terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

Hoje realmente é um dia de comemoração: Depois de 7 anos...sim, eu disse 7 ...eu consegui dormir relaxada!

Sabe aquele sono bom...q vc acorda com o corpo pesado...fica até com torcicolo de dormir em posição esdrúxula e sente que não ficou prensando seus maxiliares? Nem acreditei! Acordei super cor de rosa hoje e me vesti como tal.


Sem contar que consegui dormir até as 5 da manhã e não somente até as 3 como de costume! Sou uma pessoa realizada em plena terça feira, penultimo dia do mês


E viva las mega babies!


domingo, 25 de fevereiro de 2007

Hum...tudo bem...além de estar ficando sem cabelos eu estou indiscretamente ficando sem vontade de uma série de coisas...minha arte marcial já era, meu japones tb, tô lutando contra minha vontade para não abandonar a natação, estou imensamente sem vontade de fazer freelas e acho que seria super legal ficar deitada na cama dormindo...devo contar isso para o psi....

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007

São quase 10 da noite e já estou indo dormir...é incrível como estou serena...hoje, por conta de uns big problemas ocorridos lá no trampo me stressei...mas nada comparado à Iris antes da fluoxetina...acho q o fato de eu estar in love deve ajudar tb...

estava pensando nessa coisa de escolhas de parceiros...a gente conhece tanta gente...tanta gente mais bonita, mais inteligente, mais rica, mais descolada, mais diferente, mais simpática e quando nos damos conta todos esses "mais" não tem o menor sentido...exatamente quando achamos um que sobrepõe todos os "mais e menos"...é interessante isso...vou la...bjo

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007

Então...descobri que minha gata Pepa é uma British short hair de R$1.500,00. E estava jogada na redenção quando bebezinha e eu ganhei ela dos protetores voluntários.

Resolvi repensar minha relação com ela e com a Boolie e vou trocar de ração. Hoje conversei com um diretor de uma dessas fabricas de tecnologia q não sei qual é (acho que ATI) e ele tem um British short hair também e ele dá uma ração para os bebes dele que não deixa cair pelo...

Ontem dei remedinhos para as belas e hoje conversei seriamente com elas e disse que não poderemos dar mais ração para nossas formigas...agora a ração será exclusivamente para alimentar gatos.

Acho que foi produtiva nossa conversa. Boolie está um pouco enciumada e Pepa está mais feliz. Não. Não vou tirar a Boolie e ficar sendo fofa e xuxu só com a Pepa...mesmo porque a Boolie tem a minha mala personalidade e a Pepa é a coisa zen da casa.

No mais está tudo bem. A vida não é um moranguinho e meu psiquiatra agora acha que sou moda e me diz que posso ser bipolar...sinceramente ele está fora da casinha dele...e hoje eu dei uma consultoria para ele...tá vendo...uma pessoa que não tem um msn, num tem um orkut e não sabe que a internet pode ser interativa...ele sim que é lelé...se pá esquizofrênico vivendo num mundo a parte...mas quando sai do consultorio ele me prometeu que não mais será um analfabeto virtual. Confio no meu poder de cura. Dei um site para ele e receitei um blog...acho que vai ser bom...vamos começar o tratamento dele de forma leve...depois vou lhe aplicar orkuts, flirks e por último youtube...

Creio que a cura dele é certa...quem sabe mês que vem ele já tirou essa idéia doida da cabeça sobre bipolaridade.

Vou la falar com o xuxu

Bjooo

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2007

Hum...acho q a idade está me fazendo mal...hoje sonhei com o povo lá na balada do niver...tinha gentes estranhas...a começar pelo dani...meu colego da faculdade...foi engraçado ele ir na minha festa de aniversário do sonho...a gente quase chorou e se abraçou horrores e hoje eu fiquei meditando porquê...
então, enquanto eu vinha para o trabalho fiquei meditando a respeito deste sonho e imaginando como seriam nossas conversas...
primeiro me imaginei na faculdade...eu era uma goiaba...hoje ainda tenho muito de goiaba mas sou mais posicionada...depois fiquei pensando: acho q era legal ser daquele jeito...mas eu num era uma mala-sem-alça...eu era legal...
não que eu seja uma mala-sem-alça...tipo...sou...tá bom...mas sociável...hehe...mas sei lá...acho q para aquela época tõ meio "irreconhecível" em personalidade...num sei se o dani iria gostar...ai fiquei lembrando que rolava um clima...imaginei se tivessemos continuado o convivio se teríamos namorado...hoje...exatamente hoje eu acho isso impossível...naquela época até podia ser...eu era boazinha...
esses tempos ele queria me ligar mas acabamos nos desencontrando...acho q ainda sobraram algumas coisas dentro de nós daquela época...sei lá...
...mas quando eu imaginei encontrando ele me choquei com as conversar imaginárias que ele encontraria...nos primeiros momentos seriam super efusivas e felizes...dessas conversas de reencontros felizes mesmo...num segundo momento me percebi confessando tristesa, cansaço, falando de religião e futuros...me vi completamente perdida dentro de inúmeras idéias e sem a menor intenção de sair dessa confusão...
...abria meu coração para ele como se fosse a ultima pessoa com empatia do mundo...
achei esquisito pra caramba...e fiquei pensando nisso tudo...nas coisas novas que to "lendo em mim"...aicredo...essas descobertas todas e essa crise cerebral e esses lutos...fico feliz de olhar tudo isso com olhos de realidade mas assusta...
vou falar com o dudu q tá piscando no msn...bjo

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2007

fui para a casa da minha irmã este fim de semana. Ela esta em crises com o marido dela. Nada extremo não fosse o seu temperamento. Acho que descobriu como os homens funcionam e não tá curtindo o que está vendo. Fico chateada com isto mas cada um segue seu rumo. Acho que eu num tenho algumas ilusões a respeito do universo masculino...deve ser porque trabalho muito diretamente com eles desde muito tempo. São uns sapinhos mesmo. Nada românticos e principescos.

Minha irmã é uma ótima cronista e com certeza muita gente ainda vai ouvir falar dela. Não que seja minha irmã, pois sei definir o bom e o ruim sem bairrismos (sou chata demais para puxar saco). Mas voltando ao assunto, ela me falou de uma crônica que escreveu a respeito de sapatos. Ela me contou que até pouco tempo usava sapatos um numero menor que o seu. Minha mãe morreu quando ela era pequena e usava esse numero e desde então nunca mais mudou.

Quase 18 anos usando um numero menor que o pé dela porque num tinha ninguem para lhe dizer que era outro, que havia crescido e consequentemente, o pé também.
Fiquei muito pensativa e reflexiva quando ela disse isso. A gente meio que parou no tempo desde a morte dos nossos pais. E cada uma de nós tem uma versão do fato refletido em nossas vidas até hoje. É engraçado como a gente está vivendo alguns momentos semelhantes de "acordar".

Me doeu ouvir ela falando dos sapatos como a dor que sinto cada vez que vasculho minha mente em busca de informações que dizem unica e exclusivamente a minha familia, meus descendentes...as vezes me perco na busca do passado para entender meu presente e percebo tantas lacunas que nunca irão ser preenchidas como minhas raizes, origens e ancestralidades.

Alguma coisa muito parecida como se tivessemos mudado de vida sem ter vestígios de passado.
Tenho certeza que minha irmã ficou feliz por ter mudado o numero do sapato da mesma fora que fiquei feliz quando descobri que sou chata, cricri e irritadinha. É se conhecer a fundo...buscar ligações cognitivas nas nossas primeiras histórias para reconstruir as próximas.

Isso me deixa tranquila de certa forma. A única coisa que quero muito é saber das histórias dela para não acontecer a mesma coisa conosco caso ela parta e deixe o meu sobrinho orfão. Quero montar para ele as origens dele a partir das vivências dela para que nunca se perca e se confunda com outras pessoas. Não sei direito como dizer isso a ela.
Talvez nem diga.
Talvez somente escute e aprenda as suas histórias.

não vou corrigir o texto.