sexta-feira, 25 de abril de 2008

Adotei a política do "ciclismo"...não o esporte mas a filosofia de vida que aponta todas as coisas convergendo em um determinado momento...o movimento "aspiralado" das bruxas e dos estudiosos de ocultimos...

Sempre que volto da casa da minha irmã aprendo coisas novas...foi a partir de uma observação dela a respeito de uma determinada parte do corpo que "cai" não importa o quanto se adie este momento...que percebi que tudo é muito "ciclico...aredondado"...

Estava indo ao supermercado para comprar almoço pois vão limpar a caixa d'agua e eu, não querendo sujar louça...resolvi me ajudar...bem..., neste ínterim fui pensando na minha carreira...nas minhas conquistas e no fato de eu não ser casada...lembrei da Paulitcha reclamando que na vida dela as coisas não aconteceram como devem: blábláblá...ir para a faculdade, arrumar um namorado e se formar praticamente ou finalmente casada...

Ai ela disse: Porquê?
Isso é óbvio...porque ela é diferente e as chances de acabar divorciada antes dos 30 são bem menores...é muita coisa para administrar quando se acaba de sair da adolescência...então me vi nessa lista dos "diferentes" e ai pensei tão feliz: "que legal...me caso depois dos 30"...

Minha mãe fez isso e um monte de gente também...é o "ciclismo" acontecendo também na classe dos diferentes...

Ciclismo é legal pessoas...é a volta do igual...mas diferente!

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Que coisa...hoje me dei conta de que o tempo realmente além de passar, provoca mudanças radicais nas nossas vidas...acho que a gente não percebe o quanto muda mas podemos ter uma ideia a partir desta mesma ação na vida do outro...ingenuamente assustador.

O tempo que passa é ao mesmo tempo redentor e algoz. Muito esquisito isso. Vejo em mim essa dualidade latente e exposta. Alguns aspectos da minha vida melhoraram e me tornaram uma pessoa bem melhor outros deterioraram alguns adjetivos que eu demorei para conquistar...outros aspectos parece que nunca mudarão...

tenho mantido contato ultimamente com pessoas antigas da minha vida que tiveram significados profundos em alguns períodos e me assusto. Me assusto e me fascino pelas nuances que a vida proporciona a cada um...não cabe agora descrever e exemplificar essas pessoas e suas modificações mas sim a importancia do tempo que passa aliado às experiencias que adquirimos com cada vivencia...hoje eu estou feliz por uns e meio apreensiva por outros e acima de tudo estou convencida de que não conhecemos nossos varios "eus"...nao vou acentuar e nem corrigir as palavras...vou trampar...