quinta-feira, 30 de junho de 2005

Pois é...essa uma semana de vida em casa me fez uma outra pessoa...seria uma pessoa melhor se não tivesse acontecido alguns inconvenientes como a quase perda de dois dedos por conta da instalação do cano de gás do fogão, acrescida de uma perda razoável de sangue...

infelizmente não poderei doar o dito até que esse desfalque seja resolvido...Mas de tudo isso estou excelente...temo apenas ficar sem assunto e começar a falar sobre os preços no supermercado e sobre minha filha...aliás...Boolie Boolie tem hábitos estranhos por suposto...toma banho dentro do box do banheiro (suposto box), morde meu nariz as seis da manhã pontualmente e diariamente (coisa que notei essa semana apenas...isso é grave), roubou minha capa de tigrinho do celular e meu travesseiro em forma de cavalinho para brincar e o mais incrível de tudo: Ela mia.

Essas descobertas me fazem perceber o quanto precisava estar em casa para acompanhar o crescimento da bebê que está com otite e tem uma doutora só para ela que eu ligo quando não entendo seu pequeno comportamento felino...aliás...vou fazer a publicidade da dela (doutora nao da gata)...quero ver se faço até, audaciosamente, um design de interior para a clínica nova.

Se não fossem as pequenas reuniões e os almocinhos de negócios eu iria me sentir a própria dona de casa.
Bom...nesses dias não dormi até tarde como previa...mas limpei a casa (isso me deslocou a coluna e preciso urgente de massagem), fiz comida caseira (feijao marrom!!!! dois anos que não comia esse primor da cozinha paulista), organizei meu armário, a mesa do computador, coloquei agua potável para eu beber (sem amebas no intestino), arrumei o banheiro (faltam os ultimos retoques)...

Hummm...coloquei o cano do gás no fogão (mas essa parte foi ruim...cortei profundamente dois dedos importantes), e olha que máximo: Coloquei o varalzinho suspenso no lugar certo (obvio que com algumas inovações dada a minha estrutura feminina com dois dedos importantes a menos no momento),,,tudo bem que ele não suspende...mas tá numa altura boa...

Lindo tudo isso...tô ensinando a Boolie a usar coleira...mas primeiro tive que aprender a colocar a coleira nela...tadinha...sofreu com essa experiência (a coleira é de peito por isso a dificuldade...o pescoço eu sei onde fica...).

hum...to cuidando da minha pele e sendo futil comigo mesma...me olhei no espelho e vi aquele horroroso arquipélado de sardas e aquela mancha babaca e resolvi tira-las dali...e aproveitei e resolvi rejuvenescer...tô com cara de acabada...eca! A moça na rua me deu 28 anos...devo tá com a pele podre...mas agora não estará mais...to fazendo um tratamento intensivo...meu auge da futilidade...mas preciso me sentir bonita...hum...os cravos ja sumiram...maravilhoso!

Bom...lendo muito, assistindo um pouco de tv e brincando com a Boolie...meus dias...Amanhã a noite vou na lima com minha amiga paulitcha fofocar um pouco...

Hum...o ruivinho virou a cara p mim hj quando eu voltava da UFRGS... certamente não me reconheceu por causa do meu rostor enovado e de aparencia jovem...hihihi...

Vô lá...tenho que ver uns email e talz...Semana que vem acho que vou p Gramado ver a irmã...êta vidinha boa...na real...há muito tempo eu não sabia o que era isso...Eba!!!

sábado, 25 de junho de 2005

Ganhei o Mini torneio hoje no treino!!!
Praticamente uma samura "cut-cut".
Hoje a Boolie está surtadíssima e eu comi demais.

Fiz Minha primeira compra do mês depois de ter me mudado...Agora comerei comida de verdade...mas tenho sérias impressões de que exagerei demais nas compras...nunca achei que eu fosse descoordenada até para a vida doméstica...

Mas...falando em doméstica, amanhã vou dar uma geral no meu lar que está quase caótico...e todos sabem que do caos surge a vida (em tese) e eu realmente não quero comprovar isso, mesmo porque, do jeito que sou azarada a unica vida que surgiria é a da "Periplaneta americana"...

eca...eca...eca...

Vou assistir filmes românticos e nojentos (todo amor é nojento...minha nova "single filosofia") e ficar comemorando silenciosamente minha pequena vitória nos "men, cote e do" do mini torneio...

...e eu nem queria ir hoje por conta da meleca da enxaqueca e da caca feia-feia do "depois da tpm"...ainda bem q fui...ups...esqueci...tenho q mandar as fotos do torneio p o sempai...fui.

quinta-feira, 23 de junho de 2005

Cada vez que eu volto da aula nas quintas parece que eu cresço mais um pouco.

Hoje tava falando com uma aluna minha que escreve letras de música e veio de uma dessas cidades do interior do Rio Grande do Sul que eu nunca lembro o nome.

Tão cheia de sonhos e expectativas...Acho bacana essa coisa que a alma mais pura, com menos kilometragens e, consequentemente, menos amarga e ainda ousando sonhar alto, essa coisa que mesclam ingenuidade com vontade de fazer acontecer.

Olhei pra ela e me vi a um tempo atrás. Confesso que tive medo do resultado da vida dela quando passarem os invernos da sua vida.
Mas é de sonhos que a alma se faz...bacana isso.

Hoje ando meio cansada na real. Acho que por isso exitei em ver que ela pode ser muito mais que qualquer um q já tenha tentado.

Aiai...preciso de férias...e essas serão as melhores. Quero ler muita literatura japonesa, correr atras da banheirinha fofa para meu futuro sobrinho, ir para gramado ver o festival de cinema e o festival de inverno e ficar para dentro.

Tô a fim de cuidar da minha casa, da maluca gata cor de café que tenho e sonhar um pouco. Há muito tempo ando muito enlouquecida e alerta...

Quero relaxar e até ter um menininho ruivo para olhar na Lima e Silva toda quinta feira...sempre esbarro com esse ruivinho...que fofinho...
Depois de dias tendo a impressão de que havia algo errado com o blog eu, finalmente descobri qual foi: As figuras sumiram...tsc..tsc...vai ser descoordenada assim noutro planeta.
Tava em Gramado...todo mundo deveria morar lá...que lugar lindo...vou acertar as imagens agora...bjocas da sua anta desligada...(que carencia horrorosa...parece q tá escrevendo carta)

domingo, 12 de junho de 2005

Assisti novamente O ultimo samurai...
Pior que uma mulher em tpm é uma mulher em tpm pleiteando vaga de samurai.
Mas a noite foi boa e cheia de meditação....a muito tempo não conseguia esvaziar a minha mente. E isso não tem preço...vou cozinhar...hj to mó Amélia...bjoca

sábado, 11 de junho de 2005

O bacana de ter internet em casa é que dá exatamente pra fazer isso: Escrever quando se tem vontade.
To com meu olhar extremamente interiorizado, e acabei de voltar do treino, com esse olhar alterado.

É engraçado com as coisas se processam na cabeça da gente. Hoje faz um ano que moro em Porto Alegre e, sinceramente ainda não sei se gosto ou não. Mas vou seguindo como uma samurai e vivendo meus dias como se fossem últimos sem pensar para saber se gosto ou não.

Acho que o gostar, em todos os sentidos pode ser uma coisa progressiva e imediata ao mesmo tempo. Progressiva porque tem todo o processo de aceitação, costume e entendimento da "coisa" gostada. E imediato porque, no momento em que o seu eu aceita o afeto é rapidamente exteriorizado. Mas não é isso o que me grita aqui dentro.

Hoje no treino foi de um aprendizado mais interior do que fisico, como eu já esperava, afinal, não treino para sair cortando pessoas na rua, nem poderia pois nem empunhar a espada direito eu sei. Mas, como toda arte marcial fala de interiores, de força e talz...olhei pra dentro hj de uma forma que nunca havia olhado antes enquanto aprendia um kata novo. Um samaurai tem que ter em seu olhar a força necessária para dominar o oponente. Não é agressivo e sim firme, ter um unico kamae e talz.

Ai, conforme o Sempai falava fui trazendo suas sapientíssimas palavras para meu dia a dia e me enxerguei de uma forma que ainda não havia reparado: frágil e doce
(para não dizer, boboca). Acho que quase fraca.

justo eu que vivo fazendo correrias hard core para resolver minha vida.
Ai eu me liguei que tenho energia...mas me liguei que, com a concentração certa eu poderia ser melhor e menos afetada pelos golpes do dia a dia.

Ai me dei conta, novamente, da minha pequenês enquanto ser humano. E isso é lógico...mas dá revolta porque sou perfeccionista demais. Mas até ai tudo bem...o caminho da espada é complicado mesmo. Assim como o caminho da vida.

Na real, como dizem os sempais, a espada é vida...acho que aprendo a ser menininha samurai.
E ja reparei que pode existir um cara que me entenda!
Adorei essa constatação...hihi...Vou parar por aqui e encher meu amigo Dudu...Bjocas. Sayonara

terça-feira, 7 de junho de 2005

Essa é minha bebê...Boolie Boolie


segunda-feira, 6 de junho de 2005

Ai que lindo!
Depois de muito tempo um final de semana realmente incrível e bacanérrimo!
Não se iludam...nada de absurdamente diferente mas foi pancadão.
Sábado eu fui fazer minha primeira aula de kenjutsu.

Obviamente amei e estou toda podre e cheia de dores apenas no lado direito, por conta dos golpes e talz. Amei, ja tô com minha shinai em casa e agora vou virar samurai...hihi...Xandi fofo e querido vai fazer também.

A tarde a Josy foi em casa p gente preparar as coisas para o Sarau e a Boolie estranhou...hihi...alias, Boolie Boolie viu gente demais esse fim de semana.

Mais tarde a Cris foi lá e o Dudu e a gente foi pagar mico num bar totalmente nada a ver com nós. Mas valeu a companhia deles sempre legal. Mas somos mais hard core...deveriamos ter ido na festa do Gramos mesmo....acabamos por fechar a noite comendo esfihas do Habbib's com os adolescentes que estavam lá devido ao horário muito apropriado a classe.

Domingo acordei de ressaca e dor de cabeça por causa dos 2 copos de cerveja que tomei e a Cris e a Ale foram lá em casa pra gente almoçar juntas.
Troquei altas idéias com a Ale...saudades eu tava...acho ela tão cabeça...me deu altos toques...Jantamos, vimos filmes e foi legal.

Adoro meus amigos nerds e os não tão nerds...adoro.
Tô bem empolgada. O kenjutsu vai ser tudo de bom nessa minha vida básica.
Bjocas

sexta-feira, 3 de junho de 2005

Hoje eu acordei com um pensamento fixo. De tão fixo já conseguiu tirar um pouco do brilho do início do fim de semana.
Isto porque, num primeiro minuto me fez curiosa a respeito do efeito do mesmo dentro dos meus dias. Mas logo em seguida, flashes rescentes e nítidos me invadiram a mente e mostraram quão equivocada eu estive e estou a respeito de tudo oque fixa na minha mente.
Falo exatamente de conflitos e confusões. Quando a gente mete os pés pelas mãos achando que vai ficar tudo muito bem e isso acaba se revirando de tão forma que um pequeno inferno se instala sob nossos dias.
Estou fora desse contexto a uma semana. Sinto certa vergonha de um dia ter me envolvido nessas histórias que hoje percebo não terem nada a ver comigo. Vergonha porque, na burra ingenuidade que eu tenho, acabei tentando dar o melhor e mais uma vez, engraçado isso...a interpretação egoísta foi a resposta.
Tá...hoje é um post daqueles que escrevo quando estou falando comigo mesma. Não se preocupem em entender.
O fato é que isso passa. Mas hoje irá ficar rondando minhas idéias essa discreta vergonha e o único desejo de nunca mais ver e nem tocar.
Quero seguir meus dias na boa. Tem tanta coisa ainda pra empreender nessa vida de Iris básica...acho que não posso me dar ao luxo de parar e lamentar erros e infelizes coincidências para mim.
O desejo de felicidades e futuros bons continua sempre...Até o fim dos dias. À sua maneira.

quarta-feira, 1 de junho de 2005

"Dizem que conselho só se dá a quem pede. E, se vocês me convidaram para paraninfo, estou tentado a acreditar que tenho licença para dar alguns.
Portanto, apesar da minha pouca autoridade para dar conselhos a quem quer que seja, aqui vão alguns, que julgo valiosos.
Não paute sua vida, nem sua carreira, pelo dinheiro. Ame seu
ofício com todo o coração. Persiga fazer o melhor. Seja fascinado pelo realizar, que o dinheiro virá como conseqüência. Quem pensa só em dinheiro não consegue sequer ser nem um grande bandido, nem um grande canalha. Napoleão não invadiu a Europa por dinheiro. Hitler não matou 6 milhões de judeus por dinheiro. Michelangelo não passou 16 anos pintando a Capela Sistina por dinheiro. E, geralmente, os que só pensam nele não o ganham, porque são incapazes de sonhar. E tudo que fica pronto na vida foi construído antes, na alma. A propósito disso, lembro-me de uma passagem extraordinária, que descreve o diálogo entre uma freira americana cuidando de leprosos no Pacífico e um milionário texano. O milionário, vendo-a tratar daqueles leprosos, disse:
- "Freira, eu não faria isso por dinheiro nenhum no mundo."
E ela respondeu:
- "Eu também não, meu filho."
Não estou fazendo com isso nenhuma apologia à pobreza, muito pelo contrário. Digo apenas que pensar e realizar tem trazido mais fortuna do que pensar em fortuna.
Meu segundo conselho: pense no seu País.
Porque, principalmente hoje, pensar em todos é a melhor maneira de pensar em si. Afinal, é difícil viver numa nação onde a maioria morre de fome e a minoria morre de medo. O caos político gera uma queda de padrão de vida generalizada. Os pobres vivem como bichos, e uma elite brega, sem cultura e sem refinamento, não chega a viver como homens. Roubam, mas vivem uma
vida digna de Odorico Paraguassu.
Meu terceiro conselho vem diretamente da Bíblia: "Seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito". É exatamente isso que está escrito na carta de Laudiceia: Seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito, ou seja, é preferível o erro à omissão, o fracasso ao tédio, o escândalo ao vazio. Porque já vi grandes livros e filmes sobre a tristeza, a tragédia, o fracasso. Mas ninguém narra o ócio, a acomodação, o não fazer, o remanso. Colabore com seu biógrafo.Faça, erre, tente, falhe, lute. Mas, por favor, não jogue fora, se acomodando, a extraordinária oportunidade de ter vivido, tendo consciência de que cada homem foi feito para fazer história. Que todo homem é um milagre e traz em si uma revolução. Que é mais do que sexo ou dinheiro. Você foi criado para construir pirâmides e versos, descobrir continentes e mundos, e caminhar, sempre, com um saco de interrogações na mão e uma caixa de possibilidades na outra.
Não use Rider, não dê férias a seus pés. Não se sente e passe a ser analista da vida alheia, espectador do mundo, comentarista do cotidiano, dessas pessoas que vivem a dizer: "eu não disse!", "eu sabia!".
Toda família tem um tio batalhador e bem de vida.
E, durante o almoço de domingo, tem que agüentar aquele outro tio muito inteligente e fracassado contar tudo que ele faria, se fizesse alguma coisa.
Chega dos poetas não publicados. Empresários de mesa de bar.
Pessoas que fazem coisas fantásticas toda sexta de noite, todo sábado e domingo, mas que na segunda não sabem concretizar o que falam.
Porque não sabem ansiar, não sabem perder a pose, porque não sabem recomeçar.
Porque não sabem trabalhar.
Eu digo: trabalhem, trabalhem, trabalhem. De 8 às 12, de 12 às 8 e mais se for preciso. Trabalho não mata. Ocupa o tempo. Evita o ócio, que é a morada do demônio, e constrói prodígios. O Brasil, este país de malandros e espertos, da vantagem em tudo, tem muito o que aprender com aqueles trouxas dos japoneses.
Porque aqueles trouxas japoneses, que trabalham de sol a sol, construíram, em menos de 50 anos, a 2ª maior megapotência do planeta. Enquanto nós, os espertos, construímos uma das maiores impotências do trabalho.
Trabalhe! Muitos de seus colegas dirão que você está perdendo sua vida, porque você vai trabalhar enquanto eles veraneiam. Porque você vai trabalhar, enquanto eles vão ao mesmo bar da semana anterior, conversar as bendizer o fruto do seu esforço, e só o trabalho lhe leva a conhecer pessoas e mundos que os acomodados não conhecerão.
E isso se chama SUCESSO."

Nizan Guanaes

* Esse cara é pancadão