segunda-feira, 7 de novembro de 2005

Perdi meu anel hoje, ao vir para o trabalho...chato isso. É o 3 anel que perco em menos de 3 meses...nem consigo me apegar a eles e já tô perdendo.

Kenjutsu Hard Core e eu sinceramente acho que os 3 anos de canto que fiz estão condenados pelos kiais enlouquecidos...Preciso não esquecer de gritar com o diafragma e não com a garganta...

Ontem foi um dia fofo, contrariando os chatos domingos, pois meus amigos foram em casa e vimos filmes e jogamos meu vício: Sim's.

Decidi fazer panetones de Natal e acho que vou fazer lá na casa da minha irmã...alias, estranho não passar o fim de semana lá. Ainda bem que fez friozinho e recebi visitas...senão seria estranhíssimo.

Acho que tô largando duas turminhas de aula por falta de alguma coisa dentro de mim que não sei definir. Vou ficar com meus fofoletes da UFRGS mesmo, que já to a 2 anos...as outras não darei conta. Anta eu de ter assumido. Agora deveria ir até o fim pois falta um mês...mas num vou conseguir. É fato.

Tô ouvindo Billie Holliday (dream a little dream). Tem uma esquisita sensação dentro de mim que me diz que perdi algo importante...e não é o anel. Tava olhando meu guarda roupa e percebi que esse ano não usei uma série de coisas. Minha jaqueta jeans super hard total desfiada por exemplo...Isso significa que eu não sai para baladas e também significa que ando sossegada.

Primeiro porque nessa terra não tem nada muito interessante para curtir de baladinhas (só toca "POPeiras") e segundo porque acho que tô ficando véia. Ano que vem vai ser significativamente construtivo pois vou diminuir o ritmo profissional e cuidar do pessoal. Quero namorar alguém pelo menos por mais de 5 meses e nesse interim me apaixonar por esta pessoa. Sem contar outros cuidados pessoais que preciso me dar.

Agora tô ouvindo "The mamas and the papas"...dream a little dream...se Biilie não fosse perfeita eu diria que as duas versões são fantásticas pois cada uma remete determinada sensação.

Vou trampar

sábado, 5 de novembro de 2005


De volta. As voltas tudo parece tranquilo. Um silêncio incessante dita o fim.

E tudo se faz renovado.

quinta-feira, 3 de novembro de 2005

Peruei...tava precisando mesmo de um dia pra mim. Comprei uma blusinha e uns perfumes...comprei inconscientemente as marcas que eu usava quando era paulistana ainda.

Tô com um. Vou dormir com esse cheiro de primeiro apartamento, primeiro carro, primeiras baladas privadas, primeiras contas, primeiros cortes de energia...saudades boas...

É reconfortante sentir esse cheirinho quando me deparo em meio a uma nova neura...Acho um saco esse "pensar demais"...no fundo tenho inveja das loiras peruas...elas não pensam, são fúteis e não enxergam nada coerente diante do nariz que não seja pesos e medidas.

Tô no limbo novamente. Ano passado estava no limbo sócio econômico e comportamental. Ai, me encontrei, e agora sou uma pobre, mas bonitinha. Tava tendo comportamentos que não eram meus como por exemplo, me embebedar com cerveja (sendo que não curto cerveja e amo profundamente vinhos), tava comendo carne vermelha e de porco (que não gosto) e outras coisas que parecem idiotas mas são realmente sintomas "limbicos" (hahaha).

Agora tô conhecendo meu mais novo limbo: O cultural. Não tô falando de cultura regional porque essa nem me stressa porque adoro conviver com culturas estranhas as minhas. A gente muda de tamanho!

Tô falando da cultura educacional, hum...aquelas bobeirinhas fundamentais que a gente aprende com a familia, na escola, nos livros que lemos, peças que assistimos, musicas que ouvimos. Pois é...aqui eu tenho perfil de "alternativa"...mas tô fora de alguns quisitos básicos do enquadramento de tal tribo. Lá em Sampa eu era normal...aiquesaco...mais um limbo.

Tô com preguiça de amanhã, de ir no kenjutsu...aiai...ainda bem que meu natal ja começou...ano passado tava mais legal...hihi
Absurdamente cheia de coisas para fazer no trabalho...acho q a filosofia japonesa na minha vida está sendo executada pela mão do destino...quando para a correria extra trampo, começa a intro trampo...peculiar...

Tô num processo de esperas. Aliás, esperar nunca foi meu forte pois, pessoas nitroglicerinadas não lidam bem com a "paciência" mas, desde que fiquei uns tempos de molho aprendi a lidar melhor com ela...com restrições, obvio.

Mas tem certas coisas que são dificílimas de administrar a paciência. Coisas estas que lidam com históricos e com esperanças. A própria etmologia da palavra deriva a tal da esperança, logo, é complexo e algo divino para mim.

Tento...organizo os fracasos para tentar algumas associações falidas, no intuito de me auto-desanimar das coisas que espero. Uma tentativa meio mazoquista confesso, mas não tem funcionado e nem machucado.

Começo a perceber a cíclica relação das situações que fazem minha vida fluir...é assustador. A única coisa que quero disso tudo é saber o que vou ganhar se eu esperar, se eu esperar e der tudo errado em todos os sentidos do "caso" em aguardo e, pior para que fins vou ficar colecionando essas vivências...

Isso me stressa...Minha psicologa loira e perua (para vocês verem como a vida é cruel as vezes e de um humor extremamente indelicado comigo), me disse uma vez que eu fico "futurizando" tudo e as coisas e as pessoas principalmente. E estas podem não ter essa visão de vanguarda e eu decepciono e me decepciono com essa interação em vias distintas...é assim com minha irmã, mas não é esse o caso.

A coisa começa a tomar sentido quando tenho que esperar e não fazer...aiqueneuras!

- A moça da gráfica acaba de me responder o e-mail em menos de 5 minutos à minha solicitação...se o mundo fosse todinho assim....aiai...acho q enfartaria de emoção -

Buenas, a psicologa foi categoricamente trocada pela vida samurai e essa idéia brilhante dela ficou...e tem sua máxima dose de realidade e, cada vez que me deparo com ela, a "espera", fico tentando me comportar de forma adulta e temperada...fooooogo...isso é fogo!

Quero que o mês que vem chegue logo só para eu ver o que aconteceu nesse...sempre assim...sempre quero que tudo passe rápido para eu saber o que aconteceu. Até meu presente adooooro que corra para chegar nos finais e eu conhece-los...Muito cheia de pressa essa Íris. Acho que esse é meu maior estilo Amelie...by eu mesma sure.

Vou ler um pouco de Dante, Tsun, preciso ler o livro do meu sensei...depois...sensei depois...
Vou ler Filippi também...vou ler e fazer equações impossíveis para me distrair...mas agora vou trampar. Bjocas


Even if I am in love with you / All this to say, what's it to you?
Observe the blood, the rose tattoo / Of the fingerprints on me from you

Other evidence has shown / That you and I are still alone
We skirt around the danger zone / And don't talk about it later

Marlene watches from the wall / Her mocking smile says it all
As the records the rise and fall / Of every soldier passing

But the only soldier now is me / I'm fighting things I cannot see
I think it's called my destiny / That I am changing
Marlene on the wall

Suzanne Vega

terça-feira, 1 de novembro de 2005

Ontem tive uma conversa séria com minha consciência e nós resolvemos ser felizes de verdade.

Isso foi extremamente produtivo porque eu até fui almoçar lá no fim do mundo para ver amigos que não vejo a tempos...tá...comi comida japa, o polvo me fez muito mal e ganhou vida dentro de mim com dimensões incrivelmente maiores a que ele estava no meu prato.

Depois disso me perdi na Carlos Gomes, cheguei absurdamente atrasada no trampo e acabei pegando um taxi ede quebra fazendo um tour por Poa...descobri que as coisas são mais perto do que eu imaginava...como dou voltas sem necessidade...tsc..tsc...

Buenas, fui ao centro com a japa e o amigo dela e fiquei esperando horas no meio daquela multidão e me comportei bem...até tomei um sorvete pois o polvo estava adormecido...agora comi medalhão de merlusa...espero que eles não se esbofeteiem dentro de mim...

Buenas...esperei...esperei...esperei...e como é impressionante a quantidade de pessoas de todos os tipos que tem nessa terra...fazia tempo que não ficava em meio a multidões.

Fui na feira do livro, ganhei um altografo personalisadissimo (a Boolie ta enlouquecida...), do Eduardo super fofoe fui jantar na japa...quer dizer...ia, pois lembrei dos pontos da Boolie e voltei...

vou dar atenção a ela pois esta "cabriteando" pela casa.