domingo, 26 de dezembro de 2004

Pela Estrada Fora

E fugimos sem ninguém nos ver.
Mas, se ninguém souber que partimos,
Pode alguém saber que chegámos?
E os dias chegam enquanto noites...
Mas, se ninguém souber que caímos,
Pode alguém saber que chorámos?
E o choro confunde-lhes o sorriso...
Mas o tempo não faz mais sentido
Quando somos nós quem passa por ele.
Tal como a dor se perde no ridículo
Quando somos nós quem chama por ela.
E ansiamos por alguém que chame por nós.
Mas ninguém entende porque fugimos
Dos dias que insistem em fugir de nós.

E, então, fugimos até ninguém nos ver.

Tiago Carvalho

Postagens relacionadas

4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Por favor inscreva-se para receber as ultimas postagens no e-mail.