terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Lua e as fases

Lua e as fases

É lua cheia...para mim e aqui no Polo Sul, já começa a minguar...mas a foto acima é uma raridade.

É a lua nova no Polo norte, por do sol quando a lua está no ápice de sua proximidade com a terra...poeticamente falando é a força da lua sobrepujando a força do sol que se encolhe, encobre e se esconde da noite escura que surge sob os domínios da lua...

é simples, usual pois todas as noites a lua está sob sua majestade ainda que haja nuvens no céu...ela está lá...e esta simplicidade toda é tão única e tão imponente tanto no Polo Norte quanto no Sul...

...isso me remete a pensar em nós...é tudo tão simples e a gente complica tanto...a gente quer demais e na nossa hora e esquece que nossa hora é tão somente nossa que não pertence ao outro...

...a gente quer certezas e planos certos que não existem...e queremos já, agora, quando na verdade nem é para acontecer...

...a gente quer viver rápido e agitadamente para fazer a vida ter sentido mas se perdendo em caminhos errados, cansativos e com pouca visibilidade...nos fazendo ficar velhos antes do tempo e morrer lentamente com o acumulo de ilusões que nossos planos iniciais nos levaram a colecionar...

...a gente também quer tudo do jeito certo e nem sabe qual é este jeito...e como não sabemos o que é nossa busca, corremos em circulos, ficamos perdidos e seguimos perdidos observando as paisagens que não são nossas...vivendo coisas qua não são nossas...vestindo sapatos e roupas que não são nossos...

...a gente procura grandes finais, triunfantes batalhas e sucessos homéricos mas esquecemos os começos, as bases e alicerces para estes cenários...a gente não quer pouco mas não adminstra bem o muito...a gente é pequeno...querendo ser grande...

Quando a lua aparece no céu a gente pode ter uma certeza: ela sempre esteve no céu...desde antes de todos os antes...ela está lá...imponente no Norte ou no Sul...esteja o céu como estiver.

Isto é simples, grande, correto e triunfante...é a certeza de que o firmamento continua acontecendo em todas as vidas que pudemos viver...rodar...sentir.

E se a gente tivesse fases assim como a lua...ou todos os dias houvesse um nascimento e um pôr para cada um de nós...certamente com a proximidade do fim das fases ou dos "pores" conseguiriamos entender a beleza, a sabedoria e a riqueza que há em viver na plenitude...não procurando formas de rapidez ou agilidade de driblar a vida e todos os contras que ela nos fere e sim fazer de toda nossa caminhada algo manso, cheio de conhecimentos e abundância em todos os sentidos...

...entenderíamos que tudo contribui quando fazemos parte do todo...e que a vida é bem mais facil quando fluimos com ele...e não ao contrário, criando nossos métodos funcionais que em pouco tempo nos aprisionam e nos consomem ...

Se a gente tão pouco se amasse...saberiamos como viver...e contemplar.

domingo, 11 de janeiro de 2009

Quero apenas cinco coisas


"Quero apenas cinco coisas
Primeiro é o amor sem fim;
A segunda é ver o outono;
A terceira é o grave inverno;
Em quarto lugar o verão.
A quinta coisa são teus olhos,
Não quero dormir sem teus olhos.
Não quero ser, sem que me olhes.
Abro mão da primavera
para que continues me olhando."

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Tempo em sampa

Tempo em sampa

Tempo, tempo mano velho, falta um tanto ainda eu sei





Pra você correr macio
Como zune um novo sedã






Tempo, tempo, tempo mano velho
Tempo, tempo, tempo mano velho





Vai, vai, vai, vai, vai, vai
Tempo amigo seja legal




Conto contigo pela madrugada
Só me derrube no final




Imagens: Acervo de fotos antigas de São Paulo da Folhaonline
Texto: Sobre o Tempo | Pato Fu