente estou me sentindo só. Queria muito compartilhar algumas coisas com uma mãe, um pai, um irmão ou mesmo avós mas não dá.

Não queria soluções...queria poder falar...falar das vitórias que são tão minhas e tão grandes, das ansiedades das propostas futuras, do medo de errar, de fazer escolhas incorretas...acho que por isso estou escrevendo um pouco aqui...para dar uma minimizada na vontade de compartilhar as boas e más novas que acontecem aqui dentro.

Tô aprendendo tanto acerca da paciência e da tolerância...esse ano está incrível...e começou a apenas 14 dias...