terça-feira, 27 de junho de 2006

Ok, estou triste e escutando Natalie Cole...combina tudo com o momento...Hoje dei minha ultima aula lá na UFRGS...ai que triste...amo aquilo mas sei que por causa do meu excesso de trampo num tô podendo mais dar aulas...sentirei tanta falta...afinal sao 3 anos que foram excelentes...aprendi tanto com aquelas pessoinhas...realmente hoje foi a minha aula mais triste. Vai ser muito e sinceramente ruim não ir dar aulas lá. Me dói o coração...verdadeiramente. Mas como disse o Dequinho, há mais coisas para fazer e pessoas para ajudar e como também disse o Reizinho, eu posso deixar a internet mais bonita com meus sites...vou nanar...sentirei falta dos meus pequenos seres...muita muita.

domingo, 25 de junho de 2006

As festas juninas deram certo!
Agora posso ficar feliz! Até sobrou coisas e os samurais são ótemos amigos!E a Paula e a Cris mais ainda!

terça-feira, 20 de junho de 2006

Ai...tá tudo bagunçado...minha casa, minha conta bancaria, meus trampos, minha cabeça...

Preciso de uma faxineira que resolva tudo isso...bem que podia não ser eu está criatura.

domingo, 18 de junho de 2006

Vejam que lindo meu sobrinhofo:

Fui pra gramado...pela primeira vez eu não tive a menor vontade de voltar...até chorei quando estava na estrada...deu uma saudades da minha familia...meu sobrinho é a coisa mais xuxu que existe.

Cada vez que vou para lá algumas coisas ficam mais claras dentro da minha cabeça, e a sensação de estar no papel errado também...mas é positiva e nada complicada de se administrar.

Mas acho que não queria a minha realidade hoje...hihi...queria ficar com eles mais uns dias para eu realmente reescrever a Íris

quinta-feira, 15 de junho de 2006

Tô com a garganta ruim...isso me tirou o sono, me fez tomar um remédio e comer um rolinho de queijo, para não fazer mal para o estômago, e assistir um filme qualquer.

Na verdade o filme não era tão qualquer assim pois fiquei discretamente triste. Tinha um pequeno final feliz e parece que essa minha garganta e as conclusões que cheguei a respeito de tanta coisa não querem me deixar de diferente humor.

Daqui a pouco vou viajar...e isso me parece tão difícil. Deixar meus domínios, minhas gatas, a "inarrumável" bagunça que se instalou no meu pequeno AP e meus tantos projetos.

Dos mais audaciosos projetos parece que sinto mais falta. Pela impossibilidade deles acredito eu. E estes não são profisssionais mais permeiam caminhos que eu não sei percorrer, que temo enveredar e não saber a saida, que precisem de sentimentos aflorados.

Esses dias voltei a falar com um cara que eu era apaixonada...mas eu me dei conta de que não adianta fugir de certas coisas. Digamos que voltei o contato para distrair e mistificar uma gama de coisas diferentes que estão acontecendo dentro de mim, depois da semana passada.

É como se eu tivesse acordado de mais um torpor mental e me desse conta de que amo. Mas não da forma que acreditava e sim da forma que é. E essa nova formatação me assusta pois...digamos que eu não seja correspondida da mesma forma.

A vida as vezes é cruel...libera uma dorzinha de garganta que vai virar amigdalite por causa de uns negócinhos gelados que andei tomando no frio de 8 graus; faz a gente descobrir o sentimento que sempre procuramos dentro da gente mas apontado para a pessoa perfeita mas que não pensa o mesmo da gente...é...viver é algo fantastica e dolorosamente intrigante.

O cara que eu era apaixonada agora virou definitivamente um passado que eu tento recuperar sem vontade para esconder o meu novo sentimento "reformulado" por outro alguém. Que bobeira isso...e eu continuo me enganando e tomo aspirina como se fosse apagar a garganta quase fechada.

Não quero dormir porque dói tudo. Num gosto de dor. De nenhum tipo. Sei lá...as únicas que aceito são as de cabeça pois sempre tenho enxaqueca então estou familiarizada. Mas as outras me passam uma sensação tão grande de abandono. É como se o corpo tivesse com as defesas em férias e só sobram os arruaceiros para acabar com o grande salão. Meu coração também está com essas visitas indóceis.

Mas por outro lado, a dor te leva a buscar mais cuidado. Eu tô quentinha e tive que me afastar das pequenas bolas de pelo. Embora a aspirina tenha sido a primeira solução eu já tomei o remedio correto, o que sara e previne e sei que vou ficar bem.

O mesmo se dá com meu coração e embora a lógica seja perfeita eu ainda estou tomando a aspirina do ex que eu era apaixonada e não o antibiótico necessário para acabar de vez com essa dor tão grande. Acho que preciso me agasalhar mais e ficar no quentinho...

Sou romântica. Esse é todo o problema. Moderna e absurdamente romântica e sonhadora ainda que a porra da vida tenha me tirado todos os sonhos infantis eu insisto em tê-los nos meus dias...Queria ser fria como um dia achei que poderia ser. Mas num consegui. Ainda que por pouco tempo acho que minha mãe passou ideais e sonhos suficientes para ecoarem dentro de mim até hoje...com tudo que já aconteceu...Ainda sinto a menina saltitante pulando aqui.

Num queria chorar...isso fecha minhas narinas que me obrigam a abrir a boca e respirar o ar frio...assim meus planos de garganta boa são sabotados...meus pés e mãos estão gelando e eu acho que vou deitar pois logo terei que fazer as malas e dar tchau para as monocromáticas.

Queria só ter a certeza de que não preciso fugir dele e nem negar essa clareza de sentimentos que acontecem aqui dentro. Seria minha primeira chance de sentir algo realmente lindo mas sei que não vai acontecer.

Isso é chato...também...só comigo acontecem essas coisas...sabemos que isso é apenas a reação de várias ações...mas prefiro agora não olhar o todo...só a parte...vou me esquentar.

terça-feira, 13 de junho de 2006

Ok, dia de primeiro jogo da seleção e eu a mais sem graça torcedora num tô nem ai para isso...tô mais preocupada com as aulas que não vou dar mais...corta meu coração...sentirei tanta falta que ninguém em nenhuma letra seria capaz de expressar. É um momento meio de devolver aquilo que aprendi com a vida sabe...conhecimentos que não falo com meus amigos é ali, naquela sala gigante da UFRGS que eu falo abertamente dos meus conhecimentos escondidos pelo futil desenvolvimento do dia a dia. Tô triste. Ando muito chorona e bagunçada também...reflexo das confusões internas.

Na real, queria que o tempo voltasse e eu pudesse rever alguns pontos que hoje me fazem pensar assim. Tenho uns medos, umas coragens estranhas, umas empolgações desafinadas...mas nada muito táctil ou exprimível.

Hoje queria não ter que parar de dar aula. Mas isso implica em mudar muita coisa lá atrás que fizeram parte de escolhas lucidas e que devem seguir seu rumo.

Aiquedroga essa coisa de crescer...tô incomodada...muita coisa me deixa assim...ainda bem que vou pra casa da Claudia...hoje estou chata...mal humorada e boba...

Queria respostas sabe...resposta para as coisas que vão dentro da gente e depois das que passeiam dentro dos outros e fazem duos com as nossas e sem perceber nos envolvem tanto.
Queria não achar que fiz besteira...mas sei que fiz. Estou sentindo dentro de mim as mudanças que as besteiras promovem. Há muito tempo eu não fazia alguma coisa fora do esquadro. Sempre tão comedida, reflexiva...fiz caquinha.

Credo...tô parecendo adolescente...que ridículo...os sentimentos sao foférrimos mas estão praticamente 15 anos atrasados...quer saber...num sei...começou agora uma super luta de mim contra mim mesma...vou trabalhar.

quarta-feira, 7 de junho de 2006

Estou técnicamente bebada. Se não fosse a exata noção de perda de sentidos e o pessimismo diante de tudo, diria estar normal.

Sai com amigos e voltei tardão e me sentindo estranha...não sei dizer onde é estranho mas sinto...acho que pela primeira vez na minha vida tenho a sensação de ter baixa auto estima. Esquisito se dar conta disso também mas hoje essa minha auto suficiencia me pareceu tão desprezível e nada agregadora em termos qualitativos.

É...seja lá isso reflexo de vinhos e patricias o fato é que tenho baixa auto estima...que estupido isso...que estupido...quando vou parar de descobrir coisas novas a respeito de mim?

Vou tentar nanar...e justo hoje que eu estava tão bonita...e todos os dias estou bonita...e mais uma vez o exterior não diz absolutamente nada...porque o feio e depredado é muito interno.

domingo, 4 de junho de 2006

Hum...hoje o dia rendeu...rendeu porque criei, falei com um ex que não é o Tão e foi muito bom e deu para perceber que a gente viveu momentos fofos...e ainda ecoam aqui dentro...

Bom...isso é ótemo pois nesses momentos tenho que fazer alguma coisa pelos meus afetos...dá medo...mas sou espertinha.

Na real preciso de um adulto ou adulta responsável para me dar idéias nesse momento delicado...não psicologico mas profissional...aijisuis.

Vou comer Nissin de Yakisoba...adoro! Tchau.

quinta-feira, 1 de junho de 2006