quinta-feira, 17 de fevereiro de 2005

É engraçado que, quando a mente está visivelmente cansada, ela produz algumas coisas interessantes.
Hoje de madrugada me vi basicamente gritando crédito não!
Não me deem crédito".
Motivo: Sonhei que acabava de sair de uma loja de carros importados, dirigindo o meu, classiquérrimo, com a mala da minha irmã e um colega de trabalho, mala também, ao lado me contando a respeito de suas intempéries cotidianas e, aflitíssimos por causa da festa que estaria, eu, oferecendo logo mais, quando olho o porta luvas, entediadíssima com as futilidades advindas do dinheiro quando deparo com um envelope de um determinado banco (que eu nunca teria conta em sã consciência).
Para meu terror total eram dois talões de cheque super especiais com cartão de crédito munido de um limite enlouquecidamente alto...meu terror foi tão grande que comecei a chorar no meu sonho e acordei amedrontada.
Ter crédito é legal.
Ter coisas é bacana...mas o excesso de futilidade que elas acompanham são chatíssimos...
Nunca quero deixar de ser meio alternativa.
Que sonho ruim...um importado clássico...ainda se fosse um jipe...

Postagens relacionadas

4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Por favor inscreva-se para receber as ultimas postagens no e-mail.