terça-feira, 25 de outubro de 2005

Hoje foi um dia stressante...Feliz, meio fora do padrão de normalidade diria mais. Daqueles dias que começam dando absolutamente errado e no final dele, vem o acerto.

A noite foi bem ruim sem a Boolie...acho que me acostumei demais com minha pretinha básica. Meu pequeno sobrinho nasceu e isso deu uma movimentação no clã.

Embora distante e absolutamente convicta desta escolha, não posso deixar de admirar essas pessoas das quais meu sangue herda algumas nuances delicadas.

Delicadas não por sua fragilidade mas pela complexidade do além, do improvável, do forte cheiro de sabedoria, que marcam algumas existências precedentes as minhas.

É admirável certos poderes. Os mais fascinantes são aqueles cuja força vem do zero, do vazio, de onde não se imagina ter vida. Admiro a ascendencia e toda essa geração absolutamente inexplicável a que pertenço...embora furtivamente escondida dos mesmos.

Hoje me remeti, sem muitos esforços, a alguns anos onde essa "fortaleza" se fazia nítida e me senti feliz. Acho que o nascimento do meu sobrinho me fez repensar a importância do núcleo de familia. A sensação que adentra meus poros é semelhante a ventura de ganhar uma batalha. Onde se finda a seca e a destruição de uma guerra e começa a brotar os primeiros frutos do progresso.

Acho que isso se chama de um nome que ainda não conheço. Que livro algum ou conhecimento maior fez proferir tal palavra. Indescritível como o próximo segundo a passar. Fascinante e belo trajeto de voltas a vida. A mesma vida outrora fraca.

Dizem que as melhores construções são as de melhores alicerces e, por sua vez, mais elaboradamente lentas em estruturação. Acredito nisso. Sei que tudo que está do lado de lá da folha do calendário foi necessário. Hoje tudo se torna tão mais tranquilo. E me traz algumas esperanças esquecidas dentro dessa loucura vivida diariamente. Que bom. Que bom.

Meus computadores tem a mesma tela. De bolso, de trampo, de casa. Todos tem a mesma carinha. Isso é monótono mas me faz sentir referencias digitais.

Preciso dormir ainda...e acho que vou passar a virada do ano num retiro zen budista...meditando e tentando achar a meleca da paz cintilante...sem contar que terá certamente refeições frugais...tudo que preciso.

Meu segundo dia de dieta...a capsula do remedinho ta presa na minha garganta...a sensação é indescritível...pro lado mal obvio.

Preciso rezar para alguém. cultivar uma flor e voltar para dentro...sem contar que preciso fazer as unhas também. Mas amanhã quando Boolie voltar farei tudo...Bem mais feliz.

Não entenda. A vida muitas vezes não tem sentido nenhum, mas continua pulsando.

Postagens relacionadas

4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Por favor inscreva-se para receber as ultimas postagens no e-mail.