quinta-feira, 9 de novembro de 2006

Hum...meio dia e meio e estou pensando onde vou almoçar...essa história de horário de verão é muito chata...vc perde meio a fome...
estava pensando em escrever um livro...mas acho que não seria constante o suficiente para terminá-lo...
ai pensei em ir a um psiquiatra para ver se tomando ritalinas e afins me torno uma pessoa calma, serena e com uma capacidade de terminar um livro...
lembrei que odeio alopaticos e tenho pavor de tarja preta e resolvi ir a uma academia ver tai-chi e encontrar lá um pouco de serenidade...
acho que na verdade preciso arrumar coisas para fazer pois ando pensando bobeiras concatenadas...isso é complicado para uma pessoa que visa a sua própria melhoria...sei lá...
estou mais calma...mas queria, além de ter dentes certinhos e brancos, parar de falar com os braços, sombrancelhas e olhos...entrei numas de querer ser calma, serena e tranquila...

as pessoas são engraçadas, isto digo por experiência própria. Quando eu vivia situações caóticas parecia uma madre Tereza de Calcutá mas agora que tudo está "aparentemente" controlado (daqueles controles imprevistos óbvio) eu viro a Senhorita Estriquinina...sei lá...ainda acho que preciso de férias...

Vai ai um sonetinho:
Se cada dia cai
Se cada dia cai, dentro de cada noite,
há um poço
onde a claridade está presa.
há que sentar-se na beira
do poço da sombra
e pescar luz caída
com paciência.
Pablo Neruda (Últimos Sonetos)

Postagens relacionadas

4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Por favor inscreva-se para receber as ultimas postagens no e-mail.