segunda-feira, 31 de maio de 2004

A vida é bela!
Propostinha rules de novo trampo!
Dia lindo!!!
Lindo lindo!
Ouvindo Beck...que tb é lindo!
Hum...meu findi foi fofo!
Fui no apartamento de uma amiga engenheira de mecatronica jantar sopa com minha amiga ggeologa que provavelmente iremos dividir um ap ainda essa semana, vimos uns bafões no predio, fui na redenção no dia do Geologo com minha amiga geologa ver a exposição de geologia e ela encontrou o pagapau dela geologo de dois anos atras e a gente ficou correndo dele e acabamos não vendo a exposição arre!!! esse fim de semana foi geologicamente falando...que coisa...a tempos atras nem sabia direito a definição da palavra e agora...convivo até que bem com a categoria...até meu fofinho fofo fofo é, coincidentemente, geologo!
No mais tudo foi bem legal...hum...sexta feira tive um momento fashion descontrol que não tenho a quase 4 anos! que momento lindo! ainda não acabou, se estendeu ao sabado e domingo finalizou...temporariamente...mulheres necessitam desse tipo de momentos!
Boa semana povos e povas...hum...hoje não vou dar aula...não enchergaria...vou no tio medico de zoio ver qualé a das lentes...ja to preparada psicologicamente para usar oculos...como estou num momento vermelho da minha vida, é possivel que o dito cujo seja vermelhinho e não aquele que eu tenho em casa (entende-se armação)...sei lá...veremos!

quinta-feira, 27 de maio de 2004

Tava almoçando e trovando com o alfinho...me bateu uma ansiedade tão grande pela chegada de uma pessoa muuuito querida...agora to vendo o Spanha me encher o saco com suas mentiras bahianas...a pior coisa que existe é um espanhol abahianado...hoje li muito em ingles e vi que nem tô tão ruim no idioma assim...tava pesquisando uns lances para o meu setor e tudo fluiu...hum...tomara que ele chegue logo...que fofo! O geologo retorna!
Ai...cansei de ingles...fiquei a manha inteira lendoe ouvindo ingles em busca de coisas ineditas de SEO (coisa da minha area)...achei tanta coisa...e até que meu ingles não tá tão podrido como achava que estaria...bem...tava almoçando e trovando fiado com o alfinho e me deu uma intensa ansiedade...uma vontade louca de ver alguém que tava longe e tá voltando...putz...que engraçado.
Entao...ontem tava mó frio, alias...POA tá ótima, um friozinho incrível e eu, fico extremamente elétrica em tempos de baixas temperaturas...ontem, depois da palestra que assisti fui lavar roupa...hahaha...me empolguei e lavei todas as minhas blusinhas de lã e malhas de inverno...agora não tenho mais roupas de frio!
Mentira...tenho ainda meu casacão véio de guerra, um dos meus primeiros acessórios desde que resolvi, a muito tempo atrás, passear e conhecer novos mundos.
No mais nada de novo, recebi um convite engraçado de um amigo não tão amigo para voltar, de uma forma descompromissada, a fazer matérias...ainda tô achando engraçado...mas é muito interessante a idéia porque, além de fotografar sensivelmente bem acredito que poderemos fazer um bom trabalho...ou nos degolarmos simultaneamente, visto que, nosso pré-relacionamento beira alguma coisa como jardim da infancia I...adoro ele...mas certo que se fosse em sampa seria bem mais fácil...lá eu conheço muito mais coisas, pessoas, fontes e possiveis furos...hahaha...que viagem.
Arrumei meu Orkut...ele tava tão apodrecido, esquecido...alias, vc que está lendo essas maltraçadas linhas e tem orkut, visite a comunidade mais fofa e agregue-se a ela: hello kitty! eu fundei e estamos com 104 membros (a maioria mulheres...tá vendo amigos que dizem que só conheço homens...aproveitem e falem com hellokitty girls).
Vai lá, faça parte da comunidade foférrima e responda nossos foruns...ela tá bombando...tb com um tema desses: Hello Kitty. Quem não gosta?!
Hum...voltando ao jornalismo...vou precisar estudar mais geopolítica, política local e história dessa terra pra ter idéia para materias bacanas...nada de fofoquinhas...odeio jornalismo chinfrin...e nada muito cheio de altruísmos políticos também...acho que nao cmbina com nosso PIB...
...outro dia tava vendo um amigo meu que estuda história, alias, histária, geografia, e todas essas matérias que utilizam o intelecto e são ministradas dentro dos salões caquéticos da UFRGS são extremos em idealismos...acho fofo...mas pouco pratico.
Esse amigo meu citou uma frase de Lenin para acabar com um determinado "converseiro" que se dava a respeito da ordem social do país...aí eu fico quieta, sou meio esquerda demais as vezes...mas sabe...eu penso...que que Lenin tem a ver com minha terra tupiniquim?
Ele foi ótimo lá na Russia antiga, mudou conceitos e estabeleceu alguma cosia semelhante a uma "nova ordem"...mas nós somos um pais novo, pobre, com um presidente sem instrução e com nome de molusco na sua identidade...nesse caso, só se chapando e falando de "lenins" e se imaginando em Leningrado...sei lá...muito lindo mas pouco prático...somos alguma coisa que beira o suburbio do mundo. Indefinidos saca?!
Isso pode ser otimo se alguém com um mínimo de cérebro souber utilizar essa indefinição...pensei até que o nosso presidente tava com umas idéias bacanas com essas aberturas com os países em ascenção...russia tá no meio, coincidentemente...mas sei lá...fico imaginando o tipo de aliança que pode sair com a descoordenação dos nossos representantes...mas começo a entender que, se isso der certo, a america pode começar a sentir dores fortes em sua cabeça com a terrinha do samba...mas...quem sou eu pra falar dessas coisas...adoro política internacional mas odeio a nacional...hehehe...e não entendo nehuma das duas...mas como toda boa e autêntica mulher, palpito em todas!!!
...aiai...mundando de assunto...to inspiradíssima pra trabalhar hoje...o frio...só faltou Sampa...que saudades que me deu do meu primo levando a gente de moto as seis e meia da manhã pra escola...hahaha...ele fazia baldiação!!! levava uma de cada vez! Mínimo de 20 minutos por viagem!!! Eramos tres!!! tadinho...como ele deve ter sofrido conosco...mas hoje ele tá felizinho!
Falô pessoas. Como perceberam...to tagarela...fui

quarta-feira, 26 de maio de 2004

Minha
terrinha...foto que meu ex (quase) vizinho lindo e solteiro e que irá namorar a
Paula tirou.


Tava almoçando no meu recanto mágico. Recanto mágico de uma íris subentende-se um lugar silencioso, solitário e com muito verde. E hoje, ele estava mais bonito do que nunca pois venta muito em POA e as folhinhas deram um belíssimo espetáculo de balet para meus olhos cansados dos focos através dos monitores de uma maquina condensadora de informações.
Deu uma imensa vontade de correr, correr de corrida mesmo, Cooper...ai eu pensei, pensei...desde que sai da faculdade não corri mais...lá eu corria na desértica vicinal...mas o lugar mais legal que eu já corri foi na Represa Nova em Rio Preto/SP...lá era tudo de bom...o saco é que vc encontrava todo mundo (cidade pequena é uó) mas nada que um walk man não resolvesse...A Orla de Salvador,na altura da praia dos namorados (não lembro ao certo, mas o começo naquela pracinha lá) até o SHopping aeroclube...hum...também era bacana...mas pra caminhar e meditar...mas eu queria correr! Correr ou andar 3 horas de bike...preciso arrumar um jeito de resolver esse meu problema...sei lá...de repente compro uma bike...mas ando aonde? Não gosto muito da Redenção.
Desculpem cidadãos nativos mas não tenho culpa de não ser daqui e não ter os mesmos sentimentos regionalistas que vocês mas acho a Redenção um ipirapuerazinho e pra mim o ibirapuera é pra tudo, menos pra correr ou andar de bike e muito menos pra meditar...mas é excelente para testar os conhecimentos a respeito de cães e raças...putz...pra isso é bem legal tanto a redenção qto o Ibirapuera...hum...vou me inteirar do mundo...falô pessoas...vou tentar achar uma maneira de liberar essas energias...hehehe
Tô meio stress...vontade de jogar as coisas para o ar...acho que preciso de férias...

terça-feira, 25 de maio de 2004

Minha proxima tattoo:

(semana que vem)


Ontem nem deu pra escrever realmente o que eu queria.
Finalmente, depois de muito relutar, uma luta de quase uns 10 anos eu li o livro de uma amiga minha.
Infelizmente ela morreu, mas foi certa de que contribuiu com sua parcela de experiências nesse mundo podre e fétido.
Eu sempre temi lê-lo pois não conhecia sua historia em sua totalidade, não conhecia sua dificuldade em lidar com o choque das horas contadas e muito menos tinha idéia de que viver pode significar muito, ainda que nunca calculemos o valor exato desse, nada milagroso, fato.
Comecei a ler na sexta feira e isso me fez derramar muitas, incontroladas e desritmadas lagrimas.
Há muito não me sentia tão tocada, essa garota é da minha terra, viveu nos mesmos ambientes que eu, cresceu cercada de pessoas que invariavelmente me cercaram também e tinha o mesmo petulante humor que uns paulistinhas tem, e eu tenho também.
Nossa diferença é a maneira com que lidamos com o mundo. Ela era forte. Delicadíssima mas forte e eu sequer sabia dessa coisa toda. Quando lidamos com preconceito é tudo muito chocante e a reclusão é uma tendência natural do ser humano.
Quando olhei os primeiros capítulos e, dada a forte carga emocional que isso em remeteu, resolvi não ler mais. Fiquei com medo de mim, medo do medo, encontrei os preconceitos que ela falava embora, não tenhamos os mesmos infernos, acredito que o caminho seja o mesmo para todos eles.
É incrível como as coisas acontecem com os menos preparados, como os simples de coração...e como esses simples se mostram grandes e fortes e continuam delicados e doces.
Não podia continuar lendo a destruição e uma amiga de colégio.
Pensei em NY, San Diego...pensei na fuga rara que todo mal incita a mente. Acabei, por mágica calculada do destino conversando com pessoas que me remeteram a essa atmosfera menos provinciana e mais aberta a variedade de situações que as pessoas passam.
Vi-me com medo de ter preconceito. Lembrei dos meus estágios em saúde, das pessoas sem fim que encontrava no caminho com as mais variadas doenças. Algumas externamente visíveis outras fincadas dentro da alma daqueles que sorriam levemente.
Naquele momento, entre novidades tecnológicas e medicinais em paises nem tão distantes, me senti na atmosfera da literatura, tomei coragem e só Alah (clemente e misericordioso) sabe o quanto foi cruel à tentativa de ler e não chorar que me dispus a realizar.
Nem tinha cabeça pra sair, li...chorei e ri, quando a doçura daquela garota se assemelhou a tantas outras garotas, que se enchem de coragem e enfrentam tantas coisas, tantas dores, doenças, traumas...vi como ser mulher é alguma coisa como um cristalzinho frágil pela própria imposição social.
Na realidade é mesmo. É ser cristal. Não falo de mim que sou massa oca, mas dessas grandes mulheres que conheci ainda meninas.
Deu vontade de estar ao lado da minha irmã, da minha avó, por que não da minha mãe.
Seres tão dignos e tão simples...e fora as inúmeras mulheres que já vi tecerem historias lindas de vencer.
Ela viveu bastante, embora seu prazo se extinguisse a cada momento. Teve medo, ignorou o fato, foi ao seu inferno longe de todos os que a amavam (e a família dela foi extremamente zelosa) e lá se encontrou e entendeu e definiu na sua cabeça a palavra preconceito...que na verdade não tem definições. Mas pra ela não existiu. Embora o mundo conspirasse a favor de um isolamento moral e físico...com ela não. E isso é emocionante.
Deram-me forças, para alguma coisa que não sei o que é mas naquele momento, parecia que ela escrevia aquilo porque sabia que um dia precisaria lê-la, entendê-la e chorar definitivamente sua morte.
Toda tristeza faz crescer. Toda dor te abre à mente. Todo sonho vale a pena...ainda que por instantes.

segunda-feira, 24 de maio de 2004

Eu e essa mania de Pollyana que tenho ainda vai me fazer virar um avestrus e passar o resto dos meus dias sem abrir a boca com a cabeça fincada debaixo da terra...Por que nao fico quieta e falo só o essencial? Por que não tiro pra amigas as pessoas que conheço somente a mais de 2 anos???
Por que participo as pessoas da minha vida por achar que são queridas quando elas nem são?
Vai mais dona Iris, vai mais...continua agindo como se fosse o proprio personagem de Saint Exupery pra ver o que vai acontencer...
É uma desorientada mesmo essa Iris...Que Deus e os deuses a protejam dela mesmo e se não existirem que alguem os invente pois mortal algum consegue acompanha essa necessidade absurda de ser retardadamente franca...
Beira a burrice isso...justo eu...que me prezo pela inteligencia...que anta...meudeus...que anta...bom...dos males o menor...dando tudo errado nessa vida, a gente ainda pode morrer né?
Ou fugir do pais e trocar os amigos e pseudo-amigos.
Aimeudeus...porque eu nao fecho minha boca? Por que???? Por que eu nao entendo que nao sou uma garotinha? Por que? quero meus sais!!! na verdade...sorvete de morango ja resolvia...hehehe...com banana e raspinhas de chocolate. Cresce e acorda Iris...hum...mas pra que se viver em outra orbita me deixa com menos cabelos brancos? Mas isso pode ser perigoso...é, bem verdade...vou mudar, um pouco.
Pois é pessoas...Minha nova medica quase me convenceu a voltar pra sampa e dar rumo a minha carreira por lá. Metemos a boca em POA (e olha que ela é cidadã portoalegrense...que desertora), rio de janeiro e salvador...e falamos muito bem de nova iorque e de sampa e suas possibilidades...percebo nela uma grande cosmopolita...tem futuro essa medica...hehehe.
No mais, conversei com a minha amiguita paulitcha e achei o maximo a ideia dela de amar platonicamente. Assim, os caras nao nos irritam e a gente pode sair para a balada tranquilamente que, se bem escolhido o objeto de amor, nunca encontraremos o tal.
No mais estou pensando em nova iorque, italia e sampa...muito e com muito carinho para 2005

quinta-feira, 20 de maio de 2004

Puxa...existe coisa mais fofa que ter a mão esquentadinha pela maozona do naminho?
que fofinho...coisas simples mas tão ternas e intensas...
Pois é pessoas...temo que tenha me viciado em cereais...cada dia que passa acordo insandecida e sedenta por cereais...minhas granolinhas feitas por mim cheias de graozinhos não tão bons mas super nutritivos...me lembra o internato, a facu...aquele refeitorio onde eu enchia de granola e biscoitos de coco e muito iogurte minha bandeja e ia feliz e contente...hehehe...ontem duas coisas me deixaram saudosas daquela época não tao distante:
Primeiro porque recebi ligação do alfinho...que saudades de ti amigo. Havia esquecido como sua voz é bonita.
E, num segundo momento, falei com um amigo meio que mais social do que mano mesmo que nem o alfinho que dividiamos tudo pois eramos vizinhos de ap. Ele tem um amigo e a gente sem querer comentou dele que tem um puta sobrenome lá na minha ex sociedade e minha irmã estudava com ele e provavelmente eram chegados.
Me lembrei como era engraçado o contraste. A frivolidade preconceituosa que graduava pessoas pelo seu sobrenome e pelo papel que representavam no grupo e a simpática e efervecente troca de carinho e auxilio àqueles desprovidos de nome e posição local que habitava os arredores dali.
Eu participei dos dois mundos consecutivamente. Penso que tão pouco absorvi da futilidade e tanto me ajudou o desapego dos mais "normais". Senti saudades por vários minutos de todos que vagaram na minha vida a tempos atrás.
O mais surpreendente é que, a saudade foi muito maior dos amigos que frequentavam meu ap do que da minha familia bonita, impecavél...Pois é...cada vez que começo a achar que perdi, logo acontece algo incrível que me mostra que só ganhei, embora ninguem entenda muito. Mas...e daí? Quem liga pra essas pessoas que nao entendem mesmo...Pam...demoro mas traduzi sua musica...linda cara...linda. Pelo que te conheço fez de proposito pois sabia que iria me tocar...hehehe

quarta-feira, 19 de maio de 2004

Sinto dores dentro de mim...enfrento um momento muito dificil de encontro profissional...entre a iris louca e a profissional competente e analista que existe dentro dela...agora mesmo tô tendo uma pequena palestrinha a respeito de design e planejamento.
Me assusta observar esse novo cenário, o que quero fazer é algo que vai me tolir a criação incessante que existe aqui dentro.
Isso é sofrido...percebo me tão pouco design e tanto planejamento...mas ao mesmo tempo...tão criativa.
Nunca pensei que fosse entrar numa nebulosa profissional dessas. E eu preciso decidir pois as propostas estão chegando e agora é o momento de me acertar no segmento do design que eu quero...e pensar que, em 2000, quando comecei a me interessar por design nem imaginava que seria tão cheio de vias e segmentações...putz...to quase lapidada...quase pra trabalhar lá...onde eu quero...um dos meus "quereres".
Mas é sofrida essa coisa de modificar conceitos profissionais e adequar, perder e ganhar novos horizontes e focos...caracas...que dilema! A vontade que dá é pegar meu dindin, comprar uma grande tela e vairos pinceis e tintas e sair por ai pintando...e deixar o design pra outra encarnação...

terça-feira, 18 de maio de 2004

Noa liguem...isso é vomito que precede a cura.
Me sinto meio livre das minhas proprias ações e condicionamentos...alguma coisa como tranquilidade morbida de uns castelos que ruiram pela idade, e hoje não fazem falta.
Não temo, continuo seguindo mas sem grandes construções. Alguma coisa como viver ciganamente dentro dos meus próprios conceitos e historias.
Isso não causa felicidade e sim conforto, segurança de nada planejar além daquilo que se pode ver, do atual. Não temo mais perdas, desilusões, tristezas. Isso tudo parece vago e indeciso dentro dos meus conceitos de entendimento universal.
E de tão vago, ja não os alçando devido as altas cargas filosoficas que despejam em cada sonho.
Não sei mais filosofias, nao estudo mais minha alma como antes e aceito, de bom grado, as novas experiências como que anestesiada pela tranquilidade de estar inatingível.
Superior, não, ainda mais do que nunca pequena e discreta.
Enquanto o mundo busca respostas, eu quero viver e perguntar somente; Enquanto brigamos por mostrar nossos pontos como os mais exatos, eu quero sorrir para uma paisagem qualquer; Enquanto os dias passam, eu quero ficar aqui...e absorver ainda oque me falta. De repente o ar. de repente a vida.

segunda-feira, 17 de maio de 2004



"..i'm so tired of my life. I need to fly...alone, in my dreams, see you, smiling and say me it finished your fear. I 'm here...whit you"


my immortal

i'm so tired of being here / suppressed by all of my childish fears
and if you have to leave / i wish that you would just leave
because your presence still lingers here / and it won't leave me alone
these wounds won't seem to heal / this pain is just too real
there's just too much that time cannot erase
when you cried i'd wipe away all of your tears / when you'd scream i'd fight away all of your fears

and i've held your hand through all of these years / but you still have all of me
you used to captivate me / by your resonating light
but now i'm bound by the life you left behind / your face it haunts my once pleasant dreams
your voice it chased away all the sanity in me
these wounds won't seem to heal / this pain is just too real
there's just too much that time cannot erase
when you cried i'd wipe away all of your tears / when you'd scream i'd fight away all of your fears

and i've held your hand through all of these years / but you still have all of me
i've tried so hard to tell myself that you're gone / and though you're still with me
i've been alone all along
HUm...tirando a raiva de nao ser nenhum pouco parecida com a Andy Macdowel, meu final de semana foi bacana.
Sexta fui nas catacumbas com Paulitcha minha super dillar's amiga e a gente ficou meio, digamos que, alteradas...depois fomos picar cartao na Lima e Silva e achamos a Vanessa e combinamos uma balada, que nada foi pois sabado e domingo iris passou seu tempo lendo um livro de literatura francesa do seculo XVIII.
Muito bacaninha. Li, tomei sopa, corrigi redação e dormi e fui acordada por amigos e uma determinada hora fui acordada de um sonho...pelo meu sonho ao telefone...hahaha...foi total do além.
Bem, desencanei das neuras, coração tranquilo, mente quieta e muitos planos e novidades.
Bem...vou trabalhar afinal, sou uma escrava...por pouco tempo...hehehe...bom dia pessoas!

sexta-feira, 14 de maio de 2004


Qual é o principio do
verbo?
A palavra dita, uma frase espalhada no ar em notas geradas de um diagragmatico
orgão interior?
A coisa calma e leve, esperada e sentida, amada e desejada em poucos segundos
de espera.
O principio do verbo é comunicar. A palavra escrita pode ter muito peso,
amor e sentimento, ainda que os olhos não vejam.
O coração sente e agradece por não ser vazio.
Dias passam e cada vez me convenço mais desse pode transcendental que é
amar. Como é facil e distinto. E surge de um conjunto de letras, até
terminar num beijo doce, apos longas esperas.
Desejo? Desejo tudo e nada. Agora quero dar forma a gentis palavras, doces sonhos
e promessas simples. Qual o principio do verbo? Qula verbo? O dos sonhos de todos.
Amar. Seu principio: Palavra.

Hoje/Limp Bisket

quinta-feira, 13 de maio de 2004

Ontem chegou meu plano de saude...achei otimo...vou começar novamente a maratona de médicos que identifique meu problema no estomago...
O mais engraçado disso tudo é qu junto veio um seguro funeral...
Gente! pensa que luxo!
Com direito a crematorio e tudo!
Uó...
Achei morbidamente confortante...
Posso, definitivamente, morrer em paz...
Só nao tem direito a jazigo mas tem translado de fora do pais!! Que luxo...posso morrer tranquilamente na Italia, saboreando um vinho e uma massa que meu corpitcho volta inerte pra minha terrinha tupiniquim e ai me colocam num lugar qualquer, no caso...num vidrinho de Giovanna Baby pois quero ser cremada...
Quem diria...
O que é a maravilha dos planos de saude em convênio com seguradoras...
Ainda não dou trabalho pra ninguem da galera de casa...
Isso que eu chamo de postuma independencia...
Tô me sentindo...ainda bem...hehehe...Mas, morbidez a parte, finalmente achei um som minha cara e cara e to ouvindo, cara do dia...sons da floresta...não...não é "welcome to the jungle" do guns...é algo mais indiano "Baka Forest People Of Southeast Cameron"...muito bom...to me sentindo no meio do mato...um mato oriental claro pq se é pra se sentir no mato que seja um mato desconhecido...alias...esse que to sentindo é quase desertico devido as condições climaticas locais...
Bem...pit stop encerrado e eu volto ao meu trampo com o Baka e os esporros do dia...aiai...welcome...welcome to the jungle...

quarta-feira, 12 de maio de 2004

Hum...chuvinha boa...mas meu dia começou com insultos de um cliente burro...Gente...pior coisa que tem é falar com um cliente gay e revoltado...Eles ficam muito stressados. Nada contra a classe, tenho mó respeito pela galera e até meu melhor amigo o é mas...vamos respeitar...vcs quando ficam stressados nao tem quem guente!!!

Na boa...quero uma casa só pra mim...onde eu possa chorar alto!
Arre...vamos correr com o trampo

terça-feira, 11 de maio de 2004

Quatro da tarde...meu cerebro tá em off...hoje é radio head (Fake
Plastic Trees in looping)...to em paz, me sentindo bem querida...meu porti tá
basicamente terminado e as coisas sao assim mesmo.

Fica entao, a imagem. O raio X do meu interior...




SHE LOOKS LIKE THE REAL
THINGSHE TASTES LIKE THE REAL
THINGMY FAKE PLASTIC LOVE
BUT I CAN'T HELP THE FEELING


Gente! a nova interface do blogger tá uma fofura!
Começa pela corzinha, bem lindinha e muito mais intuitiva. |Adorei até o selinho que tá no fim desse blog...tá muito mais fashion.
Hum...outra coisa que o depilador instantaneo faz: Mancha o chão do banheiro de forma irreparavel...eis a modernidade.
Ontem tava total voodu e isso refletiu na minha aula. Que triste, não tava muito animadissima como de costume e por isso não dei a aula que queria ter dado. Com a mesma intensidade...dei até uns foras basicos...mas a acabou. Nisso tudo, chegando em casa esgotadissima, com uma pá de redações pra corrigir, lembro que tenho que entregar outro texto pra Zupi (putz...putz...putz).
Ainda assim, botei minha camisola de peixinhos laranja e dormi, tava muito podre de cansada ( o voodulismo e os bodes amarrados tem esse efeito de deixar cansado portanto queridos, nao amarrem bodes...desencanem), abracei o pocotó (meu travesseiro naninha da Eliana...quem nunca foi ou teve surtos de criança que atire a primeira pedra) e dormi horrores.
Muito legal...Vou até comprar um travesseiro e voltar a dormir abraçando o Pocoto tão fofinho...tentei dormir com a Docinho (PPG) mas não rolou...ela não é nada anatomica.
No mais, a sensação de vacuo mental é grande e a medida que troco ideias com o Hu mais perdida eu fico.
Meus processos de aceitação de situação bem como minhas organizações psicologicas são muito lerdos...mas definitivos...mas, por enquanto ainda estão assentando na minha mente.
Parece obra publica esse assentamento...burocratico, corrompido, moroso...uó. Definitivamente uó

segunda-feira, 10 de maio de 2004

Final de Semana divertido. Comecei surtando cosmeticamente e comprei vários esmaltes coloridos que certamente de todos, usarei apenas um e, contrariando minha mente a frente e cheia de opiniões a respeito de cosméticos mirabolantes comprei um depilador instantâneo que me prometeu rapidez e agilidade. Cansei de pagar horrores nas depiladoras e sair toda vermelha e então comprei o produtinho e fui feliz e contente testá-lo.
Há...que ó.
Fiquei muito mais tempo dentro do banheiro tirando aquela “horrorisidade” mal cheirosa, que me irritou a pele e os nervos (hehehe...).
Resultado: Até meu braço eu aproveitei e passei o treco mas certamente mês que vem a tia da depilação vai me ver novamente e ficar feliz.
Em termos de balada foi até ali legal, mas cada dia que passa percebo que estou ficando mais confusa com relação a sentimentos.
Tava conversando com o Hu ontem antes de ir pra Redenção encontrar possíveis FF, e chegamos a conclusão que eu estou bem confusa com tanta coisa acontecendo aqui dentro, ando bem apática no quesito dar uma chance a alguém de invadir meu mundinho fechado. Sei lá...na verdade todos os caras tem me irritado profundamente. Na balada nem ouso querer encontrar um carinha bacana pois onde eu tenho ido, e violentado meus gostos mais refinados culturalmente falando, não se tem o menor aproveitamento técnico com raríssimas exceções.
Sei lá...cheguei a conclusão de que devo procurar ajuda profissional na falta do Dani. Preciso ouvir alguém falando coisas úteis e relevantes pra mim a respeito de subjetividades e sobre as coisas de dentro...e depois terminar tocando blues e cantando sambas antigos e Chico Buarque.
Mas sei lá, vou viver afinal, nem deve ser tão complicado assim.
Essa noite eu tive insônia, meu olho tá novamente tentando cair e eu fiz algo que a muito não fazia: Orei.
Confesso que a sensação foi de total alivio embora isso tenha se tornado uma realidade primitivamente passada.
Mas foi, dentro de sua ingênua promessa, redentor o momento da prece.
Sei que tenho o corpo fechado, mas senti necessidade de tocar o cadeado e verificar se estava realmente travado. Tava e tá, e isso me alivia sobremaneira.

sexta-feira, 7 de maio de 2004

Guitar solo 2:
|--------------------------------------20---------------20---------19b-|
|-----------------------18~~~~~~-20b------r20-----(20)b----18-17~------|
|-7-9-10-12-14-16-17-19------------------------------------------------|
|----------------------------------------------------------------------|
|----------------------------------------------------------------------|
|----------------------------------------------------------------------|
Otimizando o blog para Porto alegre:
Com licensa leitores...tô jogando baixo;
blog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegreblog porto alegre...bom findi pessoas!
Hoje eu olho um céu sem estrelas.
Cheio de nuvens e com uma chuva fina e constante caindo, lavando pegadas, molhando o seco e frio horizonte.
Já é dia embora a paisagem seja tão noturna, quieta.
Pessoas furtivamente passando pela minha frente, cheias de gotas dessa água que vem do céu e, de uma estranha forma lavam meus pensamentos, delitos, sonhos...e me faz limpa.
Mas essa assepsia toda me desgasta, corrói e me deixa vazia.
É como se toda minha constituição fosse feita de sujeira e pó. Não sobrando nada mais digno, novo e limpo dentro de mim.Um dia foi, hoje não mais.
A graça disso tudo é que ninguém vê, nada percebem.
E assim, sigo meus dias me arrastando nesse oco e imenso lugar onde insisto em viver: Aqui, dentro de mim, nessa transição infinda de toda sorte de sonhos rotos e inalcançáveis.
Cá dentro, onde se confunde o vazio da limpeza dos ideais e o emaranhado e abarrotado mundo de sujeiras fictícias, que me fazem infinitamente melhor, mas que nunca me levarão a lugar nenhum.

quarta-feira, 5 de maio de 2004



Vai minha tristeza e diz a ela que sem ele
Não pode ser, diz-lhe numa prece
Que ela regresse, porque eu não posso
Mais sofrer. Chega de saudade a realidade
É que sem ela não há paz, não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim, não sai de mim, não sai
Mas se ela voltar, se ela voltar,

Que coisa linda, que coisa louca
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos que eu darei
Na sua boca, dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser, milhões de abraços

Apertado assim, colado assim, calado assim
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim
Que é pra acabar com este negócio
de você
Viver sem mim. Não quero mais este negócio

Saudades do meu geologo predileto e coincidentemente
unico da minha vida...

Não saberia como definir meu cenário interior desse dia chuvoso e quase friozinho. Pear Jam...poderia ser Jewel mas eu esqueci de trazer o cd.
Sei lá...ontem no meu curso eu saio como se tivesse aberto uma janela escondida da minha alma onde coisas foram reveladas e me deixaram mais tranqüila. Besta mas esse é o sentido de hoje. Sei lá...Não tô triste, muito ao contrario, to na boa, não que a vida esteja super legal mas tá tudo sobre controle...sei lá...Lembrei-me de quando eu era pequena e como comecei a ouvir musica. Foi assim, dos 10 aos 14 mais ou menos eu estudava francês e inglês e meu método escolhido para fixação das duas línguas foi ouvir inglês enquanto estudava francês e vice-versa...isso me fazia reter melhor a gramática e sei lá, o fato é que até hoje isso tem funcionado...com línguas de raízes latinas somente. Bem...ai eu ouvia e comecei a fazer teatro então coloca trilha sonora nos ensaios que fazia em casa e depois comecei a escrever e colocava trilha nos meus contos que, primeiro eram imaginados e depois passava para o papel e fui escrevendo monólogos, diálogos, textos e até hoje to na tentativa e sempre com musica. Ai passou a época do inglês e do francês (se bem que estou me matriculando num curso pois preciso urgente treinar meu inglês que tá uó), acabou a época dos contos, historias e textos com teor hora dramático e hora comedia assim como parece estar acabando a vontade de escrever aqui. Engraçado...não que minha mente não esteja mais fluindo idéias, ao contrario, mas a apatia do momento que me faz querer observar o mundo apenas com os olhos e não com a alma de quem relata por vias escritas, os fatos. Tranqüilamente, como um velhinho sentado confortavelmente à janela com uma xícara de chá quente, bolachas e um cenário cheio de pessoas indo e vindo, se encontrando e se perdendo...como a vida, exatamente como ela deve ser.
Bom dia de Outono

terça-feira, 4 de maio de 2004

Sabe quando sua cabeça fica com uma coisinha lá dentro, espivitada, que te deixa inquieta, pensando que seria otimo se tivesse sido. Age como um grande e gorducho cupim, dentro dessa minha cabeça quase oca...mas não. Devo me ater a realidade dos fatos que me diz nua e cruamente: danger...em falando em coisas perigosas, ao inves de dar atenção e alimentar esse cupim mental que corroi minhas vias expressas onde meus pensamentos fluiam tranquilamente, deveria me matricular num curso de ingles online pra tentar recupera-lo...uma vez que eu vou precisar muito, mas muito mesmo dessa linguinha chata mas muito facil de aprender...só preciso treinar...ai que ferrugem que ele tá...Mas a coisa cá dentro ainda me corroi. Será que eu deveria dar atenção a ela? HUm...acho que não. Todas as vezes que pulgas e cupins invadem meu cerebro o veredito é o mesmo: Arriscado e perigoso.
Hum...quanto a minhas...aiquefofas...aulas!!! Recebi meus primeiros elogios e de alunos mais velhos e ja com diploma universitario...me senti feliz...vi o fofo que cultivo pela facu e foi cinematografico...hehehe...que fofo!
No mais as aulas estão bem legais...e vai ter churras nas catacumbas e preciso me preparar psicologicamente e superar minha timidez e ir porque vai ser legal!
Bom dia pessoas!

segunda-feira, 3 de maio de 2004

"Propro esse é o Dudu"
Dita essa frase me dei conta de quão longe tem ido minha mania de chamar as pessoas que eu gosto somente pela primeira silaba duplicada. Que horror...mas é tão inconsciente que quando vejo o mundo já se encheu de dudus, propros, jujus, titis e por ai vai.
No mais, depois de um domingo de intesas enxaquecas tudo correu bem. Dormi o domingo inteiro. Sabado foi extremamente divertido e a festa tava bem bacana e eu ri muito e depois, na finaleira, como sempre, madrugada de esfiha no habibis.
Sabe...tava falando com uma amiga minha esses dias e cheguei a uma conclusão engraçada: Acho que não sou uma boa namorada. Não que eu nao tenha sido mas ultimamente estou muito estranhinha. Acho que se deve às más experiencias passadas...mas tô tão sossegada com essas energias que não sei...me parece um grande trabalho me adequar a uma outra pessoa. Mas na verdade isso é normal, logico e humano...Não sei... de repente foi o susto que levei nesse findi...isso passa...assim esperamos. Enquanto não passa, vamos continuar a febre fashion descontrol que esta nascendo em mim e sair em busca da bota perfeita. Bom dia peoples!

sábado, 1 de maio de 2004

Hoje o dia está lindo...para dormir...mas a ultima coisa que vouf azer hoje é dormir...engraçado...a dois findis que eu nao paro...preciso de férias...e de terminar meu portifolio.
Fica com voces meu som do final de semana. Sem traduções... Aproveitem porque eu vou aproveitar ;)

I'll never let you see / The way my broken heart is hurting me
I've got my pride and I know how to hide / All my sorrow and pain
I'll do my crying in the rain
If I wait for stormy skies / You won't know the rain from the tears in my eyes
You'll never know that I still love you so /Though the heartaches remain
I'll do my crying in the rain

Raindrops falling from heaven / Could never take away my misery
But since we're not together / I'll wait for stormy weather
To hide these tears I hope you'll never see

Someday when my crying's done / I'm gonna wear a smile and walk in the sun
I may be a fool / But till then, darling, you'll never see me complain

I'll do my craing in the rain / I'll do my crying in the rain