domingo, 24 de dezembro de 2006


Férias!
Boas festas e até 2007

sábado, 16 de dezembro de 2006

Pois é...eu me afasto desse blog e ele ja começa a enferrujar..tsc...tsc...me deparou com o serviços de "comentários" fora do ar...

bom...combina comigo que também estou fora do ar. Sabe aquela sensação de que tudo está forqa do controle e você não está nem ai? Pareço uma drogadita (nisso até o excesso de maracuja tem a ver) viajando e não observando o mundo desabar.

Na verdade num tem nada desabando...desde que eu fui no show do Paulinho mosca acho que estou apaixonada...não pergunte por quem pois este "quem" não existe...acho que é pelo Paulinho mesmo. As letras dele são excelentes e ele é poeta...embora cante com a garganta seus agudos (o que para uma quaaase profissional na área é uma tragédia), ainda assim me caso com ele...ou até um caso tá bom...desde que renda uma poesia que vire musica...ele é muito tudinho.

Final de ano, férias se aproximam e eu estava com meu destino certo até comentar com minha irmã que fez muchocho (leve torcida de nariz acompanhado com uma boca estranhamente inenarrável)...ai já to pensando em ficar aqui mesmo, fugindo dessa porcaria de sol portoalegrense que é mais forte do que todos os sóis que já estive com o globo (cabeção) à mostra...odeio verão, detesto sol e abomino minha pele queimando mesmo com os falsinhos e dissimulados filtro solares.

Bom...final de ano é sinonimo de festas e festas são sinonimos de confraternização. Das que eu fui eu gostei da do dojo. Adoro meus colegas samurais...hehe...hoje tem a da empresa que aliás ja estou teoricamente atrasada...aimeu...calor desanima o cristão...

Quanto ao meu natal e ano novo passarei com minhas bebês que ja estão cansadas da minha não presença. Hoje fui ao pet e comprei o remedinho delas, um shampoo e um perfume muito bom que estou seriamente inclinada a usa-lo hoje a noite mas temo fazer sucesso com os gatos de origem felina.

Meu cabelo continua comprido e eu estou praticamente um amor. Nada nervosinha...tá...a não ser em casos isolados. Agora não sou mais uma nervosa globalizada.
Acho que a serenidade vem do Paulinho Moska meu novo amor...vou fazer um foot printting dele no google para ver se descolo um encontro...hehe

Beijos e abaixo vai uma musica linda e fofa do meu amado Paulinho...


Sim, tudo agora está no seu lugar
O Universo até parece conspirar
Para que não seja tudo em vão
Tanto tempo esperando esse amor
Sim, parece até que nada em nós mudou
Tanta coisa a gente inventou
Pra chegar afinal onde sempre eu te quis
Ver chegar

Paixões que eu vivi como se fossem uma
A tua espera sempre foi assim
Contratos feitos com o tempo

Amores são sempre possíveis
Sim... Sim
Sim, tudo agora está no seu lugar
O Universo até parece conspirar
Para que não seja tudo em vão
Tanto tempo esperando esse amor

Sim, parece até que nada em nós mudou
Que Tanta coisa a gente inventou

Pra chegar afinal onde sempre eu te quis
Ver chegar
Paixões que eu vivi como se fossem uma
A tua espera sempre foi assim
Contratos feitos com o tempo
Amores são sempre possíveis
Sim... Sim

Amores Possíveis

Paulinho Moska

quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

to querendo realmente matar um...muito brava...muito mesmo...

sexta-feira, 8 de dezembro de 2006

Então...acordei com a garganta podre...tipica de começo de amigdalite...a ameba aqui dormiu de circulador de ar na cara e não se cobriu...e a ameba que voz escreve é fresca...justo amanhã que marquei uma baladinha...nunca marco nada, nunquinha(pelo menos ultimamente)...quando me empolgo...fico podre...

vo te falar...nasci para ser loser...

terça-feira, 5 de dezembro de 2006

Acabei o vídeo la do trabalho. Minha irmã vai mudar de estado e isso me faz chorar...muito. É uma desestabilidade não planejada, uma notícia ruim para meu egoísmo infantil e um golpe para a minha necessidade de meus pares.

Mas tô feliz por ela, depois de passar a imensa massa de agua e sal que sai dos meus olhos, seguir seu caminho. Nem vai ficar muito longe mas sinceramente isso me deixa muito triste.

Acho que preciso dormir para colocar a mente cansada em dia. Muito stress ultimamente e eu ainda tenho tanto a fazer. Desapaixonei do meu amor platônico. Engraçado...acho que procuro realidades mesmo. Sou algo complexo mesmo...os não platonicos agora começam a me fazer brilhar os olhos...mas ainda estou com má disposição para relacionamentos afetivos...mesmo porque nesta exata altura do campeonato qualquer cara que não fosse no mínimo um santo, iria sair perdendo. Tô chata, desanimada e absurdamente carente de colo...coisas que não são da alçada de um namorado e sim de pais, mães, avós e afins...

Domingo fui num show lindissimo do Vitor Ramil com o Paulinho Mosca...tudo de bom. Nem chorei...hehe...agora larguei meus punk rocks e to ouvindo os caras, resolvi ler o livro do Vitor que eu tenho aqui. Li e agora gostei...o melhor é que li em francês e, pasmem: entendi.

Num vou colocar acentos e rever as pontuações pois to down...vou lá fazer minhas bebes exercitarem seus pelos e depois dormir...espero que hoje a overdose de passiflora surta efeito a noite pois ontem eu parecia um zumbi drogado dentro do departamento e a noite ligada no 220w...uó

...sim, maracuja faz efeito calmante na minha pessoa assim como antobióticos me agridem a ponto de ter alergias...fresca sim.

bjos

segunda-feira, 4 de dezembro de 2006

hum...nem sei...quero colo...

domingo, 26 de novembro de 2006

Hum...mais um fim de semana se foi e eu com a ingrata impressão de que joguei o "pequeno" fora. Cozinhei mal pra caramba, o que é algo raro e praticamente absurdo pois adoro cozinhar e sempre faço uns ranguinhos interessantes...

trabalhei muito, não fui no treino por causa da alergia que finalmente parece estar me dando folga...acho q até o fim da semana estou normal e largo de vez da vida de morango.

A veterinaria das meninas está me convencendo a tomar uns trecos herbalife...tô seriamente inclinada...preciso emagrecer rápido e preciso rápido de condicionamento físico.

vou trabalhar. Tô chata.

quinta-feira, 23 de novembro de 2006

hum...fui no dentista ver o dente q vai ter que mexer por causa do, já não tão querido, aparelho...o dentista era engraçado...me senti num daqueles filmes românticos de meninas quando eu sai do consultorio e ele ficou falando e abanando a mão alguma coisa assim: "...se precisar de alguma coisa me avisa, se quebrar um dente, uma emergência, ou se precisar conversar, qualquer coisa me procura...".

A integra não lembro pois fique com vergonha...mas adorei ele e não fiquei irritada e invadida como costumo ficar quando os caras pagam pau (azaram)...muito fofo...vou ter que voltar lá para fazer limpeza...hum...tenho vergonha...

num parei no trampo hj...e o clima estava super voodoo por conta do incidente ocorrido lá...to com sono e tenho q esperar o renatito que vive a frase "a noite é uma criança", me trazer um material.

acho q vou dormir depois acordo para pegar as paradas apenas...tchau

terça-feira, 21 de novembro de 2006

iraciva / impaciente / soberba / mimada / mal humorada / irritada


doce \ interessada \ determinada \ sincera \ leal \ divertida \ inteligente

segunda-feira, 20 de novembro de 2006

Estou sem máquina no meu trabalho...por conta de uma queda de energia ela resolveu tirar férias...tô sozinha no computador da assistente de marketing...

tenho a impressão de que não falta mais nada para acontecer...sabe stress, agressividade e essas coisas? Transcenderam...a...cansei de ir contra...a alergia agora está quase chegando no meu rosto...acho que amanhã já estára lá...sem grana, sem ter um adulto responsável para dividir as minhas angustias...

essa semana vou racionalizar tudo e usar a lógica para passar o tempo: resolver equação, arrumar eletrodomesticos quebrados (que meu futuro marido não leia isso senão ficará mal acostumado...mas não me lembro de não ter conseguido consertar alguma coisa que me propuz a arrumar...hehe), fazer testes do mensa...coisas assim...para desbaratinar...alias...vou agora mesmo resolver uma equação...bejo

domingo, 19 de novembro de 2006

hoje estou me sentindo uma perfeita irracional...sabe coelhinho q tem q entrar numa casinha em brincadeira de festa junina de primeiro grau? por ai...

minha bolsa está uma verdadeira farmacia. Por conta do antibiótico arrumei uma alergia imbecil e agora tô tomando antialergico também. Na contagem: antiinflamatorio, antibiótico e antialérgico...isso me deixa muito infeliz pois como dois dentes e uma porção de seres microscópicos podem fazer isso comigo...não aceito...

fui na aula de japonês e nem consegui prestar atenção em absolutamente nada...Há muito tempo não fico tão dispersa...

...estou começando a me irritar com essa minha mania de falar muito e, para algumas pessoas, falar muito de mim...essa droga de cidade que me faz sentir uma salmonela perdida num pote de mostarda...

o pior de tudo é que já prevejo o quarto ciclo se formando e ele dói desde já e como se não bastasse o terceiro acaba com muitas doses de exaustivas novidades...acho q se eu estivesse com a saúde em dia conseguiria enxergar um horizonte menos trágico...

cara...alergia é muito irritante...meu corpo tá esquisito...quero eu de volta...alias...desde ontem as 5 da manha quando eu estava gentilmente sentada à privada tentando vomitar a penicilina por achar q a maldita me dava alergia que eu comecei a querer um monte de coisas...

dá vontade de repensar a história do aparelho...ninguém consegue entender a dimensão da minha quase xiita resistência aos alopáticos...estou neste momento me embebedando de vitamina de mamão com aqueles graozinhos adoráveis q eu sempre tenho em casa! Essa parte é otema! Parei de comer ração...hehe

acho que na real queria minha mãe...aliás...esse ano, de 16 deles, foi o que eu mais pensei em quão bom seria minha mãe comigo...vou escovar os dentões e tentar dar uma trabalhadinha básica...

allure!

sexta-feira, 17 de novembro de 2006

hum...parece que meu "não dente" infeccionou e agora to tomando antibiótico...me sinto uma jaca quando tomo remédios...odeio alopáticos...aliás hoje por conta disso estou orti-fruti-granjeiramente um porrezinho...tive insonia essa madruga por conta do "não dente" e fiquei experimentando roupas e mandando e-mails...

só não liguei para o banco...o que seria absurdamente normal numa sessão insone...

falando em banco, estava eu voltando de bus para minha casa no "modus hiper economics" e encontrei meu gerente dentro do bus com seu terninho "megapluster mauricico" e um pacotinho todo bonitinho nas mãos...como estou a visão do inferno (bochechudérrima) acho q ele não me reconheceu...

mas na verdade ele estava mesmo é preocupado com o encontro dele...que romântico...

agora...falando em romântico preciso estudar japonês pois, esta semana não peguei na apostila e pior...nem sei onde ela está...em compensação por conta deste "não dente", acabei assistindo muito lost com legendas e as legendas tem o incrível poder de dispertar meu inglês adormecido...agora estou com uma certa fluência e já estou conversando com os personagens do seriado...
tá...tirando a parte que remete a insanidade isso é muito produtivo...

ai começa a confusão pois hoje na madruga fiquei com vontade de falar frances...aqueeeeele frances de quando eu era jovem...procurei na mente uma meia duzia de palavras e fiquei montando frases...

acho que eu estou ficando sem ter o que fazer...hehe...mas foi um exercício interessante...só quero ver se essa sopa de letrinhas num vai atrapalhar meu japonês no domingo...aiai...

vou sei lá fazer o que...já que sair num dá mesmo por conta do "não dente"...

terça-feira, 14 de novembro de 2006

Hoje to over agressive...sei lá se é por causa do dente q está discretamente doendo e eu não lido muito bem com dores estranhas, se é por que não gosto de cobrar e estou cobrando...se é porque eu realmente queria minha mãe...

num sei...sei que chorei e que o dia não está bonito para mim...ainda bem q amanhã posso ficar quietinha em casa...

segunda-feira, 13 de novembro de 2006

Eu andei pensando no envolvimento e na magica da paixão...mas me faltam palavras para colocar a analise aqui...acho que deve ser reflexo do outro dente extraído.

Tenho ouvido umas músicas melosas a uns dois dias. E acho bem engraçado como elas afetam o nosso psicológico e nos levam a uma dimensão diferente do "estar apaixonado".

É como se colocassem uma pilha alcalina no sentimento...engraçado...me faltam palavras. Acho que é porque estou bem envolvida nessa alcalinidade toda...mjas vejo pelo meu mouse wireless...quando a pilha acaba é revoltante...será que na "paixonite" também funciona assim?

vou ver lost segunda temporada...ta muito interessante...

sábado, 11 de novembro de 2006

Minha casa está floridíssima...Isso só porque arranquei um pequeno dente...se um dia fizer uma operação temo integrar ao meu lar um vasto jardim de inverno...

como hoje fiquei de molho e com a cara inchada até cuidei das flores...não sou muito boa com elas...mas até salvei umas margaridas que uma amiga minha deixou no sol dentro do carro antes de vir me visitar...hehe...mulheres modernas...acho que estou salvando também umas violetinhas que escondi da Boolie Boolie. Sou a super defensora bochechuda das flores!

a extração do pequeno dente foi super tranquila e conversei bastante com a dentista. Muito legal ela. Será um longo relacionamento de 2 anos com o aparelho...ainda bem que achei uma ortodontista legal e que não me dá medo...hehe

por causa do "molho" assisti quase toda a primeira temporada de lost...sim, nunca tinha assistido porque sou uma pessoa que precisa dormir e o horário que passava na TV não combina com minha genética.

Só não tô gostando de hoje a noite porque me acostumo fácil com paparicação e estou sozinha...eu não devia ser mimada mas sou...nada a ver isso no meu curriculo pessoal...falando em currículo, mudei a cara do blog...nada de flores...vamos ser básicos.
Bjo

sexta-feira, 10 de novembro de 2006


well...well...a má distribuição de rendas me apavora...a cada dia que passa percebo este fenomeno cada vez mais segmentado.

Acho que sou classe D porque não tenho uma TV, ferro de passar roupa, microondas e batedeira...Mas e se eu nao gosto de tv, não passo roupa em casa e compro todas as comidas prontas?

...complexo...

Ia eu hoje... super correndo no banco buscar o din da dentista...estava passando pelo guaiba em direção ao praia de belas: meio dia, sol quente e um monte de gente caminhando, correndo...
pensei: "essas pessoas não trabalham...e não tem cara de desempregados"
voltei pela loureiro, e passei por trás da Redenção e vi mais povos caminhando felizes...

pensei: "má distribuição"

E eu correndo que nem condenada para não me atrasar no almoço, comprei umas paradas no Nacional e levei para minha básica mesa e...chorando internamente por ter morrido com 30,00 já que estou na dead line da economia...e as pessoas correndo...

cheguei no trampo...e tem gente que acabou de acordar...eita mundo desigual...

Momento de máxima intimidade com o leitor: abaixo a básica mesa com excesso de informações. Bagunçada jamais! ;)

quinta-feira, 9 de novembro de 2006

Hum...meio dia e meio e estou pensando onde vou almoçar...essa história de horário de verão é muito chata...vc perde meio a fome...
estava pensando em escrever um livro...mas acho que não seria constante o suficiente para terminá-lo...
ai pensei em ir a um psiquiatra para ver se tomando ritalinas e afins me torno uma pessoa calma, serena e com uma capacidade de terminar um livro...
lembrei que odeio alopaticos e tenho pavor de tarja preta e resolvi ir a uma academia ver tai-chi e encontrar lá um pouco de serenidade...
acho que na verdade preciso arrumar coisas para fazer pois ando pensando bobeiras concatenadas...isso é complicado para uma pessoa que visa a sua própria melhoria...sei lá...
estou mais calma...mas queria, além de ter dentes certinhos e brancos, parar de falar com os braços, sombrancelhas e olhos...entrei numas de querer ser calma, serena e tranquila...

as pessoas são engraçadas, isto digo por experiência própria. Quando eu vivia situações caóticas parecia uma madre Tereza de Calcutá mas agora que tudo está "aparentemente" controlado (daqueles controles imprevistos óbvio) eu viro a Senhorita Estriquinina...sei lá...ainda acho que preciso de férias...

Vai ai um sonetinho:
Se cada dia cai
Se cada dia cai, dentro de cada noite,
há um poço
onde a claridade está presa.
há que sentar-se na beira
do poço da sombra
e pescar luz caída
com paciência.
Pablo Neruda (Últimos Sonetos)

quarta-feira, 8 de novembro de 2006

humpf...sai com minha roupitcha adidas vermelha e todo mundo me chamava de Inter...meus brios palmeirenses estão...meio revoltados...dia lindo embora horario de verão...vou dar uma rapida trabalhadinha pois hoje tive queda de pressão pq dormi pouco...e justo no treino...

segunda-feira, 6 de novembro de 2006

Eu nao vejo duendes...mas converso com códigos e css's...as vezes até sonho com eles...é estranho...

Hoje dei treinamento...uma palestra básica sobre webmkt e design...acho que preciso urgente voltar a dar aula...sinto falta de ensinar sabe...isso me faz uma pessoa melhor. Ano que vem será um ano calmo para isso...vou poder me organizar e voltar a lecionar...aiquetudo!

Hoje foi um dia bem bacana...aliás...novos ventos sopram de horizontes muito aprazíveis...adoro o prenúncio de mudanças...amo esse cheirinho.

Mudei as regras de otimização deste blog...agora vou aparecer menos...e vc ai que me acha sempre com meu nome esquece...hehe...é melhor colocar no teu favoritos pq vou sair de circulação "googlica"

beijocas

domingo, 5 de novembro de 2006

Que final de semana...a gente bem que podia passar uma borracha mental e esquecer que certos dias e certos sentimentos (que necessariamente não precisam de uma ação mais insiciva) aconteceram. E eu ao contrario...escrevo para registrar...ridicula...

A única coisa que hoje eu queria era estar em casa com minhas gatas monocromaticas...ainda bem que estou.

Bom...to com a auto estima no chão...não tenho humor nem para rir das coisas ruins...está calor e eu preciso trabalhar mas me falta vontade...

...tive uma surpresa agradável hoje e, não fosse meu degradante sentimento de ser teria sido perfeita...mas ajudou a florir sim...não posso reclamar...embora não esteja conseguindo ainda enxergar claramente esse colorido...vou lá fazer alguma coisa que nem sei bem o que é

quarta-feira, 1 de novembro de 2006

Dia triste o de hoje...acabei não indo no treino e nem na charutada...comprei até um charuto e enloqueci todos ao meu redor com a idéia de ir em uma...achei o máximo a novidade...aprendi em dois dias a teoria do apreciar o charuto, cortar, segurar...para ter que ficar trabalhand...estava ansiosa para hoje...no entanto...sou responsável...as vezes odeio ser responsável...mas fazer o que...c'est la vie...

Me restam ainda alguns sonhos fofos...amanhã vou para gramado totalmente pé rapada...nem combina gramado e minha pobreza...mas me prometi acertar as contas e o farei...esse meu final de ano vai ser bem diferente do ano passado mas será ótemo...pq será o prenuncio de um novo ano sem dívidas!

vou dormir, pensar em como o amor pode ser infinitamente fofinho e tentar dizimar a imensa decepção e deprê que me invadiu por causa da charutada que eu não fui...comprei um charutinho dominicano...segundo o tio da tabacaria é o preferido das mulheres...é mais suave...ele me ensinou até a cortar com a guilhotina...queria ter ido...

segunda-feira, 30 de outubro de 2006

As vezes, num impeto de participar do seu dia e sentir sua presença mais perto do meu cotidiano, abro a janela e espero sua foto, confusa em meio a tantas outras informações visuais, carregar.

Meus olhos brilham e um filme romantico de inúmeras possibilidades felizes passa rapidamente dentro de mim. Vontade de dizer alguma coisa que ainda não sei o que é...

olho...fecho a janela e a realidade se faz...

continuo o dia. Mais perto de você.

domingo, 29 de outubro de 2006

...fui justificar meu voto e vi uma enorme fila no "tudo pelo social" (restaurante BB que tem na rua. BB de bom e barato) e fiquei pensando como sou chata. Jamais ficaria numa fila, num sol ridículo e abominável e num domingo só para comer lá...aliás...pouquíssimas coisas nesta vida me fazem enfrentar filas que não sejam obrigatórias...

Um inseto não identificado mordeu meu braço branco e estou com um vermelhão que cresce a cada dia...se continuar assim vou virar uma grande espinha....

bom...domigo chato...mas produtivo pois já estou terminando alguns trampos...vou continuar ouvindo minha rádio novaiorquina predileta e terminar logo as paradas para ver filmes e comer pipocas com a japa que daqui a pouco vem aqui...

Meu cérebro está dissolvendo de tanto estudar japonês...a forma complicada para eu ser didática comigo mesma é desgastante...mas já consigo desenhar e entender 4 coluninhas da tabela de hiragana que eu estou estudando...

quinta-feira, 26 de outubro de 2006

Pois então...vou ter que arrancar meus dois cisos (os outros dois não vão nascer...hihi)...mas estou querendo manter isto em segredo pois histórias trágicas de extração e período de gravidez todo mundo tem...hehe. A parte mais legal obviamente é que vou ter que tomar sorvete por um longo tempo! Vou comprar semana que vem...hihi...já vou começar meu estoque de sorvetes" uhull. A jóia que me aguarde.

Pelo jeito minhas tão sonhadas férias estão com os dias absolutamente contados...acho que uma das corporações a que pertenço não me liberará...mas...de todo mal...agor tenho um ipod e isso realmente é fofo e lindo...fui

domingo, 22 de outubro de 2006

Sonhei com meu pai e minha mãe...meu pai estava mais lindo do que nunca e com o semblante mais doce que eu já vi...ele estava na cama dele, com o cobertor predileto dele que hoje é minha boina e minha mantinha...eu tava chorando por causa do du que tinha feito algo muito ruim...foi estranho esse sonho.

Acho que todos os meus arquétipos estavam neste sonho. Mas o saldo é uma grande felicidade de ter sido educada por eles nos meus primeiros 7 anos. Eles me salvaram sem imaginar que eu correria perigos urbanos...

quarta-feira, 18 de outubro de 2006

Sabe...as vezes eu reclamo dos meus dias, fico pensando o que estou fazendo nesse mundo chato e enfadonho. Reclamo do excesso de trabalho, da falta dele, da porta da cozinha emperrada enquanto a Boolie fica trazendo seu "lacinho cor de rosa" para eu jogar e ela buscar e trazer, do stress, do amor não correspondido, da impressão de estar sendo "futil", da vida...
Ai eu recebo um email simples como esse ai de baixo e todas essas reclamações, em fração de segundos caem por terra e fica a doce e suave certeza: De alguma forma, feliz ou não, estou fazendo a minha parte na construção de alguma coisa que não sei o que é e, possivelmente nunca saberei.

Bacana viver...


Oi Iris,

Gostaria de agradecer pela imensa alegria que hoje estou sentindo por estar fazendo o curso de Web Designer, e quero que saiba que você foi fundamental nessa decisão... decisão que pra mim foi na verdade um grande passo em minha vida, pois faziam muitos anos que eu não estudava e que na verdade eu ficava inventando desculpas para ter essa atitude.

Desde a primeira vez que vi os e-mails de promoções daqui, perguntei quem fazia e me falaram que era vc, e a cada e-mail que chegava eu ficava mais fascinada, e hoje fazendo o curso estou numa alegria que vc não imagina, pois descobri que realmente gosto disso.
Sabe Iris, tenho 32 anos, e se me perguntassem - O que vc quer ser quando crescer? Eu não sabia responder, mas hoje eu seiiiiiiiiiiiii!!!!

Você acredita que as pessoas que conhecemos não passam em nossa vida por acaso? Pois é, eu vou ter 98 anos e vou lembrar da Iris que trabalhou comigo na Mazer e foi a pessoa que DEUS usou para me ajudar nessa decisão.

Ah! ELE não faz nada por acaso, ELE cuida de cada um de nós, tem amor verdadeiro, nos conhece profundamente e sabe o que é melhor para nós!!!

Iris, não vou me estender muito, vamos marcar de tomar um café (vc gosta de café?) qualquer dia desses e conversarmos.

Iris, te desejo de todo o meu coração que você seja muito feliz e tenha muito sucesso em sua vida.
Você é muito especial e querida.
Um grande beijo em seu coração.
Que DEUS te abençoe!!!

terça-feira, 17 de outubro de 2006

Hum...estou escrevendo no blog, ouvindo Jewel e feliz por não estar com tanta dor na nuca. Meu super tratamento anti-stress está funcionando super bem...vou começar a fazer aulas de japones...tchau

sexta-feira, 13 de outubro de 2006

hum...tô ouvindo Jewel...tempão que não ouvia...obviamente que os cds que ela ainda tocava e cantava folks e não se achava uma Britney Spears...bons tempos aqueles...

Ontem foi extremamente produtivo o feriado. Dormi, alonguei, comi coisinhas naturais feitas por mim e aproveitei para organizar minha dieta. Arrumei a casa e até falei com um amigo (daqueles que não são apenas amigos...hehe...) que a muito tempo não falava...estava fora de Porto Alegre...voltou...achei ótemo!

Estou me achando muito madura em alguns aspectos, principalmente no que diz respeito a amar. Acho engraçado todo esse processo de mudanças que aconteceram dentro de mim em um pequeno período de um ano. Muita coisa e muito rápido e por isso até entendo minha exaustão psicologica. Mas o mais legal disso tudo é a sensação de cuidado que estou tendo comigo. Hoje por exemplo ainda não tive dor na nuca e nem dor de cabeça e meu humor está muito estabilizado.

Falei com o sempai no ultimo treino sobre ir a sampa fazer shugio...não sei...posso estar absurdamente enganada porém quando se trata dessas coisas eu nunca me engano, mas acho que vai ser muito bom ir para lá treinar. Tô me preparando para isso e aquela sensação "pula-pula", que eu tenho quando estou na iminência de fazer algo muito bacana, não para de acontecer.

Hoje vou na academia novamente e quero ver se corro...aproveitar que ela vai estar vazia...hihi
Bjo

terça-feira, 10 de outubro de 2006

Ok...fui na academia e sobrevivi...engraçado com ando bem condicionada...emocionante. Meu segundo dia de stress passou bem obrigada e o fato de eu estar fugindo da campainha não significa em absoluto que eu esteja fugindo das pessoas.

Ouço Damien Rice neste momento e não estou chorando...praticamente um milagre dos hormonios! Quando voltei do treino de academia a Boolie estava se enforcando na janela...definitivamente terei que trocar a rede de segurança se não quiser perder meus gatos...minha gata preta mais especificamente.

Comecei a montar meu roteiro de viagem e preciso achar um terceiro lugar para ir...quero minha cama...tchau...amanhã tem treino no dojo.
Hum...estou stressada de verdade...com uma leve depressão e isso me fez tomar medidas drásticas, urgentes, chatas e metódicas como por exemplo...me matricular em uma academia. Ontem eu parecia uma louca procurando academia, mas achei uma que combina com meu bolso e meus horários.

Hoje começo...e isso não é divertido pois tem uma grande quantidade de moleques...num tem tanta mulher...mas muitos moleques...mas eu estou e sou uma stressada nivel 5 então acho que passa...falando em passa estou tomando remedinhos obviamente naturebas e já estou fazendo o roteiro das minhas viagens de férias...descobri que preciso comprar uma máquina fotográfica.

Alias descobri tanta coisa esse fim de semana que estou chocada: descobri que tenho pensamento acelerado, que minhas dores de cabeça sao por tensão da nuca, que amo meu melhor amigo que não tá nem ai para mim do jeito que estou para ele e por fim descobri que o mundo continua sendo mau,feio e cruel...e que a vida definitivamente não é um moranguinho...

Bom...já que tudo é inevitável tenho que conviver tanto com os sentimentos descobertos quanto com as novas atividades vou tentar ver o lado bom de tudo...vou morrer de tanto fazer esteira e começarei a ter vontade de ser maratonista!com o amor que tenho em mim "on way" vou reverter para meus alunos na UFRGS ano que vem ou outra escola qualquer e vou tentar mudar o mundo, com meu pensamento acelerado vou criar projetos o tempo todo para viver uma vida de planejamento e execução...

vou viver um "Six Sigma pessoal" (to até vendo essa palavra otimizada no google...ô vida arbitraria)...e agora, neste exato momento vou tomar um gole de agua, respirar profundamente e ouvir meu som ambiente no ultimo volume (nightwish, iron maiden, faith no more e Blind Guardian)

segunda-feira, 2 de outubro de 2006

Há 4 anos atrás, eu estava caminhando pela vicinal da universidade. Foram meus primeiros passinhos depois de meses sem conseguir andar.

Me deu uma emoção bacana ontem a noite me dar contar disso. Me lembro que foi exatamente no dia em que estávamos votando para primeiro turno e o Lula maletinha começava a ganhar a presidencia do Brasil. E eu nem pude justificar pq comecei a andar depois das cinco da tarde.
Já se passaram tantos dias e eu me lembro de tanta coisa daquela época e com tanto respeito. Aquilo foi o começo, o gerador de um caos sem medidas e deste acontecido minha vida mudou completamente e hoje sou essa Iris.

Se eu falar que tudo foi tirado de letra certamente estaria sendo mentirosa pois foi a duras penas e forjando forças que eu consegui passar esse ciclo que me fez uma pessoa bem melhor.
As vezes tenho tanto medo de esquecer tudo o que ficou para trás e viver "dondocamente" sem a humildade e gratidão necessária.

Lembrei da minha mãe esta manhã e fiquei feliz. Lembrei de como ela era uma pessoa melhor e buscava fazer sua parte nesse mundo feio-feio. Lembrei das caridades que ela fazia nas favelas, de como ela se movimentava para conseguir coisas para os carentes lá em sampa. Lembrei de um caminhão gigante que parou certa vez em casa por conta de uma campanha para os Flagelados de Santa Catarina...isso ficou bem marcado na minha cabeça.

Como ela tinha amor dentro dela. Ela era de um gênio dificílimo. Se vc pensa que mamãe era uma santa, gentil, doce e imaculada esqueça tudo o que conhece a respeito de pessoas bondosas...Minha mãe era uma mala...mas era super do bem.

Fico feliz de ter herdado o gen dela. Queria ser mais bondosa e fazer uma diferença social como ela. Agora que parei com meu trabalho voluntário me sinto vazia e mais longe de ser uma cidadã que faz a sua parte.

Hoje é um dia de celebra: A vida e a morte. Os começos e os fins dos ciclos que nos modificam o tamanho. Estou feliz sim. Sou sobrevivente e tive uma mãe para me ensinar a gratidão e a humildade. Me emociono.
Mas hoje o dia será brilhante, o melhor. O dia de celebrar.

domingo, 1 de outubro de 2006

hum...dia de eleição...ontem fiz uma super lasanha para meus amigos e comemoramos a chegada da lanterna japa que a mãe da cris me mandou...to ouvindo evanescence...trabalhando num site que eu odeio agora (eu mesma fiz mas num gosto de ficar muito tempo em um projeto)...sobrou uma forma de lasanha pois fiz demais...e sobrou sorvete tb...acho que sou sem noção...hoje estou muito domingo...queria fazer alguma coisa que definitivamente não é o que estou fazendo agora...

sábado, 23 de setembro de 2006

Cada vez que recebo um egan falando do torneio em Santos quero cometer um harakiri...eu não vou...
O cúmulo do "workahollicquismo"...

passava eu pela praia de belas saindo do shopping e indo pra casa...munida de: revista de moda, coisas para o rosto e um único pensamento: "porque a macromedia num cria um flash que salve arquivos executáveis com uma extensão tipo mpeg ou um avi descente..."

Preciso de um legítimo fim de semana

sexta-feira, 15 de setembro de 2006

Ok...o quentinho já está se manifestando e é realmente trágico...ainda bem que eu sabiamente o previ em alguns aspectos.

Essa minha fase sem namorados está muito legal...estava realmente precisando de um tempo para mim. Tô cuidando da minha pequena vida, do meu profissional, do treino e blablabla...a falta de companhia para ir na livraria ou beber cerveja eu supro com amigos e realmente beijo na boca e sexo por hora estão bem fora do contexto do meu dial.

Mas é justamente quando a gente está sossegada e planando como uma ave fofa e penadinha no céu do "single mode" que aparecem as complicadas situações "complexativas".

E vocês sabem que tem uma lei "telepática, onipresente e oniciente" que informa todos os homens da face da terra quando não queremos namorar ninguem porque estamos dando um tempo né?

Essa lei aciona imediatamente toda a casta masculina e da-lhe pagação de pau...muitas sucumbem...e eu consegui passar teoricamente ilesa...hihi...

Mas o "quentinho" matador é disso mesmo: lovinhos...e eu sou uma aquariana e como se não bastasse ser aquariana sou designer...então já viu...o diferente é meu predileto e os inusitados minhas paixões...e o "quentinho" cachorro do jeito que é (quem não sabe o que é quentinho vide um post de uns 3 dias atrás muito gigante com toda a teoria do "quentinho" e do "pulga atras da orelha"), soube muito bem me induzir e meus olhinhos xeretas e avidos por novidades, já estão brilhando...

engraçado...existem dentro da minha cabeça maluca ações que marcam profundamente um sentimento de real valor num relacionamento...meio metódico demais mas é fato: eu me caso com o cara que me der flores! Mas as flores tem que ser iris!! Já pensou que fofo ganhar Iris em um arranjo todo xuxu?! Até o pieguérrimo e "fora da casinha mode" do jargão: "flores para uma flor", digo, "iris para uma Iris" ficaria fofo e fofo e muito fofo novamente...

Outra coisa realmente "matrimonial", que despertaria meu lado mais romantico de ser é uma dancinha romântica em qq lugar publico ou não...ai "deu-se a tragédia"...o cara me ganharia certo...bem...na verdade até minutos atrás pois se algum desses meninos que fazem parte do clã da "leitelepática, onipresente e oniciente" estiver lendo e fizer isso já era...hehe...

Mas na real, o que mais acho bacana e quebra todos os paradigmas relacionados a ficar só e curtir minha casa, meu trampo e meus gatos (no caso gatas: boolie e pepa) caem por terra quando o sentimento é diferente. É alguma coisa complexa mesmo...algo que sai do comum de se apaixonar...deixa tentar explicar para não parecer mais mané ainda: É que nosso pequeno coraçãozinho está acostumado a sentir um afago delicado e doce quando tem alguém dentro dele.

Ai a gente fica fofa, apaixonadinha, tudo fica muito cor de rosa e ai o footprinting no google rola solto (hahahaha...quem nunca fez que atire a primeira pedra).

Ai aparece um cara do além, fora dos padrões de fofices predefinidas por nós meninas, com um papo do além e causa reações além do fofo e cor de rosa...sim...também essas...óbvio...ai já era.
Adoro inusitadas sensações dançando na minha cabeça. Sim...acho um saco mornidão sentimental...oq é absolutamente diferente de não querer estar junto e ficar namorando 200 caras...nada disso.

A regra é muito clara: prefiro ficar sem ninguem do que ficar ficando e cair na burrice de pensar q "uma hora eu acerto"...acho isso o fim do mundo do uó...praticamente o apocalipse...na real, acho q sou romantica demais para achar q "uma hora eu acerto"...na na...radical sim...mas sei lá...pra básica nunca servi mesmo.

Hoje estou tagarela pois tenho muito sono...to até pensando seriamente em desmarcar a balada que tenho pra dormir...êta coisa de véia mas não gente...é sério: semana inteira dormindo no mínimo meia noite e levantando as sete...a última vez que fiz isso parei no hospital...fresca? nããããããão...impressão sua dear coconut...hihi

Hoje estava vindo trabalhar e pensando nas grandes perdas materiais da minha vida...momento triste não fosse encontrar a Josi Renatinha no meio do trajeto acho q teria chorado essas perdas...são elas:

- Minhas 500 partituras de operas completas, cantatas e musicas pupulares adaptadas pelos meus maestros competentérrimos;
- Meu Neruda "confesso que vivi" 2 edição;
- Meus Jô Soares;
- Meus Luli Radfaher;
- Meus diárido desde 1986 (sim...escrevo desde a barriga de mamãe...mas estes textos estão com titia...menos mal);
- Meu shorts jeans de uma grife bahiana bem boa;
- Minha filmadora.

Esses são traumas insuperáveis que tenho q aprender a conviver...estão por ordem de importancia...minhas partituras acho que nunca mais na vida vou conseguir as mesmas...de repente mais ou menos mas nunca aquelas...passei uns 5 anos colecionando, suplicando, pesquisando...sinto muita falta delas...da habbanera...da primeira musica que cantei quando comecei a fazer canto...putz...tô ficando depressiva...a minha construção foi feita por muitas destas coisinhas...acho q vou tomar um café e voltar a tabalhar...caraca...minhas partituras...o coral do Paulo Buchala...putz...dias exaustivos de ensaios...putz...não vou corrigir o texto...to depressiva nível 5 agora...o quebra nozes...

quinta-feira, 14 de setembro de 2006

Credo...to cansada com dor de cabeça e toda tensa...e tô triste por não poder ir ao torneio em santos...tava tão empolgada mas seria muita porraloquice fazer esse investimento...mas eu vejo os caras mó empolgados e eu não vou...até ja falei pra Claudia que nesta data vou la ajuda-la pois ela tem um evento e vou ficar de babá para meu sobrinhofo...mas tô triste...

Acho que ando trampando demais e investindo demais e não sobra dins para nada...sei lá...na verdade acho que estou stressada essa noite e realmente queria dormir. Preciso dormir...ai se resolve tudo...até a dor de cotovelo por não ir para santos...

acho q estou enloquecendo as pessoas por conta do meu bogu..queria um do bonitinho e isso é meio patético pois estamos falando de uma armadura de luta...mas sou menina pronto e acabou. Quero um bem bonitinho...

Na verdade quero dormir...mas preciso comer....

terça-feira, 12 de setembro de 2006

Existem duas sensações marcantes no meu cotidiano que são divisores de águas psicologicas, mentais, fisicas e sociais (exatamente nesta ordem).

Uma é a sensação de "pulga atrás da orelha". Considero este evento muito importante pois significa que "vem bomba" e que terei muito trabalho para desarmá-la... mas isso é positivo pois a carga de crescimento que vem com ela é muito bom. O efeito pode ser, quase sempre, muito triste, tenso e stressante mas dá pra olhá-lo como um tabuleiro de xadrez e ai começa a ficar interessante. Não fosse a minha ansiedade a "pulga atrás da orelha" seria praticamente um acontecimento social glamouroso e altamente recheado de sábios decodificadores.

A outra sensação, não menos importante é do "quentinho". Esta definitivamente é bélica, perigosa e a porcentagem de acrescimos é sempre mínima.

Primeiro porque "quentinho" se camufla...a "pulga" não. Uma vez "pulga" sempre "pulga" e o "quentinho" se disfarça de verão...quando o "quentinho" aparece no inverno tudo bem...é uma dica valiosa para saber que se trata da sensação e não da temperatura. Por outro lado, quando surge no verão fica mais complexo.

Ele pode ser sono, clima, estado de espírito empolgado ou a sensação que precede a coisa...coisa mandada sempre...eca.

O "quentinho" vem com um friozinho na barriga muito parecido com aqueles que eu tinha quando cantava solos em casamento ou na igreja...pior de tudo é que o "quentinho" é confortável, deixa feliz e não se sabe porque.

Um bom "quentinho", mas raro, é o que é precedido da "pulga atras da orelha"...esse sempre é muito positivo. Já o "quentinho" solitário é perigoso pois dá uma sensação de "bobo alegre"

O "quentinho" com a "pulga" geralmente trata-se de lovinhos...ai é tudo de bom...

Mas o "quentinho" solitário nunca se sabe o que é, de onde vem e porque mas geralmente é algo que no final será frustrante. Exemplos de "quentinho" eu não me lembro pois eles são chatos...lembro de um "quentinho" precedido de "pulga" que foi quando me mudei para Porto Alegre...ótimo "quentinho"...

Mas desde ontem estou com o maldito "quentinho"...já dei uma geral nos meus projetos, planos e sensações...bem como loves, familia e sonhos e nada...nada remete ao "quentinho"...só posso crer que este é de um nível de complexidade maior do que se imagina...quero muito que seja temperatura mas não me parece...hoje colocarei meu sono em dia para dizimar mais um consecutivo do "quentinho" e, caso ele continue...dias de tempestades virão...

Pessoas que me leem...muita atenção com os "quentinhos" da sua vida. Eles são traiçoeiros.

Deixa pra lá o "quentinho"...
Semana que vem vou fazer a "documentação" para colocar aparelho e estou pensando em fazer um super peelling no meu rosto para acabar de vez com as malditas sardas...

segunda-feira, 11 de setembro de 2006

ok...sao quase 4 da manhã e eu estou "consertando" meu microlino...tudo por causa do nojento service pack 2...

Dudu fofinho formatou minha maquina hoje...quer dizer...ontem...adoro o du...começo a pensar se não devíamos realmente namorar...mas acho que não sou uma moça de familia e com a cultura que ele queria em uma mina...e também não seria capaz de viver a sombra dessa impressão... acho que amigos devem ser sempre amigos...sei lá...dia desses com essa minha boca aberta talvez eu fale para ele...

Minha casa e meu micro estão limpos, eu to morrendo de sono mas tenho que terminar isso ainda hoje pois amanhã tenho muito trabalho para fazer e não posso "perder"uma noite consertando a pequena parada digital...vou continuar pela minha busca do reparador de arquivos pois desinstalei o service pack para minha net funcionar...c acredita que o cara da brasil telecom me mandou comprar outro modem? Ainda bem que sou teimosa, chata e xereta senão ja ia morrer com uns 200 reais tranquilamente...vou continuar minhas xeretices agora que a net está estável...

beijocas

sexta-feira, 8 de setembro de 2006

Engraçado...

alguns lideres são vaidosos demais para enxergar algumas coisas óbvias...acho que esse é verdadeiro declínio dos seus comandos...acho mais...acho até que essa vaidade em demasia não permite que eles distinguam o certo do errado, a boa da má companhia...complexo...tenho certas duvidas às suas reais competencias...

O mais engraçado disso é prever as mudanças...

terça-feira, 5 de setembro de 2006

Hoje estava cruzando a Ipiranga com a Praia de belas e no semáforo me deparei pensando em números de 3 digitos...Acho que estou ficando maluca...299,00...395,00...150,00...acho que essa vida capitalista me consome... mas porquê nos 3 digitos? Não podia ser em dois digitos? Num posso ter essa cultura de 3 dígitos...tenho medo das minhas futuras prestações e compras...

Hoje foi um dia infernal, revoltante e extremamente denso...mas acabou e estou bem...a vida profissional as vezes é complexa...na minha campanha "Tornei em Santos" estou pegando até consultoria de políticos para agregar valores à minha conta bancária...vamos ver se rola...

No mais tá tudo lindo e fofo porque o amor é um chuchu e tem nome completo e uns adjetivos que eu mesma dei a ele e todos muito bons...saudades de ve-lo...sim povo é platonico e eu tenho quase trinta mas tô absolutamente feliz com essa "novidade"...num quero nada que avance antes do tempo que tem q crescer...

mudando de assunto...tá frio...uiui...

Amanhã não vou treinar...tenho reunião de projeto...aiai...reunião é algo stressante...

terça-feira, 29 de agosto de 2006

Sou uma bomba biologica...uma ameaça continua...uma arremessadora de vírus cruel e ranhenta...como odeio resfriados...tô super de molho e até meus trampinhos não rendem...

hoje estava ouvindo uma musica do rapa...pescador de ilusões...lembrei tanto de tanta coisa...eu lembro que eu ouvia esse som quando ia fazer caminhadas e trilhas de bike...as trilhas domésticas eram ótemas. domésticas porque eu as fazia nas fazendas vizinhas da chacara da minha tia...lembro que eu e o Ju meu primo e irmão (coisas confusas de uma orfã...) iamos até uma cidadezinha lá perto por dentro das trilhas de area que ia de uma fazenda a outra. Era muito comum encontrar no meio do caminho uma galera fazendo trilhas também...Não via a hora de chegar sabado para pegar minha bike, botar o fone de ouvido e ir pedalar...acho que gosto de atividades fisicas...embora eu jamais sirva para magra eu não me lembro de ter sido sedentaria...a maior parte da miha vida eu fiz esportes...

Primeiro fiz balé..uns 3 anos acho...parei quando ia colocar a sapatilha de ponta e eu era muito pequenininha e minha mãe me colocou para acertar meus pezinhos..depois o judô...mas fiz pouquérrimo...ai depois comecei natação e foram mais uns 3 anos e uma unica competição...na fase mais crítica da adolescencia eu era ratinha de academia...gente....como pude eu um dia gostar de academia? Trilhas, caminhadas, bikes...muito bom...

Hoje voltava do trampo e percebi que ainda lembro das posições de braço e perna do balé...que louco...vou entrar embaixo dos edredons pois tenho q ficar boa para treinar sábado e ir pra gramado depois ver meu sobrinhofo!

segunda-feira, 28 de agosto de 2006

Tô feliz.
De uma felicidade simples daquele tipo que criança tem quando vê uma bolha de sabão. Amei meu dia em todos os seus nuances e tudo que poderia ser ruim se transformou em felicidade...até esse resfriado chato não importou.

Adorei o hoje...e ele sera infinito dentro do meu coração. Pois ele nunca mais vai voltar. Não desse jeito...O amanhã pode ser perfeito e feliz tambéme outra bolhinha de sabão colorida e marota estourar bem na pontinha do meu nariz.

Mas o hoje é perfeito. Precisava marcar esse dia com uma certeza: Dia Feliz de criança que cresceu.

domingo, 27 de agosto de 2006

Saldo do Fim de semana:

Tédio
Nariz vermelho de tanto "lenço de papel";
Excesso de comida chineza no sangue;
Vontade de estar morando em Sampa para fazer ikebana;
Tosse ridicula;
Garganta absurda;
Nenhum sono e
Muitos desenhos assistidos.

Odeio resfriados...
Sim...uma das piores coisas que existem na vida de um ser humano é ficar resfriado...ontem sai do treino numa chuvinha ridiculamente fina mas malvada. E acabei ficando pior do que já estava...aliás...tem coisa pior que nariz entupido? É muito chaaato. Por que ai vira uma bola de neve pois respiro ar frio e a coitada da garganta que já não está lá aquelas coisas fica pior...

Ontem ia começar kenjutsu mas num teve...o sempai também tava dodói. Tá vendo porque gripe e resfriado são melecas?! Atrapalham a vida de todo mundo! Agora por exemplo está me atrapalhando a escrever pois tenho que parar de digitar e tossir ou limpar o nariz...uó

Falando em nariz na volta do treino encontro em casa minha gata preta básica Boolie Boolie...ruiva!!! Não sei como ela conseguiu chegar até a água oxigenada do armário do banheiro mas sei que ela esta com indiscretas manchas vermelhas no seu pelo...tá muito engraçado...depois mostro foto da pequena maluca.

Tinha que limpar a casa mas tô com aquela moleza chata de quem tá resfriado. Acho que depois do almoço vou ligar pra minha irmã para trocar idéias...tô sentindo só...outra coisa que só os dodóis sentem em níveis elevados...aiquesaco...fui e não corrigirei o texto.

sexta-feira, 25 de agosto de 2006

Sexta-feira a noite e eu estou em casa, vou dormir super cedo para treinar amanhã cedo também...to cansada, minha garganta esta estranhamente arranhando e eu nem tomei frio...tô achando que deve ser imunidade por causa da minha alimentação defazadérrima durante a semana...meu estomago sumiu...mas pelo jeito meus super defensores internos foram tirar férias...a fabriquinha deles cessou a produção...

Tô estranha e decidida a parar de ir na psicologa...na minha planilha enxutérrima de gastos ela esta na dead line como superfluo numero 1...depois vem a conta pós paga do celular...vou ter que parar senao nunca conseguirei fazer o miniba (MBA pititico) para me tornar especialista em e-bussines...

Meu cabelo está indomável e eu preciso dar um jeito neles mas agora vou assistir uns videozinhos de katas de kenjutsu...

sábado, 19 de agosto de 2006

Hoje estou tranquila como há muito não ficava...estou num momento absurdamente flashback e lembrei de algumas coisas que gostava quando era criança.

Minha mãe sempre me incentivou a ler. Primeiro os gibis depois os livros e mais livros e eu sempre adorei ler e até hoje sou louca varrida por livros.

Lembrei especialmente de uma coisa engraçada: atualmente não gosto de poesias a não ser Pablo Neruda. Mas quando eu era menina...uns 11, 12 anos eu acredito, haviam 3 poesias que eu gostava.

Uma era do gato, outra de um padre falando sobre juventude e uma outra que tinha atrás do meu caderno salesiano (naquela época tinha umas poesias) que se chamava "Vitória na vida" mas não me lembro quem escreveu...

ler é legal...hiper legal!

sexta-feira, 18 de agosto de 2006

Eu gostaria muito que você falasse "tchau" quando vai embora do meu virtual...mas sequer sabe que eu ainda existo...

complexo...tudo bem com minha irmã. Nada de linhas de tensão...essas estão no Libano e na Bahia.

segunda-feira, 14 de agosto de 2006

Briguei com a minha irmã...Na verdade não briguei pq pedi desculpas mas magoei ela com minhas idéias práticas e sem graças. Nem vou para lá no fim de semana...Tô triste...sou uma besta mesmo...

quinta-feira, 10 de agosto de 2006

Todo mês eu me dou um presente de uns tempos para cá. Eles não tem um valor específico. Hora são meio caros e hora baratos...dependem do meu estado de necessidade dele.

Na verdade tudo que me dei até agora é mais um incentivo a mim mesma por trabalhar demais e não ter vida social ou quando esta acontece é apenas para me sociabilizar com algum parceiro discutindo sobre projetos, ou ir a dentista, psicologa ou treinar...

Bom...mas mazelas à parte o fato é que este mês me dei uma escova raquete que promete não deixar meus finos fios de cabelo emaranhados e garantir uma massagem pelo meu couro cabeludo ativando a circulação dos pequenos bulbos capilares de forma a contribuir para a saúde dos mesmos...

na verdade comprei porque achei que estava na hora de ter uma escova de cabelos compridos já que meus cabelos estão compridos...tamanho médio na verdade...

ai me animei e comprei uns trecos para cuidar dele, desbastei com gilete os fios e agora eles estão prontos para a espera de um ano até chegarem aonde quero que cheguem em comprimento...

Lembro quando eu era pequena...quanta pressa que eu tinha de deixar a "franja" crescer para poder colocar atrás da orelha que nem as "moças".

Eu lembro que até minhas Barbies tinham cabelo atrás da orelha menos eu...um dia me irritei e cortei o cabelo de todas elas...mas para ficarem fashion não de raiva...e falando a verdade...não fosse os cabelos terem arrepiados a minha barbie de cabelos marrons (sempre fui contra "loirismos") teria ficado perfeitamente moderna!

Bom...o fato é que eu num conseguia esperar nada e hoje me vejo fazendo planos até para meu cabelo daqui um ano. Entendo porque o tempo voa.

Quando a gente é criança as coisas caminham nuns super segundos que demoram eternidades por que a gente, sem querer, vive aquele momento intensamente e não fica fazendo projetos.

Hoje eu penso no cabelo em 2007, minha volta para sampa em 2008, meus kyus no treino em final de 2008, estudos...tudo já está devidamente guardado no "follow up" dos tempos.

Mas não faz muito tempo que deixei de ser "criança" neste aspecto. Hoje fui ao médico enloquecidamente tensa por causa de uma dor ardidíssima do lado direito do meu ser...achei que era torção no ovário que já ia ter que fazer laparoscopia e já estava organizando tudo dentro da minha cabeça com relação a toda minha vida parando em função desse pequeno incidente.

Pensei também no medo que teria de uma intervenção cirurgica pois praticamente todos meus parentes que foram para o hospital um dia não voltaram com vida e isso é algo que preciso trabalhar forte dentro de mim...e passei uns tempos meditando a respeito desse mundo de novas possibilidades.

A médica estranha (no sentido de não ser a minha habitual) me disse que não era torção e deu uma discreta risada da minha cara...ela deve pensar que sou maluca me auto diagnosticando...

mas sempre existira uma médica dentro de mim...não adianta...as vezes acho que deveira ter feito medicina e não desistido...mas ai penso que seria uma médica meio maluca...

bom...voltemos pois ao foco: vou fazer uns exames e ela disse que pode ser oscilações por causa do período fértil em que me encontro (sim, estou ovulando) e ai fiquei pensando se vou ter que esperar muito para esta dor passar, se vou poder treinar e me espreguiçar e cheguei a lamentar essa coisa "fresca" que é ser mulher...mas adoro ser menina e curtir cor de rosa...

Sei lá...sai da clínica feliz por que não terei, aparentemente, que fazer cirurgia nenhuma, a vida continua leve e serena e estou calma.

Ai você me pergunta: "o que tem a ver a escova de cabelos raquete com a intervenção cirurgica?"

...ok...tem a ver com paciência, tranquilidade e organização.

Sabe porque? Quando a gente é criança ser ansioso faz parte do processo de crescimento mesmo. É tanta coisa para aprender, tantos musculos a exercitar que nos perdemos nas horas e buscamos tudo para amanhã.

Esses dias minha irmã falava do meu sobrinho alguma coisa como "parece que ele não tem tempo a perder, está sempre alerta observando e pegando tudo, quer conhecer o mundo que ele vive a grandes goles".

E é assim mesmo...temos um apetite voraz por aprender e reter novas informações...Ai cê fica velho e tem que guardar estas ansiedades e mudar a postura. Você começa a planejar pois começa a perceber que as interferências diárias que mudam rotas e planos estão ali atrapalhando tudo.

O novo passa a ser visto com olhos desconfiados e receosos de algum tipo de interferência negativa para nosso trajeto.

Então a gente começa a ter que aprender a ter paciência, a usar planos B's com frequência para chegar no nosso destino.

As vezes a gente traça coisas grandes como faculdades, casamentos e grandes aquisições sem planejar e com a impaciência infantil arraigada no nosso pequeno ser e, certamente se perde nas bifurcações que a mente ansiosa nos sugestiona.

Ai aprendemos que o plano é necessário e a paciência é ouro para qualquer projeto de sucesso.

Aprendi acerca da paciencia em 2002 quando fiquei sem andar durante 3 meses em média e mais de um ano para poder ser normal novamente.

Aprendi com muita dor e solidão que a vida se faz em pequenos pontos que se ligam traçando destinos.
Aprendi a me cuidar, a ir menos longe se não conseguisse, aprendi a esperar o outro, esperar meu corpo reagir, esperar as horas certas, a ler o livro certo, ter a palavra certa e a oração quando tinha que ter.

Paciência é um estado pleno que todos precisamos para seguir na vida com sucesso. Não digo que teremos que ser resignados e ficar a merce de tudo que nos é imposto durante essa nossa estada neste pequeno mundo. Paciência é muito mais complexo que do que ser resignado e conformado.

É esperar o momento certo, silenciar e estudar o caminho e as possibilidades. Eu ousaria até dizer que para ser um bom paciente é necessário desenvolver técnicas e habilidades que só descobrimos quando precisamos esperar.

Quando a gente é pequeno o cabelo, a profissão, o brinquedo tem que chegar ontem. Quando a gente cresce para a paciência tudo passa a ser desenhado dentro do nosso livro de viver com projetos muito mais concisos e nosso cenário fica mais real e claro.

Acho bom ser paciente...exercitar a paciência e viver contemplando os momentos para entender onde esta o melhor momento para atuar.

A gente cresce, e a estratégia se modifica mas continuará com a mesma alegria do "querer adquirido" de quando éramos crianças desde que saibamos viver.
Ser adulto é bem legal também e eu me divirto muito mais hoje, com todos meus planejamentos e estratégias constantes, do que antes, quando eu ainda achava que poderia carregar o mundo com as duas mãos.

Hoje...hum...ainda acho que posso carregar o mundo sim...mas preciso de mais de duas mãos e estas definitivamente não são somente as minhas...pronto...ataque comuna!

Fui...e não vou corrigir o portugues porque to com sede..bjo

terça-feira, 8 de agosto de 2006

Minha boca está doendo de um modo muito estranho...desde que comecei a fisioterapia as coisas doem estranhamente.

É uma dor cansada, de musculo que não estava acostumado a trabalhar da maneira correta, insistente. Envolve toda minha cabeça e dá vontade de nunca mais falar para minimizar um pouco o incomodo.

Quando dou risada piora...desde que eu comecei a fisioterapia da alma também me doem novos sentimentos que não estavam acostumados a trabalhar dentro da minha zona de conforto. A dor é tão insistente quando a fisica e me faz admitir certas necessidades crueis.

Engraçado como o desestressar do músculo e da mente causa desconforto quando temos que acioná-los novamente de forma mais correta.

Tenho que escrever isso tudo senão vou chorar. Se bem que esse choro que engasga meu âmago acho que seguramente é um dos mais sinceros que já chorei.

A dor fisica não me faz chorar. Causa um certo medo e uma pequena insegurança quanto ao tratamento apenas...

...mas a que não é física me deixa confusa num primeiro momento porque ela não é clara...mas desde quando sentimentos são claros?

Em outros tempos eu já senti pesos teoricamente insuportáveis advindos disso..exatamente disso que estou sentindo agora mas da maneira incorreta de sentir.

Acho que a desculpa perfeita para as gentes que queremos por perto e não temos é o frio e vazio negro da solidão que a gente arruma para disfarçar que não se aprofunda tanto uma reação para se perder dentro dela.

Matar as coisas, dizimá-las de dentro da gente...como isso é fácil e pequeno...
O que faço agora com os sentimentos tratados é bem diferente e eles doem por estarem ali e se curando...mas não existem bolsas de água quente que amenizem a sensação ruim que fica, assim como faço com as bochechas.

Impossível não sentir saudades do meu pai e eu acho isso tão sem sentido. Há mais de 15 anos ele morreu e ainda assim sinto falta da presença dele...essa dor também vai ser vivida de forma diferente hoje.

Penso em rejeição...penso porém não toco nela e é tão estranho...a única coisa que sei é que tenho um caminho para seguir e eventos a dar continuidade. Não sei se é amor próprio, se é chatice de menina focada, se é conduta samurai...seja lá o que for, da mesma forma que meu pequeno organismo reagiu positivamente a algumas coisas quero ver o que ele fará agora...

Na verdade me sinto uma grande cobaia de mim mesma sentindo e observando meu comportamento diante das coisas difíceis e crueis da minha pequena vida.

Se eu falar que estou alegre estaria sendo cruel comigo mesma. Estou quebradinha por dentro mas não sei exatamente o que fazer...sei observar. Acho que estou aprendendo acerca do silêncio.

Silencio dói...é um novo músculo a exercitar de forma totalmente diferente...enquanto dói eu escrevo. Meu remédio: letras em forma de sentidos.

domingo, 6 de agosto de 2006

Sabe...tem umas coisas na minha cabeça que estão começando a fazer sentido...
vou organizar tudo depois escrever...
tchau...tô tentando ligar para minha irmã pendurada no telefone

quarta-feira, 2 de agosto de 2006

É muito comum eu terminar um treino, e no exato momento em que a realidade se faz novamente eu me perguntar: "O que estou fazendo aqui?"

Não sei exatamente o que responder.

Acho que esse é um dos motivos pelos quais ainda vou e busco fazer o melhor ainda que o dia tenha sido enlouquecido, que minha mente não consiga se desligar do cotidiano ou que minhas bochechas estejam caindo por causa da fisioterapia.

Acho que enquanto procurar respostas para esta pergunta nunca deixarei de cruzar a espada. Pode até ser que eu nunca venha saber esse "porquê" mas existem outros que estão se explicando e eu sei que cresço.

Hoje por exemplo voltei meditando...há muito tempo não faço isso mas sai de lá em estado meditativo e contemplativo. Observei minha vida e alguns novos sentimentos que nela brotam que eu não conhecia e aproveitando a deixa do tempo que levei pra chegar em casa...uma hora praticamente pois voltei de onibus e ooooobviamente peguei o errado e parei a milhas de distancia da minha casa.

Bom, mas o fato é que pensei bastante em tanta coisa e fiquei feliz comigo. É estranho escrever isso mas tenho um amor diferente por mim. A cada momento que tenho errado descaradamente, me enrolado em várias coisas e enfim, andado contra a realidade que eu escolhi para mim. Nesses momentinhos eu tenho crescido.

Pela teimosia em tentar de novo, em buscar aperfeiçoar, em propor a mim mesma uma Íris melhor, reformulada, digna...isso me fes ter um respeito maior pela minha pequena pessoa. Num sei...acho que me senti grande por ser tão pequena...pequena e com coragem para assumir essa coisa toda tão mini e tentar maximiza-la...sei lá...papo de louco que acabou de sair de um simpático e sério transe introself...

Minhas bochechas estão incrivelmente engraçadas e o banheiro já esta no ponto de tomar banho: cheio de nuvens quentinhas!

FuiSayonara

segunda-feira, 31 de julho de 2006

Tô chata...odeio admitir isso mas tô bem chata...acho que é o excesso de trampo...meu micro ta doido e tenho bilhoes de coisas para fazer...acho que quero férias...ai...vou reunir minhas contas...para paga-las...elas andam tão espalhadas pela casa quanto meus pensamentos...bjo...chata...mas docinha...bjo otro.

sábado, 29 de julho de 2006

Fui treinar no frio hoje...acho que nunca havia treinado passando frio...ano passado essa época qualquer coisa eu já estava em Gramado...quando penso nisso vejo que gastei muito dinheiro lá...um dos sempais hoje estava incrivelmente energético. Acho engraçado começar a perceber as pessoas. Ele estava tão "motivado" que era engraçado ver que falava muito, não ouvia. Achei uma graça. Adoro pessoas que admiro se aproximando da minha realidade pessoal.

Ontem assisti uma peça interessantissima! Ri muito. Ia num jantar cultural e acabei indo ver a Elisabeth Savala. Muito boa peça. Ontem fiz que nem fazia quando era adolescente: marquei bilhões de coisas para fazer a noite e acabei fazendo uma que não tinha nada a ver com os "esquemas". E como sempre, a surpresa é bem mais legal!

Limpei a casa...nem acredito...coisas do treino mesmo...andava numas de "sai fora" casa. Agora encomendei um monte de comida chinesa, japonesa e blablabla...só quero ver comer tudo isso...acho que vai ter comida para a proxima década...Esse lugar que eu pego comida oriental sempre dá uma porção de coisa qualquer se vc compra um valor x...aiii...é muita comida.

Amanhã vou trabalhar...tenho tanta coisa para fazer...hoje vou dormir cedo para amanhã render...estou confusa...em sentimentos...tantos signos para eu ter tinha que ser justo aquariana...aiquesaco...mas não vou pensar nisso...acho que vou deixar as coisas do "de dentro" nascerem e se esparramarem porque senão nunca vou poder mensura-las.

Vou lá ver Boolinha que está arrepiada de frio...

quinta-feira, 27 de julho de 2006

Dei umtreinamento hoje...engraçado falar de algo que não sejam tecnicas de redação para adolescentes. Foi legal. Acho que as pessoas entenderam oque é webmkt.

Tinha tanto para escrever acerca de tantas coias mas infelizmente as palavras deram um jeitinho de escapar por completo. Acho que quero minha cama, uma coisa boba qualquer passando na TV e meus pensamentos.

Tô ouvindo Ana Carolina...faz parte da composição love...adoro esse estado de paixão...teria que ficar aqui escrevendo muito e ainda assim faltariam palavras para algumas coisas ficarem explicitas. Como disse hoje para um amigo que me perguntou se estou feliz: a resposta é rápida afinal "não sei". Mas quando ele perguntou se estou bem também foi uma resposta certeira: "sim. Muito bem"

Descobrir...reinventar...acho que é essa a tônica da noite. É cedo, mas vou nanar

terça-feira, 25 de julho de 2006

Eu tenho um melhor amigo. Antes eu não sabia definir o que isso exatamente agregava em valor.
Mas acho que melhor amigo é aquele que conhece teus infernos e faz deles um panorama mais ameno.

Acho que também é aquele tipo de pessoa que olha a tua fotografia com lentes de aumento encontrando detalhes que a gente, na pressa nem percebe.

Eles são sabios para a gente e dão bronca. Mas a melhor parte é poder compartilhar os infernos. É como se ele tivesse grandes asas e tirasse a gente dali.

Mas sabe o que é melhor mesmo de tudo isso? O que dá toda uma graça para essa relação? É ser melhor amigo do melhor amigo.

Sim, as vezes a gente é melhor amigo de tantos e nenhum é nosso melhor amigo...aquela coisa dos infernos...

Eu gosto do meu melhor amigo porque ele vai aos meus infernos e eu vou aos dele com uma maestria muito real.

As vezes penso: Por que ele é meu melhor amigo? E me respondo sempre que não sei. Sei que vai aos meus infernos sempre que é necessário e sei que quando ele esta lá no dele, no fundo, escondido e com medo. E como bem sei o caminho, desço lá e o tiro ele...

Num sei se a distância facilita a amizade, se atrapalha, se esse tipo de convivência mais digital que real é saudável...apenas sei que ele é meu amigo, meu chapa e meu japa predileto.

Conheço um pouco ele mas o que conheço é de verdade.
Vagamos por infernos e nos encontramos.
E isso é confortante...dá a impressão de que o melhor lugar para se viver é exatamente viver o melhor e o pior de dentro da gente...mas compartilhado.

domingo, 23 de julho de 2006

Não existe amor sem medo...Aliás...atrevo-me dizer que por trás de determinados medos à vencer, está a receita de uma plenitude qualquer. O medo parcimonioso é a medida para não ter auto-confiança capaz de sabotar qualquer investida ou mesmo completo abandono da causa.
Coragem...acho que ela deriva de medos vencidos...

Bacana pensar no amor, na coragem, no sucesso rodeados de medos a vencer. Isso me parece bem lúcido e nada romantizado...

Ontem acabei treinando uns katas de kenjutsu e para minha total surpresa até me sai bem...detalhe importante deste fato é que faziam aproximadamente uns 6 meses que não treinava nada parecido com ken...foi legal...me fez ver que adoro ken também e preciso logo ganhar dinheiro nessa vida e comprar meu bogu e começar a treinar...nem acredito que fiz 200 suburi e não parei cansada e podre...acho que não fiz não...devo ter sonhado ou agora sou uma menina muito mais forte...será que o sempai contou certo?

E eu estava com a minha bokuto...tipo...ela é mais pesada...sei lá...se realmente eu fiz e não estava morrendo (porque num tava mesmo) acho que o xandeco me deixava molenga nos treinos de ken...desculpa se vc está lendo mas tenho fortes suspeitas pois fiz 200 suburis e acertei 2 katas (o ultimo num rolou mesmo...hihi)...bom...pode ser tb que agora esteja mais samurai que a 6 meses atrás...

Ok, chega de devaneios e conejcturas samurais dominicais...

Vou fazer uns negocinhos agora...hoje o dia está tão maravilhosamente tranquilo...não fossem as dores de cabeça estariam perfeitos...mas agora tenho algo que povoa minha mente quase permanetemente que sobrepuja essa coisa de dor...que bonitinho...nunca vi isso acontecendo dentro de mim...estou viva, ligada e integrada nesse espaço sem fim que estamos todos passando esse tempo...bacana...

sexta-feira, 21 de julho de 2006

lilililili...to mudando de profissão...lalalalalalalala...
Aiai...ando meio maluca...tipico estilo "não saia de casa sem camisa de força"...hoje estava calma no trabalho...também, com a imensa dor de cabeça que se instalou em mim só se eu fosse doida mesmo.

Tive uma reunião sem querer hoje com a gerência e minha chefita me chamou e falou dos meus planos de monitoramento, análise e estratégia no e-mkt da empresa...gente...é impressionante como as palavras se escondem do meu vocabulário...parecia uma ridícula do planeta "ridiculous" querendo se comunicar em "ridiculês" com os humanos...sou muito "zefa" mesmo...mas senti o peso da mudança de ritmo profissional bem certinho hoje...ai...agora sim...finalmente vou poder colocar em pratica todas aquelas coisas lindas de e-mkt que eu aprendi de tanto estudar. É emocionante poder ser webdesigner...acho que agora sim a coisa vai começar a fluir. Sou analista também. Que legal...analista de webmarketing, meus nominhos profissionais estão aumentando...mas todos são braços do webdesign.

Sei lá...acho que não é um braço não...tenho consciencia de que meus dias de desenhos gráficos estão contados e confesso que fico feliz! Preciso usar meus conhecimento e isso assusta porque é grande mas essa semana...justo essa eu percebi que eu me encaixo exatamente nesse papel de analise e estratégia de webmkt e sei que sei pouco pra caramba mas isso já pode fazer um estrago "positivo" aonde eu botar meus dedinhos a coisa vai fluir...só preciso ser menos "nerd" e ser mais "executiva"...mas é complicado largar a carcaça nerd.

Vou deixar a meleca da minha franja crescer e comi habibis demais...ando com meu estomago mini...acho q vou passar mal...nao devia ter caido na tentação daquelas esfirrinhas...agora to super "burp"...meleca...mas foi o stress da manicure...

...credo...me senti um numero naquele salão gigante onde todas usavam salto alto e cabelo colorido...eu me horrorizei com a rapides das tias para fazer minhas unhas...aquele bando de gente...tipo linha de produção de burguesinhas classe média...não não...não troco nunquinha mais a minha rota para ir para a linha de produção estética...continuo no shops...o povo lá é mais antipatico mas eu me sinto mais iris...

Me senti sinceramente em ny, são paulo naqueles salões gigantérrimos...argth...argth...eu podia falar javanes lá que nem iam perceber...credoooo

Sim...engraçado como as coisas andam amontoadas né...até as emoções...nunca vivi isso que está acontecendo agora...em todos os aspectos tá tudo muito novo...ando sonhando acordada por causa de um cara absolutamente e fofamente fofo...num sei se ele está bobo que nem eu...acho que não...essa é uma caracteristica muito minha...poucos vieram ao mundo com essa marca tão forte de "bobeira"...hummm...mas ele é super fofo e eu estou apaixonada e muito boba....Tenho medo de mim pois em condições normais já sou uma ameba...

mas o que importa é o amor...não...não amo obvio...mas seria capaz hoje, de passar o resto dos meus dias perto dele...que fofim

Sei lá...num quero fazer besteiras...hum...esqueci de comprar um cd...droga...a...num vou não...amanhã passo no mercado e compro...

vou brincar com minhas gatas, assistir hello kitty e pensar nele...quando vou ve-lo...e imaginar aquelas coisas bobas que as pessoas apaixonadas imaginam e que eu tô achando é ótimo! Minhas noites de sono estão muito mais doces depois que ele começou a povoar meus sonhos...sim...sou romantica...e minha filha sera a Maria Paula ( por causa das minhas avós) e ela vai ter que ser radical que nem a mãe dela e fazer kenjutsu...jojutsu num dá pq ela sera por um bom tempo menor que o bastão...e se for o juju (meu filho) ele vai ser radical tb e fazer kenjutusu...imagina a criatura minima de men, tare ...será perigoso...ficarei empolgda nivel 5 e ele morrera de tantos beijinhos...melhor eu não imaginar meu pequeno bebe...alias...nada a ver imaginar bebes só pq to apaixonada! Que viagem...vou lá ver as minhas monocromáticas...

Sim...tinha erros seríssimos de portugues e eu não corrigi...e nem acentuei um monte de palavras...

quinta-feira, 20 de julho de 2006

Aham...meu humor está esquisitíssimo e estou agressivérrima. Se são meus hormônios que estão fazendo isso acho que ganhei eles essa semana pois nunca estive assim.

Acho que queria minha mãe. Odeio ser orfã nessas horas e pior que isso: além de ser orfã não ter familia normal com adultos responsáveis e afetuosos para...sei lá...ficar ouvindo reclamar, ou uma receitinha de caldo de feijão ou simplesmente para estar perto assistindo a novela ou falando alguma banalidade extremamente importante e saudável para a vida em comunidade.

Mas eu tenho que me virar como posso e gastar uns dins para falar a respeito de coisas para a psicóloga e ainda descobrir que sou uma ameba.

As vezes acho que tô tão longe de ter minha família. Não que eu faça tudo errado. acho que eu tenho feito uma camapanha muito positiva para que isso se concretize mas acho que sou tão boa nisso quanto sou para lembrar as frases japonesas que tenho que falar no treino.

Mas o engraçado é que não encontro motivos claros para esse humor...é alguma coisa meio "pavio curto" na real. É engraçado...eu pavio curto é algo que nunca pensei que iria ver...hehe
Ontem no treino eu tava muito loka...mas pra mim foi um dos melhores treinos que eu já fiz. Essa energia revoltada serviu para alguma coisa.

Precisava fazer um relato para mandar para o sempai mas eu sou péssima para escrever de mim que não seja assim e aqui...dá uma raiva mas num sai...num adianta...e eu ainda quero escrever livro...tsc...tsc...

Tô ouvindo Zeca Baleiro...gosto dele...Hoje já ouvi Sayuri Ishikawa, Ramones, Cirque du Soleil e agora Zeca Baleiro...hum...ouvi ópera também e uma demo horrorosa de um grupo que estava sendo cotado para tocar num evento da empresa.

Vou na psi hoje...nem sei o que vou falar...se de amor ou de ódio...mas de ódio não poderia ser pois não tô com ódio de nada e nem de ninguém...de amor até é legal...depois vou no shops com a paulitcha...quer dizer, não sei se vou...to com uma dorzinha na barriga estranha...um friozinho de nervoso...tô até com medo de descobrir alguma coisa "psicologicamente falando" que esteja extremamente ligada a meu estado de humor "esquisito".

Mas tá bom...pelo menos não estou com tanta dor de cabeça que nem ontem...

hum...o que eu queria nesse exato momento:
Um friozinho, minha cama e uma leve penumbra...edredons e minha avó Paula me contando de como a família dela (minha também) vivia em Sao Paulo, falando dos Matarazos, da chácara da Vl. Bela que hoje é uma puta vila mas já foi tudo da minha bisavó.

Queria também ouvir a respeito do Tiete que ela atravessava e era bem bonito...a minha primeira geração no brasil, que acredito ser de 1850 no máximo ajudou a montar essa São Paulo de alguma forma...e eu nem votar voto...credo...

Mas tá...voltando ao devaneio: queria isso e abracinhos...e um chá de camomila. Tô se fome...essa é a única parte ótima disso tudo.

Poxa...acho que vou trabalhar
Preciso urgente mudar o layout desse blog...acho q vou colocar algo mais oriental...falando em oriente, hoje o treino foi um dos melhores! Caramba...até doeu meu pequeno cérebro de tanto tentar concentrar...hihi...mas funcionou...

Hoje eu tava chata, agressiva nivel 3 e extremamente tensa por causa do trampo...ufa...passou

Acho que vou fazer academia...o saco disso é achar horário...sei lá...quanto ao amor? Bem...está sendo apreendido aos poucos pelos meus sutis transes emocionais.

terça-feira, 18 de julho de 2006

Hum...hoje sai da fisioterapia dos dentes e resolvi caminhar bastante. Peguei um caminho bem mais extenso e fui pensando na vida, nas coisas em paz e não pude deixar de lembrar que errei a data da fisioterapia...

é maravilhoso não estar na tpm e sentir as coisas fluindo calmas e tranquilas que deixam a gente até com vontade de pensar nelas. Começo a dar início ao processo de upgrade profissional e também a estratejar a minha volta a minha amada capital.

Estou ouvindo uma musica enka muito simpática e penso seriamente em coloca-la no clip que vou fazer para o niten...hum...pensando bem não devo escrever essa palavra no meu blog...ele é otimizado e maluco...daqui a pouco eu ultrapasso o proprio site deles em colocação no google...eu estava em 3 lugar a 3 semanas atras para a palavra samurai...fala sério?! Sou um genio da otimização sem querer...hahahaha

Tô muito serena...algumas coisas estão me emocionando e criando umas espectativas bem doces...aiai...adoro marés calmas

segunda-feira, 17 de julho de 2006

"...E ela sorrateiramente colocou as perninhas para fora da sala. Seus olhinhos coloridos estavam radiantes e lágrimas brotavam initerruptamente de sua face rosada e feliz.

Era uma única vez que vira o céu personificar-se e sentia que tudo aquilo lido em seus livros de escola e nos romances secretos que furtava de sua mãe poderia ser real. Tudo na verdade era mais fantástico ainda pois cheirava conto de fadas, idéias fresquinhas desenfornadas a poucos instantes, onde tudo parece certeiro e perfeito.

Caminhou seus passos curtos em direção da rua e observou que a paisagem estava modificada e o firmamento azul parecia muito mais vivo. Parecia que ele compartilhava de toda essa enfase que a vida lhe propiciava.

Na verdade perdeu-se no espaço infinito do tempo de sonhar e as horas escoaram por suas mãos. Comprou seu chocolate e voltou ao ponto de partida correndo, enfeitaçada pela atmosfera nova e encantadora.

Temeu o sonho, olhou suas mãos pequenas e tremulas com a realidade e os olhos se espelharam em águas. Tinha medo de acordar e perceber equívocos. Não pensou mais e comeu seu chocolate radiante, como se a cada pedaço estivesse absorvendo seus próprios sonhos e saboreando as novas e doces delicias que despontavam.

Todo chocolate acaba mas fica na boca o gosto do cacau misturado com o açucar. Pensou em si, olhou novamente tudo aquilo que era grande e sorriu. Correu em direção da sala e tentou subir o degrau mas as perninhas curtas e a saia rodada confundiram seus movimentos. Olhou ao lado, esticou sua pequena mão e aceitou a que se estendia a frente.

Sorriu como se o mundo se estabelecesse vivo naquele instante exato e tudo ficou claro

_Obrigada.

E saiu correndo."

Um conto do sem fim

domingo, 9 de julho de 2006

Pepi Popinni (Pepa Pop)
Buli Bullini (Boolie Boolie)
Irisi di Ferrerini (eu né)
Modesta homenagem da Casa Ferrera aos irmãos azzuri

Hoje estou péssima né?!
Super TPM do cão, depressão pós sábado, indignação com clientes...e com a certeza plena de que preciso fazer alguma coisa realmente significativa para sair dessa maldita zona de conforto e começar novo ciclo.

Acho que o Dudu está esquisitíssimo comigo desde a última e catastrófica vez que saimos...na verdade eu só acho...não posso afirmar nada pois estou em TPM e tudo o que eu faço ou não faço nessa época pode ser usado contra mim...período extremamente delicado. Estoudistante para não atormentar a vida do pobre...amanhã é niver dele e já comprei umas coisinhas mas vou mandar entregar...já pensou se eu choro de emoção?

Estou levemente inclinada a acreditar que tenho reumatismo...(uma típica manifestação TPêmica) me dói esses ossos dos infernos que eu sei que na meleca da TPM isso também tem influência.

Meus cabelos estão extremamente "vuulf"...digo, parece que fiz uma escova nele virando as pontinhas para cima...foi a meleca de desfiada que eu dei nele agora ele fica totalmente "vuulf".

Coisas boas...ok...hum...acho q não tem...serão mais sete dias de trevas emocionais onde tudo terá uma conotação gótica.

Creio piamente hoje que sou um ser indigno de ter a palavra dirigida a mim...me sinto uma minhoca nojenta enterrada...aicredo...já deu para perceber o estuporzinho que estou...não devo me comunicar com o mundo...definitivamente.

terça-feira, 27 de junho de 2006

Ok, estou triste e escutando Natalie Cole...combina tudo com o momento...Hoje dei minha ultima aula lá na UFRGS...ai que triste...amo aquilo mas sei que por causa do meu excesso de trampo num tô podendo mais dar aulas...sentirei tanta falta...afinal sao 3 anos que foram excelentes...aprendi tanto com aquelas pessoinhas...realmente hoje foi a minha aula mais triste. Vai ser muito e sinceramente ruim não ir dar aulas lá. Me dói o coração...verdadeiramente. Mas como disse o Dequinho, há mais coisas para fazer e pessoas para ajudar e como também disse o Reizinho, eu posso deixar a internet mais bonita com meus sites...vou nanar...sentirei falta dos meus pequenos seres...muita muita.

domingo, 25 de junho de 2006

As festas juninas deram certo!
Agora posso ficar feliz! Até sobrou coisas e os samurais são ótemos amigos!E a Paula e a Cris mais ainda!

terça-feira, 20 de junho de 2006

Ai...tá tudo bagunçado...minha casa, minha conta bancaria, meus trampos, minha cabeça...

Preciso de uma faxineira que resolva tudo isso...bem que podia não ser eu está criatura.

domingo, 18 de junho de 2006

Vejam que lindo meu sobrinhofo:

Fui pra gramado...pela primeira vez eu não tive a menor vontade de voltar...até chorei quando estava na estrada...deu uma saudades da minha familia...meu sobrinho é a coisa mais xuxu que existe.

Cada vez que vou para lá algumas coisas ficam mais claras dentro da minha cabeça, e a sensação de estar no papel errado também...mas é positiva e nada complicada de se administrar.

Mas acho que não queria a minha realidade hoje...hihi...queria ficar com eles mais uns dias para eu realmente reescrever a Íris

quinta-feira, 15 de junho de 2006

Tô com a garganta ruim...isso me tirou o sono, me fez tomar um remédio e comer um rolinho de queijo, para não fazer mal para o estômago, e assistir um filme qualquer.

Na verdade o filme não era tão qualquer assim pois fiquei discretamente triste. Tinha um pequeno final feliz e parece que essa minha garganta e as conclusões que cheguei a respeito de tanta coisa não querem me deixar de diferente humor.

Daqui a pouco vou viajar...e isso me parece tão difícil. Deixar meus domínios, minhas gatas, a "inarrumável" bagunça que se instalou no meu pequeno AP e meus tantos projetos.

Dos mais audaciosos projetos parece que sinto mais falta. Pela impossibilidade deles acredito eu. E estes não são profisssionais mais permeiam caminhos que eu não sei percorrer, que temo enveredar e não saber a saida, que precisem de sentimentos aflorados.

Esses dias voltei a falar com um cara que eu era apaixonada...mas eu me dei conta de que não adianta fugir de certas coisas. Digamos que voltei o contato para distrair e mistificar uma gama de coisas diferentes que estão acontecendo dentro de mim, depois da semana passada.

É como se eu tivesse acordado de mais um torpor mental e me desse conta de que amo. Mas não da forma que acreditava e sim da forma que é. E essa nova formatação me assusta pois...digamos que eu não seja correspondida da mesma forma.

A vida as vezes é cruel...libera uma dorzinha de garganta que vai virar amigdalite por causa de uns negócinhos gelados que andei tomando no frio de 8 graus; faz a gente descobrir o sentimento que sempre procuramos dentro da gente mas apontado para a pessoa perfeita mas que não pensa o mesmo da gente...é...viver é algo fantastica e dolorosamente intrigante.

O cara que eu era apaixonada agora virou definitivamente um passado que eu tento recuperar sem vontade para esconder o meu novo sentimento "reformulado" por outro alguém. Que bobeira isso...e eu continuo me enganando e tomo aspirina como se fosse apagar a garganta quase fechada.

Não quero dormir porque dói tudo. Num gosto de dor. De nenhum tipo. Sei lá...as únicas que aceito são as de cabeça pois sempre tenho enxaqueca então estou familiarizada. Mas as outras me passam uma sensação tão grande de abandono. É como se o corpo tivesse com as defesas em férias e só sobram os arruaceiros para acabar com o grande salão. Meu coração também está com essas visitas indóceis.

Mas por outro lado, a dor te leva a buscar mais cuidado. Eu tô quentinha e tive que me afastar das pequenas bolas de pelo. Embora a aspirina tenha sido a primeira solução eu já tomei o remedio correto, o que sara e previne e sei que vou ficar bem.

O mesmo se dá com meu coração e embora a lógica seja perfeita eu ainda estou tomando a aspirina do ex que eu era apaixonada e não o antibiótico necessário para acabar de vez com essa dor tão grande. Acho que preciso me agasalhar mais e ficar no quentinho...

Sou romântica. Esse é todo o problema. Moderna e absurdamente romântica e sonhadora ainda que a porra da vida tenha me tirado todos os sonhos infantis eu insisto em tê-los nos meus dias...Queria ser fria como um dia achei que poderia ser. Mas num consegui. Ainda que por pouco tempo acho que minha mãe passou ideais e sonhos suficientes para ecoarem dentro de mim até hoje...com tudo que já aconteceu...Ainda sinto a menina saltitante pulando aqui.

Num queria chorar...isso fecha minhas narinas que me obrigam a abrir a boca e respirar o ar frio...assim meus planos de garganta boa são sabotados...meus pés e mãos estão gelando e eu acho que vou deitar pois logo terei que fazer as malas e dar tchau para as monocromáticas.

Queria só ter a certeza de que não preciso fugir dele e nem negar essa clareza de sentimentos que acontecem aqui dentro. Seria minha primeira chance de sentir algo realmente lindo mas sei que não vai acontecer.

Isso é chato...também...só comigo acontecem essas coisas...sabemos que isso é apenas a reação de várias ações...mas prefiro agora não olhar o todo...só a parte...vou me esquentar.

terça-feira, 13 de junho de 2006

Ok, dia de primeiro jogo da seleção e eu a mais sem graça torcedora num tô nem ai para isso...tô mais preocupada com as aulas que não vou dar mais...corta meu coração...sentirei tanta falta que ninguém em nenhuma letra seria capaz de expressar. É um momento meio de devolver aquilo que aprendi com a vida sabe...conhecimentos que não falo com meus amigos é ali, naquela sala gigante da UFRGS que eu falo abertamente dos meus conhecimentos escondidos pelo futil desenvolvimento do dia a dia. Tô triste. Ando muito chorona e bagunçada também...reflexo das confusões internas.

Na real, queria que o tempo voltasse e eu pudesse rever alguns pontos que hoje me fazem pensar assim. Tenho uns medos, umas coragens estranhas, umas empolgações desafinadas...mas nada muito táctil ou exprimível.

Hoje queria não ter que parar de dar aula. Mas isso implica em mudar muita coisa lá atrás que fizeram parte de escolhas lucidas e que devem seguir seu rumo.

Aiquedroga essa coisa de crescer...tô incomodada...muita coisa me deixa assim...ainda bem que vou pra casa da Claudia...hoje estou chata...mal humorada e boba...

Queria respostas sabe...resposta para as coisas que vão dentro da gente e depois das que passeiam dentro dos outros e fazem duos com as nossas e sem perceber nos envolvem tanto.
Queria não achar que fiz besteira...mas sei que fiz. Estou sentindo dentro de mim as mudanças que as besteiras promovem. Há muito tempo eu não fazia alguma coisa fora do esquadro. Sempre tão comedida, reflexiva...fiz caquinha.

Credo...tô parecendo adolescente...que ridículo...os sentimentos sao foférrimos mas estão praticamente 15 anos atrasados...quer saber...num sei...começou agora uma super luta de mim contra mim mesma...vou trabalhar.

quarta-feira, 7 de junho de 2006

Estou técnicamente bebada. Se não fosse a exata noção de perda de sentidos e o pessimismo diante de tudo, diria estar normal.

Sai com amigos e voltei tardão e me sentindo estranha...não sei dizer onde é estranho mas sinto...acho que pela primeira vez na minha vida tenho a sensação de ter baixa auto estima. Esquisito se dar conta disso também mas hoje essa minha auto suficiencia me pareceu tão desprezível e nada agregadora em termos qualitativos.

É...seja lá isso reflexo de vinhos e patricias o fato é que tenho baixa auto estima...que estupido isso...que estupido...quando vou parar de descobrir coisas novas a respeito de mim?

Vou tentar nanar...e justo hoje que eu estava tão bonita...e todos os dias estou bonita...e mais uma vez o exterior não diz absolutamente nada...porque o feio e depredado é muito interno.

domingo, 4 de junho de 2006

Hum...hoje o dia rendeu...rendeu porque criei, falei com um ex que não é o Tão e foi muito bom e deu para perceber que a gente viveu momentos fofos...e ainda ecoam aqui dentro...

Bom...isso é ótemo pois nesses momentos tenho que fazer alguma coisa pelos meus afetos...dá medo...mas sou espertinha.

Na real preciso de um adulto ou adulta responsável para me dar idéias nesse momento delicado...não psicologico mas profissional...aijisuis.

Vou comer Nissin de Yakisoba...adoro! Tchau.

quinta-feira, 1 de junho de 2006

terça-feira, 30 de maio de 2006

hoje pela manhã eu estava lembrando da Maria Amélia, minha primeira psicóloga...na verdade segunda pois a primeira eu não gostei. Fui uma vez e ela foi idiota e ainda por cima atrasava demais. Imagine eu, no alto dos meus 13 anos com tanta coisa para fazer tinha que esperar a boa vontade da bela...achava uó e larguei.

Ai achei a Maria Amélia. Na real quem achou foi minha tia pois ela que procurava isso para mim. Umas das raras coisas que ela fez mas na verdade tenho certeza de que ela fez para ficar com a consciencia tranquila apenas. Meus pais tinham morrido a pouco e eu estava entrando numa crise enlouquecida de estafa:tonturinhas, sensações flutuantes (que me acompanharam por uns bons anos da minha adolescência).

Lembro de coisas engraçadas dessa época de psicologa. Não sei precisar ao certo onde ela foi fundamental e onde foram banais todas as sessões de terapia...mas sei que ela fez parte de uma construção muito séria de mim mesma. Achava muito monotono ela preenchendo um papel todos os dias que eu ia lá...aquela letra corrida...calmamente escrevia e para mim aquilo era quase um transe.

Tinha vezes que ia lá porque tinha que ir e ficava irritando ela com minhas abobrinhas adolescentes, outras vezes morria de ciumes quando via uma outra pessoa saindo da sala dela. No meu mundinho irreal ela era só minha. Lembro do quadro que dei a ela, da boneca...tudo feito por mim após uma crise grande de depressão.

Lembro da crise que tive quando descobri a cerca do meu pai italiano, das frases profundas que ela me dizia que até hoje, nos meus dias de adulta ecoam em minhas decisões e pequenos medos domésticos. Lembro da ultima vez que a vi, já haviam se passado 1 ano que eu mesma me dera alta devido a tantas viagens que andava fazendo. Ficamos 5 anos juntas e quando a vi foi logo que comecei a namorar sério...aquilo tudo me confundia tanto...fui até ela mas era meio tarde.

Tinha um bebe ali também, dentro daquela barrigona e por isso estava de licensa. Olhei aquilo e acho que pela primeira vez na minha adolescencia sem sentido eu fui madura. Larguei o ciume e a sensação de abandono de lado e entendi que as pessoas seguem seus caminhos.

Não procurei outra, acho que continuei naquela época seguindo alguns chavões classicos da minha existência como: "se você não falar ninguém vai saber", "pai é aquele que cria", e outras que me emocionam de pensar.

É muito bacana olhar para trás as vezes.

segunda-feira, 29 de maio de 2006

Pois é...mais uma vez estou aqui, estraçalhada por dentro, totalmente desiludida por achar que eu já era senhora dos meus limites emocionais...

Agora a nova sensação do momento introself é o olhar. Finalmente tive mais um grande insight...já tava curada do meu ego sensitivo e agora tem a visão universal.
Na real esses nomes quase fantasticos que estou colocando são para me explicar (para a minha propria pessoa) de modo mais ilustrativo.

Acho que a nova vergonha do momento é a sensação indescritível de ter errado todos os papéis e julgamentos por causa de quem? Do meu umbigo feliz e contente que sempre ditou tudo aquilo que é bom ou ruim sem sequer parar e olhar o mundo lá fora com a visão "distorcida" do outro.
É...só que essa visão "distorcida" faz toda uma diferença quando você olha o teu mundo e percebe ele flácido e oco. Achei engraçado essa nova doença da mente que encontrei dentro da minha...olha que coisa incrível. Justo eu que sempre entendi a idéia óbvia de que a gente tem mania de acionar e reagir de acordo com nossas crenças e, por isso temos a visão de tudo a partir da gente.

Ai vem um Dudu qualquer (qualquer nada) e me conta uma história de um guru da alto ajuda qualquer e me mostra um desenho e aquilo, aquelas pequenas coisinhas insignificantes para meu ceticismo default a respeito de coisas impalpáveis, se esvai...foge...sai fora...pica a sua mula manca e fica a porcaria da pulga atrás da orelha.

O engraçado é que eu falava de sabotagem...pessoas se sabotando e olha lá quem aparece no "top of mind" da "self-sabotagem": eu linda, maravilhosa e cruelmente...derrotada por mim...
E a minha mais nova vergonha. Me cobro demais e esse ano parece que o Papai do céu resolveu pegar meu caderno de lições de casa e me apontar os erros discretos de concordância e grafia que tenho feito ao longo desses anos no topo da torre.

O que posso dizer de mim. Na verdade hoje queria falar com a Vanessa (psicologa) para botar essas coisas estúpidas para fora.

Começo a entender tudo...exatamente tudo...meu ceticismo exacerbado, meu desamor e imparcialidade, e total falta de competencia em administrar meus relacionamentos.
Dá uma vergonha do caramba saber que eu me saboto a muito mais tempo do que se imagina um ser humano. Realmente chegou mais um novo momento complexo para "engolir".

O luto foi engolido a duras penas...agora esse. Ontem dei uma discutida sozinha com o du e perguntei pra ele porque não confiava em minhas observações a respeito das coisas que me trazia. Ele disse calmo e fofo como sempre (eu furiosa pq sou irritadinha imbecil) me disse que muitas vezes ele recebe aquelas informações e junta às dele e outras vezes acha que não cabe ao momento que ele se refere. Acha que não combina com ele (ai percebemos que sou mais menino que ele nesses assuntos que abordamos), e que sou fria e racional demais nos feedbacks.

Ouvi, guardei, juntei com o universo em transe e percebi tudo claramente. Com exageros caracteristicos da minha pessoa claro...hehe
Mas o que ficou obvio é que a frieza do diagnóstico a respeito das coisas dele é a mesma que diagnostico as minhas coisas...e isso me assustou...muito.

Tem coisas que não consigo palpar pq ainda fogem da minha idéia primaria disso tudo. Outras desculpas já correm na minha mente tipo: orfandade, emancipação extremamente cedo, dores, lutos, etc.

OK, tudo muito relevante mas nada prático. Essa é minha frase de sempre: "Tudo muito bonito mas nada prático". Agora pergunto que porra de praticidade eu quero encontrar num mundo onde as pessoas tem que se relacionar fulltime, elas são diferentes em tudo e o principal que sempre há conflitos em todos os relacionamentos por causa de paradigmas particulares de cada um. Como posso eu ousar querer praticidade.

Praticidade é coisa de loucos, solitários, gênios matemáticos que resolvem cálculos absolutos...praticidade é o resolver exato, é um cheque mate.

Praticidade envolve rapides e definição. Como posso eu querer isso em minha vida se ela é extremamente envolvida por pessoas que não podem ser praticas porque ningém é dono da precisão do amanhã.

Caraca...a primeira ação do meu decreto de calamidade pública pessoal é não soltar feedbacks malditos e calculistas...como ainda não estou bem estruturada em termos de ser "dócil" em teorias e pouco prática estou off em feedbacks.

Mas o engraçado é que já pude observar nitidamente o processo mental q isso envolve...Um amigo meu hoje pela manhã me contou uma história muito triste dele. Mais uma destas malditinhas ironias do destino que colocam as pessoas erradas na nossa reta diária.
Ok, ele me fez uma confissão que doeu até dentro do meu coração de tão sentida que foi (menos mal...ainda corre sangue nas minhas veias). Percebi sua dor e armei a minha revolta contra o sistema (sempre meu lado comuna se ativa nessas situações).

Ai comecei a ver os processos de feedback chegando, o "blaséssismo" se instaurando e ai criou-se o feedback. Então...olhei para ele...o gelado e feio-feio feedback forjado nos meus conhecimentos "praticos" de mundo (acontece que cortei o cordão umbilical a 3 anos ou seja...nunca fui e nem tão rápido serei a pessoa mais indicada a dar feedbacks eficazes) e eu não pude despeja-lo.

Era uma informação totalmente alienada e palpérrima de auxilio humanitário. Então...procurei alguma coisa mais amena e...o que eu disse: Você vai ter que buscar o samurai que tem dentro de vc para aguentar essa. Calma. Isso já passou.

Decretado o estado de sítio...nenhum pensamento prático...e para não dar margens a evasão em massa, nenhum tipo de pensamento sai da cachola que não seja de cunho profissional...ainda sim terão que passar por severas revistas até a deposição dessa terrivel menininha de gelo que ta na caixa preta da minha mente.